fbpx

Por que os líderes falham?

Por que os líderes falham?

Esse post dá continuidade a série de artigos sobre como acelerar a liderança (você pode ver a primeira parte aqui). Dentro do meu processo de pesquisa e elaboração de conteúdo para essa nova palestra, me deparei com a seguinte pergunta: Por que os líderes falham? Claro, existe uma infinidade de fatores que podem influenciar a resposta para essa pergunta. No entanto, se sintetizarmos as respostas, encontraremos dois denominadores em comum.

A FALHA PELO QUE NÃO SE SABE

Refletindo sobre todo o conteúdo gerado pela pesquisa, conclui que a maioria das pessoas e dos líderes, em algum momento de suas vidas, cometem deslizes pela simples falta de conhecimento em determinadas áreas. Dentro do campo do conhecimento existem quatro estágios do saber: incompetente inconsciente, incompetente consciente, competente consciente, competente inconsciente. Explico:

• Incompetente inconsciente – esse estágio diz respeito à uma pessoa que não sabe que não sabe. Isto é, um bebê não sabe que não sabe dirigir, por exemplo;

• Incompetente consciente – o segundo estágio diz respeito à uma pessoa que sabe que não sabe, como um adolescente de 12 anos que sabe que não sabe dirigir;

• Competente consciente – o terceiro estágio diz respeito à uma pessoa que sabe que sabe, como um jovem de 19 anos que tirou habilitação recentemente. Ele sabe que sabe dirigir, mas ainda tem que pensar o que fazer;

• Competente inconsciente – o quarto estágio diz respeito à uma pessoa que nem sabe que sabe, como um adulto que dirige sem ter a necessidade de pensar o que precisa ser feito. Esse estágio acontece quando internalizamos o conhecimento e não precisamos mais pensar nele para agir.

Posto isso, fica claro que passamos por todos os estágios em algum momento de nossas vidas, em cada área do saber pelos quais nos aventuramos. A maior parte dos erros que cometemos são relacionadas aos dois primeiros estágios: incompetência inconsciente ou incompetência consciente. É justamente por não saber que não sabemos, que cometemos os maiores erros. Quando migramos ao segundo estágio onde sabemos que não sabemos, dois caminhos podem ser tomados:

1) Manter-se à sombra do conhecimento e agir como se soubesse, ocasionando problemas futuros, ou;

2) Ser auto-responsável pelo desenvolvimento pessoal e profissional. Nessa segunda opção, uma oportunidade incrível de aprendizado acontece: é como se um véu fosse retirado da frente de nossos olhos.

A FALHA PELO QUE NÃO SE FEZ

Quando saímos dos dois estágios inicias da ignorância e passamos aos estágios do conhecimento, certa responsabilidade recai sobre nossos ombros. Pare por alguns instantes e reflita sobre a seguinte pergunta: você já leu algum livro que continha uma série de exercícios e não os fez? Se a resposta for positiva, a ausência de resultado é justamente por causa da falta de aplicação do conhecimento. Sendo assim, a segunda maior causa de falha das pessoas e dos líderes está diretamente relacionada com aquilo que se sabe, mas não foi feito.

Em resumo, grande parte dos erros que cometemos em posições de lideranças podem ser separadas e classificadas entre aquilo que não sabemos e aquilo que não fazemos.

Um dos aspectos de um bom líder é o de refletir constantemente sobre as suas lacunas de conhecimento/competência e análise/busca por oportunidades de aprendizado. Aquele que é proativo com o seu conhecimento e que busca constantemente refinar suas ações, com certeza está no caminho de se tornar um líder memorável.

A própria liderança em si se encaixa nos quatro estágios listados acima. E você, qual dos estágios se encontra? Como pode, diligentemente, compreender suas lacunas e aprimorar seus conhecimentos? Falarei mais sobre isso no próximo post da série, não perca!

0

Julio Lussari

MBA em Marketing e Gestão de Negócios, é consultor, ministra oficinas, dá aulas, é palestrante e blogueiro nas áreas de Inovação em Planejamento de Carreira, Empreendedorismo, Inovação em Modelos de Negócios e Marketing Estratégico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *