fbpx

A liberdade e a responsabilidade de ter o próprio negócio

A liberdade e a responsabilidade de ter o próprio negócio

Ter uma profissão fazendo o que ama, com tempo para o lazer e não cumprir (necessariamente) um horário específico: é o tipo ideal de trabalho para muitas pessoas. Mas até onde é eficaz essa prática de trabalhar por si mesmo, somente por comodidade?

Posso citar empreendedores e autônomos que melhoraram gradativamente quando resolveram trabalhar por conta própria. E ainda dar dicas de como tornar esse tipo de trabalho agradável e consolidado. Porém, como na maioria das coisas, precisamos somar prós e contras. E aqui, quero identificá-los como: liberdades e responsabilidades, de qualquer que seja seu tipo de negócio.

LIBERDADES:

– Adequar o negócio aos seus objetivos de vida (é poder trabalhar exatamente com o que sonhou);

– Ter exatidão dos ‘números’ do negócio/empresa e assim poder enquadrar metas (é como se o poder estivesse em suas mãos – a força está com você!);

– Adequar cada despesa e poder mensurar entradas e saídas de acordo com as necessidades;

– Definir horários das atividades de acordo com sua preferência e criatividade;

– Controlar diretamente (ou sozinho) o atendimento, os produto e serviços e receber os feedbacks;

RESPONSABILIDADES:

– Manter organização sobre pontos a atingir, despesas e lucros;

– Não falhar com despesas básicas, para não ficar na mão em momentos estratégicos;

– Manter direto contato com fornecedores, colaboradores e meios de comunicação;

– Não exagerar nas folgas e tempo livres, para não ficar confuso em meio as atividades, nem perder o foco;

– Tratar com importância cada membro de seu projeto/negócio/empresa para que cada reconhecimento seja justo.

E duas GRANDES observações:

– Pode ser um tipo de lazer desde que você não esqueça que é seu trabalho, e tem que ser tratado de forma profissional;

– Saber aonde quer chegar é um dos principais motivos de um negócio próprio (pode ser feito de muitas formas: objetivos simples, planejamentos estratégicos, metas a serem atingidas, planos de ação… O necessário é que seja ordenado e planejado).

Não é um manual de atuação, nem um o passo a passo sequencial de como ter seu próprio negócio, são simples dicas que por vezes esquecemos e que se forem lidas com cuidado, nos alertam sobre fatos constantes.

“Você só terá liberdade (nos negócios) quando enfrentar a responsabilidade (constante e obrigatória) de ser livre.”

 

0

Hayane Souza

Os capítulos da minha vida mudam rápido, assim como as tendências de comunicação. Publicitária apaixonada pelo efeito positivo que o marketing causa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *