fbpx

Marcas Globais x Marcas Regionais

Marcas Globais x Marcas Regionais

Quais são as diferenças entre marcas grandes e reconhecidas e marcas regionais? Com certeza você elencou alguns fatores como verba para investimentos em mídias de massa, grandes estruturas, compras em grande quantidade para baratear os preços para o consumidor final, entre outros. Estes são realmente apenas alguns dos fatores, mas o que vemos e sentimos como diferencial é sempre o serviço/produto entregue + atendimento.

Não importa o tamanho da marca ou sua estrutura se o que é prometido não é entregue, dificilmente manterá clientes, é sabido que um um consumidor que se sente lesado fala mais de uma marca do que um satisfeito. Mas então quer dizer que nessa luta o Davi terá uma chance? Sim, com certeza!

Concordo inteiramente com a citação abaixo, retirada do podcast que me inspirou a escrever este artigo:

Durante muito tempo havia essa expectativa de que quando as marcas globais chegarem aos mercados regionais vão acabar com as marcas locais, em um processo colonial, imperialista, mercadológico (…) mentira, isso não aconteceu e não vai acontecer.” Diz Jaime Troiano ao CBN Podcast Mundo Corporativo, 29/04/2014 “

A intimidade que marcas regionais conseguem ter com seus públicos é impressionante.

“(…) a marca que cresceu junto de um grupo de pessoas tem uma legitimidade pra falar com esse público, pra desenhar produtos, que o global, por mais que ele tente ele não consegue.” Diz Cecília Russo ao CBN Podcast Mundo Corporativo, 29/04/2014  

Podemos quebrar em dois grupos homogêneos onde as Marcas Globais fomentam um crescimento aspiracional nos consumidores, onde estes não querem apenas viver a realidade do seu mundo, mas estar em contato a outros, e por outro lado as Marcas Regionais, que entregam intimidade e cumplicidade, algo mais aconchegante e voltado a experiências reais com seus consumidores.

Bem lá no fundo uma olha para a outra como se buscassem passar no teste para ganhar o seu coração, então as práticas e meios se confundem, o que é benéfico para nós, consumidores. Toda concorrência é!

As marcas regionais precisam ter medo? NÃO!

As grandes tem muito o que aprender? SIM, MUITO!

Uma prova disto é que grandes redes de supermercados se fundem com redes regionais, grandes grupos farmacêuticos brigando em mercados globais, etc.

Finalizo com uma citação retirada do material de estudo ‘Estratégias de Marca: Local, Global ou Glocal? de Diego Alexsander Ferla: Os consumidores têm cada vez mais a opção de escolher entre as antigas marcas locais e as novas marcas globais (BATRA et al, 2000). Fatores como posicionamento competitivo da marca, consistência da estratégia e custos podem influenciar as estratégias de marca (ALDEN, STEENKAMP e BATRA, 2006).

Então, qual é sua opinião sobre essa disputa? Tem algum caso ou exemplo para compartilhar, escreva nos comentários.

Marcas fortes são construídas por meio de sua experiência total, ou seja, de um histórico consistente de promessa e entrega. Gestão do Valor da Marca (TOMIYA, EDUARDO, p. 25)

0

Roberto Rocha

Profissional e Consultor de Marketing; Analista em Mensuração de Investimentos em Marketing/Comunicação; Designer.

Um comentário em “Marcas Globais x Marcas Regionais

  1. Oi Roberto, concordo com você, as marcas locais precisam explorar o relacionamento e proximidade, que acredito ser a sua principal força competitiva em relação às marcas globais. Tentamos aproveitar isso ao máximo aqui no interior estreitando relacionamento com os clientes!

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *