fbpx

O circo chegou! Gritar mais alto ajuda a vender?

O circo chegou! Gritar mais alto ajuda a vender?

Moro em uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul, mais precisamente na Serra Gaúcha. Este local, onde as paisagens bucólicas tomam conta, enchem os olhos dos moradores e principalmente dos turistas que aqui passam, está em período de safra da uva. O aroma da fruta se faz presente nas ruas da cidade, típico cheiro proveniente dos caminhões de agricultores que buscam vender e entregar suas colheitas.

Imagino que para os leitores que conhecem a Serra do Rio Grande do Sul, muitas lembranças já estão sendo despertadas, e para os que ainda não conhecem, a imaginação viaja na busca de construir esse belo cenário.

Pois bem, eis que algo inesperado mudou a rotina dos moradores de Flores da Cunha: o circo! O circo chegou! Isso me fez pensar um pouco mais sobre a estratégia de comunicação adotada na divulgação dos espetáculos. Dois carros de som, com volumes estridentes, pronunciando frases curtas e repetitivas, o circo vem “aterrorizando” os moradores durante o período em que está se apresentando.

Refletimos sobre a atenção que damos para os veículos e para os canais de comunicação nos dias atuais. Estamos vivendo em um tempo onde pouca coisa consegue prender nossa atenção, basta o nosso programa favorito entrar no intervalo comercial para que o controle remoto seja ativado e imediatamente o canal seja trocado em busca de outro entretenimento. Isso tudo faz com que algumas pessoas pensem que sejam necessários gritos e mais gritos para que alguém as escute.

Errado! E imaginem que esses gritos a que me refiro nem sempre são oriundos de uma boca tradicional. Muitas vezes quando abro a página do meu Facebook, por exemplo, ela parece estar aos berros comigo, tamanha a poluição postada ali. Esses gritos estão por toda parte, às vezes são gritos de clamor, gritos que pedem um segundo da nossa atenção. Mas não me parece que o caminho do sucesso seja esse, muito pelo contrário, me parece que, aos gritos, o que se consegue são apenas críticas e repudio.

Pois então, como conseguiremos a atenção que buscamos? Através de uma comunicação mais sensível. Na minha opinião, esse é o caminho. Tenho total consciência que é mais fácil falar do que fazer isso que proponho. Entretanto, quando iremos conseguir fazer de verdade se não nos propusermos de corpo e alma nessa tarefa? Enquanto estivermos gritando em meio à multidão seremos apenas mais um nesse manicômio, buscando a atenção de quem nem se quer vem nos visitar.

Quando falo em sensibilidade, falo em direcionar a nossa fala às pessoas que querem nos escutar, em falar a língua do público que queremos atingir, e obviamente em um tom de voz ameno e agradável, pois aos gritos me bastou aprender com o erro do circo. Sei que o intuito de vender nos faz tomar decisões que muitas vezes podem depor contra nós mesmos. Assim acabamos com o destino traçado, os famosos gastos em vão, culpa que consequentemente recai sobre o profissional de comunicação que estava ancorando esta empresa.

Enfim, merecemos mais tempo para dialogar sobre o assunto. O que me fez escrever sobre isso foi que realmente, aos berros, sempre iremos parecer crianças chorosas. O mundo mágico do circo, com seu grande poder da fantasia, tem infinitas possibilidades de trabalhar uma comunicação baseada nos sonhos infantis e no resgate desses mesmos sonhos por parte dos adultos. Eu realmente me decepcionei com o berreiro aberto pela boca do circo.

Enquanto escrevo esse artigo o carro do circo passa na minha janela e anuncia a sua última semana, com um desconto incrível de R$ 5,00 nos seus ingressos. Parece-me um bom desconto, alguém me acompanha?

0

Marcus Tonin

Sócio da Candoo Comunicação e Branding e Consultor de Marketing pelo Sebrae. Apaixonado pela comunicação, que ainda acredita que esta deva ser realizada pelas pessoas, e não por seus meios.

Um comentário em “O circo chegou! Gritar mais alto ajuda a vender?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *