fbpx

Crowdlearning – o futuro da transmissão de conhecimento?

Crowdlearning – o futuro da transmissão de conhecimento?

O que é Crowdlearning?

O uso da expressão “crowdlearning” advém da junção de duas palavras do inglês: “crowd” e “learning”. A palavra “crowd” pode ser traduzida como multidão, grupo de pessoas, turma ou até mesmo galera. Já a palavra “learning” significa aprendizado. Ou seja, crowdlearning é o aprendizado coletivo, e acontece quando um grupo de pessoas que tem interesses em comum se junta para compartilhar o que sabe e o que ambiciona aprender.

Não é de hoje que vemos notícias sobre grupos em redes sociais, comunidades e fóruns que estimulam a troca de conhecimento entre usuários, muitas vezes sem a figura de um ‘professor’ oficial. Um exemplo recente a ser citado é o de Bianca, uma menina de dezesseis anos que gerencia três grupos de estudos no whatsapp e reparte com mais de 100 colegas o que sabe sobre os assuntos do ENEM. Mas a pergunta que fica é: vale a pena aprender e ensinar assim?

Peço permissão aqui para contar uma experiência pessoal, mas que se reedita em muitos outros círculos, quem sabe até mesmo no seu!
Em setembro de 2014 fui selecionada para me juntar a um grupo de aproximadamente cinquenta educadores para a primeira Google Teacher Academy da América Latina, um programa de treinamento intensivo de dois dias e que aconteceria nos dias 9 e 10 de outubro, em São Paulo. Acho que vale ressaltar aqui o perfil traçado – pela própria organizadora do evento – de todos os participantes. O texto a seguir foi extraído da carta de release enviada aos participantes.

“Google Certified Teachers são educadores excepcionais com uma paixão para a utilização de ferramentas inovadoras para melhorar o ensino e aprendizagem, bem como líderes criativos e embaixadores para a mudança. Eles são especialistas reconhecidos e amplamente admirados por seu comprometimento com alto desempenho, a aprendizagem continuada e colaboração.”

Mas o que é que crowdlearning tem a ver com isso? Eu explico! Imediatamente foi formada uma corrente de aprendizagem entre nós e, em menos de 24h, já estávamos conectados em canais múltiplos de comunicação. Em um movimento orgânico, que alternava características síncronas e assíncronas, idealizamos o nosso próprio design-instrucional. Aprendemos de forma coletiva e colaborativa sobre as ferramentas que iríamos encontrar e conhecer na sede da Google, trocamos experiências sobre nossas áreas de atuação e estudo e compilamos recursos que posteriormente serão compartilhados com o público em geral, via planos de ação. Já se vão dias após o encerramento de nossa experiência GTA e ainda mantemos o ritmo de trocas, revisões de plano, sugestões de material de leitura, propostas para trabalhos em conjunto e muito aprendizado.

Quais os benefícios do crowdlearning?

  • Horizontalidade na transferência de informações, restringindo barreiras hierárquicas que possam dificultar a comunicação;
  • Curadoria de conteúdo, permitindo uso posterior da informação em qualquer lugar e a qualquer hora;
  • Consolidação de habilidades socioemocionais, como persistência, resiliência, sociabilidade, curiosidade, etc;
  • Maior eficiência no uso de recursos digitais, diminuindo custos e aumentando a disponibilidade de materiais e tecnologias pertencentes à comunidade como um todo;
  • Transdisciplinaridade e rareamento das segmentações em áreas de estudo.

Muitos são os benefícios inerentes a esse tipo de aprendizagem, mas sem dúvida o maior benefício a ser citado é o fator humano. A criação de laços de confiança que se traduzem em motivação, engajamento e comprometimento é certamente o fator de sucesso dessa modalidade de ensino e aprendizado.

Seja para aprender sobre os novos P de Marketing ou sobre as receitas dos drinks mais cobiçados deste verão, fica uma dica. Reúnam uma galera, criem seus canais de comunicação e deixem o aprendizado fluir. O crowdlearning veio para ficar e tem todo o jeito de inovação disruptiva. Aproveitem sem moderação!

0

Giselle Santos

Formada em Marketing, pós-graduanda em Gestão Estratégica de Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual. Atua como Coordenadora Acadêmica na Cultura Inglesa RJ/DF/GO/RS e é membro do Painel de Especialistas em Inovação do Horizon Report K12 2014. Geek assumida,curiosa por natureza e investigadora de tendências e tecnologias disruptivas. Acredita que para ser feliz é preciso hackear a vida e não se acomodar! Mãe e avó de cachorro e inventora aos finais de semana.

2 comentários sobre “Crowdlearning – o futuro da transmissão de conhecimento?

  1. Acho o máximo. Já faço parte de dois grupos nas áreas de gastronomia e de artesanato. Tenho aprendido bastante. É tal a profusão de ideias e trocas que o tempo acaba sendo escasso demais. Na área de educação deve ser bem mais interessante. O tempo, no entanto, é o grande desafio. Já tentei fazer parte de um grupo que discutia o uso de tecnologia em sala de aula e não consegui acompanhar por pura falta de tempo. Acabei ficando para trás e não terminei as tarefas que pediam para fazermos. Pena!

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *