fbpx

Saúde criativa: como curar a síndrome da falta de tempo

Saúde criativa: como curar a síndrome da falta de tempo

A realidade é o resultado da mais respeitável imaginação. – Wallace Stevens

A falta de tempo parece nos perseguir todos os dias! Ser técnico ou adquirir sensibilidades linguísticas e estéticas? Ser lógico e objetivo ou desenvolver novas linguagens e dramatizar novas ideias? Certamente você já leu muitos textos sobre criatividade e em como esta curiosa ferramenta tem afetado seu trabalho. Como podemos fluir e arquitetar informações, sendo claro e, principalmente, sadio?

Em um período onde precisei me retirar e cuidar da minha saúde, pude observar que o tempo é talvez o maior beneficiador do seu bem estar. É ele o responsável pela renovação de suas células e cicatrização de feridas (tão clichê dizer isso, mas tão verdade). A tecnologia tornou-se indispensável ao marketing e sem ela, talvez estaríamos fadados em não cumprir prazos e ordem de serviço. Mas calma! Pense antes de agir. Respeite o silêncio.

Posso usar o exemplo do Marketing Hospitalar: Satisfação do cliente X saúde em primeiro lugar

Muitos falam, poucos fazem. Empreender em saúde está em alta! A Mayo Clinic é uma das empresas que se destaca nesta área, conhecida mundialmente por gerir estratégias na revolução da comunicação entre profissionais e pacientes. Ela possui um centro dedicado para mídias sociais, e com isso, consegue otimizar a interação dos pacientes e comunicação interna dos funcionários, trazendo mais engajamento.

“Bringing the social media revolution to health care.” (Trazendo a revolução da mídia social aos cuidados de saúde). Ou seja, conseguiram traduzir falta de tempo em qualidade de serviço e interatividade; um abordagem efetiva de conversão de leads e ações offline. Uma ação simples que gera resultados consideráveis e eficazes. Infelizmente, não são todos os hospitais que pensam assim, reduzindo seu potencial nas prioridades organizacionais. Poderia dizer que é “a arte de antecipar”, em outras palavras: “deixe eu corrigir os erros antes deles surgirem”. Porque há muitas “doenças” nos serviços hospitalares do Brasil: objetivos não esclarecidos, dificuldades de visualizar resultados, falta de centralização na tomada de decisões, distanciamento entre planejadores e executores, inadequação do custo/benefício, instabilidade no R.H, etc. Mas, sim: é possível uma gestão em marketing hospitalar, com visões aprimoradas, dedicação, confiança e comunicação na equipe.

Como manter um marketing saudável? Conversando com uma psicóloga, ela destacou um ponto que já sabemos, mas que não levamos muito a sério. “Se desprenda de todas as atividades que te coloque em situações críticas. Elas geram inseguranças e medos, e quando associadas a falta de tempo, podem levar a uma condição patológica, ou seja, o seu físico em algum momento irá gritar por atenção e cuidado.”- disse.

Enquanto criamos, é inevitável termos vícios ou manias, mas precisamos entender o equilíbrio desses impulsos, para que não sobressaia anormalidades em seu texto ou arte, desordem nas estratégias e distúrbios em sua ideias. Conflitos sempre irão existir e acho que a melhor maneira de tratá-los é encará-los, e não deixá-los de baixo da cama todas as noites. Agora, permita-me ser mais direto: a cura é deixar de ser preguiçoso e parar de olhar apenas os seus próprios interesses e, uma vez que optar por uma vida mais saudável, não sair correndo de qualquer jeito. Respire! Conte até 10 e continue. Tenha equilíbrio em suas emoções e decisões.

“O pessimista se queixa do vento. O otimista espera que ele mude. O realista ajusta as velas.” William George Ward

Referências bibliográficas:

RODRIGUES, Flávio G. Orient.: CHAVES, Marco A. Marketing hospitalar, é possível?. Universidade Cândido Mendes: Rio de Janeiro, 2001.

NUNES, Natália. Como fazer marketing hospitalar. Empreender saúde, São Paulo, jul. 2014. <http://www.empreendersaude.com.br/como-fazer-marketing-hospitalar>. Acesso em: 16 jul. 2014.

Social Media Health Network. Disponível em:<http://www.network.socialmedia.mayoclinic.org>.Acesso em: 16 jul. 2014.

0

Arthur Barbosa

Essa coisa de definir coisas... Escritor, professor, colunista e curioso. Produzindo o terceiro e-book. Licenciando em Filosofia, com foco nas artes e comportamento. Não vive sem séries - e dramas. Melancólico e péssimo de cozinha. O 2º livro #AConstrucaoDoOlhar PDF free aqui ó: bit.ly/aconstrucao | Vídeos sobre os livros em youtube.com/user/arthiebarbosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *