fbpx

9 dicas do Google sobre inovação

9 dicas do Google sobre inovação

Detalhando como o Google trabalha a questão da cultura da inovação na empresa.

Mais do que uma empresa de sucesso, o Google é atualmente um símbolo da cultura da inovação na Era da transformação. De acordo com sua missão de: “organizar as informações do mundo e torná-las mundialmente acessíveis e úteis” esta organização revolucionou a forma de pesquisar do planeta e nos fez esquecer as tão queridas enciclopédias.

Porque segundo o Google, as empresas não deveriam desenvolver um produto de sucesso e sentar nele. Como fizeram Kodak e tantas outras. Partindo-se desta premissa e centrado no usuário em primeiro lugar, as organizações precisam se reinventar para continuar atendendo as expectativas do seu publico. Este é um pecado muito cometido pelas empresas, aperfeiçoar um produto/serviço baseado na sua própria concepção de qualidade e não focada na necessidade primária do usuário.

Se anteriormente era possível realizar campanhas publicitárias causando um impacto de massa, hoje sabemos que a coisa não funciona bem assim, afinal quando é possível atingir um determinado público através de ações publicitárias antes de checar na prateleira se de fato o produto se parece com o que promete, o consumidor tem adotado a postura do que chamamos de momento zero da compra – aquele em que o sujeito realiza uma pesquisa, muitas vezes em função da opinião de outras pessoas no mundo da internet.

Já que eu sei que vocês não acessaram este texto para discutirmos as mudanças que ocorreram do marketing tradicional para a Era da transformação, vamos aos 9 pilares destacados pelo Google para cativar um ambiente de cultura da inovação nas empresas.

1.#Inovação é tudo

Segundo esta premissa, qualquer novidade deve ser colocada para o mercado numa espécie de sistema aberto ou produto Beta, ou seja, produtos semi-acabados que quando lançados poderão sofrer alterações a partir do feedback do seu usuário.

2.#Ideias surgem de todos os lados 

Esta é a premissa básica de qualquer reunião de brainstorm. Segundo Jack Welch, ex-CEO da General Electric, neste evento só existem ideias boas, melhores e formidáveis. Então tratemos de ficar realmente atentos aos que as pessoas têm a nos dizer.

3.#Falhe rapidamente e aprenda

Vamos aprender com os erros? E esta famosa frase do astro do basquete Michael Jordan fala tudo: “Falhei mais de 9000 arremessos na minha carreira. Perdi quase 300 jogos. Vinte e seis vezes fui o escolhido para fazer o arremesso decisivo e falhei. Falhei vezes através de vezes na minha vida. E foi por causa disso que me tornei um vencedor”.

4.#Permita que as ideias se transformem

De fato tentar e testar é um dos lemas do Google. Nenhuma ideia vai chegar pronta na sua frente, as oportunidades tem característica de aparecerem disfarçadas.

5.#Criatividade adora restrições

Somente quando nos damos conta de que estamos dentro da caixa é que nosso cérebro começa a pensar. Trata-se de um órgão humano preguiçoso e que precisa de constantes desafios e estímulos. A criatividade ao contrário do que se pensa não é uma coisa que vem do nada.

6.#Compartilhe tudo

Esta é uma premissa que confirma a ideia de que não é necessário fazer planos secretos para atingir o objetivo de sucesso desejado. Principalmente, os erros devem ser ressaltados para que um raio não caia duas vezes no mesmo lugar.

7.#Dados suportam as decisões

É hora de pesar até que ponto vale ser um “Steve Jobs” e descartar a importância de uma pesquisa de mercado para suportar uma tomada de decisão. É como diz aquele ditado americano: “In God we trust, all other must bring data.” – Confiamos em Deus, todos os outros tragam dados.

8.#Os usuários primeiro

Como o próprio Google define este princípio: foque no usuário e o resto será consequência. Não é novidade nenhuma para ninguém que estamos na Era da individualização, da singularidade e da diferenciação. Por isso esteja sempre centrado no principal motivo da sua existência: atender a demanda do seu cliente.

9.#Permita-se perseguir paixões

Quando se faz aquilo que gosta, quando o trabalho se mistura ao prazer as chances da coisa dar certo vão muito além.

*Este texto foi baseado na apresentação: “Cultura da Inovação em empresas” de Guilherme dos Anjos, funcionário do Google, que foi celebrada na Aula Inaugural do curso Pós ADM da Fundação Getúlio Vargas

0

Augusto Talarico

As vezes você ganha, as vezes você aprende. O seu grande mestre deveria ser o seu último erro. Perfil: Estudante da Pós ADM- FGV e colunista no Ideia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *