fbpx

A criatividade simplificada

A criatividade simplificada

No último artigo que escrevi, conversamos sobre histórias, e a cada dia estamos escrevemos uma nova, com óticas diferentes, ideias inusitadas e até surpresas desagradáveis. Essa semana estive vivenciando isto, em como estamos sendo influenciados e de onde estão vindo nossas inspirações. Você deve concordar comigo que, nem sempre é tudo um mar de rosas, que brotam lindamente e perfumam todo o ambiente, não é verdade? Então, o que precisamos fazer para que este mar não leve todas as rosas embora, ou como podemos mantê-las seguras e bem cuidadas? Será que no final das contas, nossas histórias que não tem sido bem escritas?

Para começar, como você começa o seu dia? Dormir e acordar bem são primordiais para uma mente criativa (mesmo sabendo que a maioria dos processos de criação acontece nas madrugadas da vida). Eu gosto de acordar com música, e são elas o meu start inicial para desenvolver uma ideia – claro que um bom café sempre ajuda, como se fosse óleos de uma engrenagem. Ouvi uma vez que “você é o que você come” e de fato, é verdade. A alimentação se torna sua base para sustentar uma opinião ou um projeto.

Existem estudos comprovando a eficácia de uma boa dieta no desempenho criativo. Focamos tanto em produzir e ter grandes resultados que esquecemos que quem primeiro precisa produzir energia somos nós mesmos! Eu ia dizer: “gaste tempo se alimentando direito”, mas essa colocação é totalmente equivocada. GANHE tempo cuidando de você, porque isso certamente irá refletir no seu final de dia e elogios de um bom trabalho desenvolvido no final do mês.

Você já deu um “bom dia” hoje para alguém? Ok, você acordou de mau humor…. Use isto a seu favor! Pegue um papel e uma caneta (ou seu celular) e expresse tudo isso logo cedo. Acredite, grandes criações tem como esqueleto a explosão de algum sentimento, porque assim nos tornamos verdadeiros, transmitimos credibilidade e autenticidade. Não tenha medo de expressar o que você sente. Boas ideias surgem com muitas lágrimas ou horas de gargalhadas. Contagie seu sorriso ou seu choro, compartilhe com pessoas que você pode confiar, que acreditam nos seus rabiscos e papéis amassados. Se formos dissecar a felicidade, não conseguiríamos, porque ela precisa ser vivenciada. A arte da vida está em viver e transmitir esta felicidade. Não existe fórmula, existe criatividade.

As explosões são tão importantes quanto, porque elas nos ajudam a entendermos quem somos, qual é a nossa identidade enquanto profissional e o que podemos desenvolver a partir disto. Quando você se olha no espelho todas as manhãs, o que você vê? Seu cabelo te desafiando, os pelos da barba encravando e você sem tempo pra cuida-los, a preguiça sem fim de passar fio dental… Mas, quando você se olha, qual a história que você tem contado? Sempre ouvi que somos influência de coisas que nos contam e por consequência, iremos influenciar de acordo com isso. Coisas simples como certo ou errado, ético e moral. Você concorda com isso? Fácil colocar culpa em algum sistema, nos imaginar como robôs em uma grande fábrica ou marionetes fajutas, mas me pergunto: onde a espontaneidade entra nessa história?

“Não venda se não for útil” – muitos assumem esta plataforma: a de ser apenas prático ou satisfazer algum período momentâneo do cliente/consumidor. Gera mais receita. A sensação de crescimento é maior. Felicidade instantânea. Eficiente e eficaz?

São muitas perguntas que só você pode responder. Talvez nem exista uma resposta correta para todas elas, e talvez você não as encontre agora! Mas, se você não tem conseguido perceber sua criatividade (ou a falta dela), comece ouvindo o outro. Este exercício é primordial quando estamos no nosso fantástico mundo criando. Nem tudo se trata de você e sua marca. Existe uma história a ser contada e cada vírgula que você usar será contabilizada a seu favor, ou não. Quando for dormir hoje, lembre-se do seu dia, dos momentos que mais marcaram (um sorriso inesperado, um beijo roubado, um texto emocionante, um olhar constrangedor, uma ideia censurada, a surpresa de um erro). Cuide do que é seu e descomplique seu dia. O que é ruim e feio pra você, para o outro não é. Observe. Inspire-se com leituras novas, filmes que você normalmente não assistiria, músicas que você não gosta, e se surpreenda com a quantidade de rosas que irão aparecer em seu mar.

0

Arthur Barbosa

Essa coisa de definir coisas... Escritor, professor, colunista e curioso. Produzindo o terceiro e-book. Licenciando em Filosofia, com foco nas artes e comportamento. Não vive sem séries - e dramas. Melancólico e péssimo de cozinha. O 2º livro #AConstrucaoDoOlhar PDF free aqui ó: bit.ly/aconstrucao | Vídeos sobre os livros em youtube.com/user/arthiebarbosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *