fbpx

Hackeando o fracasso – Estratégias para transformar o insucesso em reinvenção

Hackeando o fracasso – Estratégias para transformar o insucesso em reinvenção

Com percepção aguçada para o mercado, Henry Ford acertou quando disse que o fracasso é a oportunidade de começar de novo com mais inteligência e redobrada vontade. Para cada produto ou serviço que conhecemos, inclusive os apontados como líderes de mercado, existem várias versões que foram testadas e rejeitadas em algum momento de sua existência. Ou alguém acha que aquele dispositivo legal, que prometia mil músicas no seu bolso, foi para a linha de produção direto da cabeça de seus criadores? 

Histórias de sucesso advindas de fracassos se multiplicam e ganham notoriedade em eventos como os Fail Festivals, festivais que celebram o fracasso como ponto de partida para inovação, reinvenção e triunfo. Curiosamente – no empreendedorismo, educação e até no amor- o fracasso ainda é tabu e tecnicamente, para muitos, o fim da linha de um sonho.

Mas como fazer do fracasso uma estratégia para a reinvenção e sucesso?

Divida a experiência do fracasso – Quando você compartilha a sua experiência com membros de sua equipe, você pode estar abrindo um canal para trocas e perspectivas singulares. Um novo olhar sobre o mesmo problema poderá trazer a solução que procura.

Encare o insucesso como oportunidade de crescimento e desenvolvimento – Aproveite o momento para refletir sobre suas práticas e rever conceitos. Procure responder três perguntas básicas: o que você procura? O que está faltando? Analisados os desafios, qual é o maior erro a ser evitado?

Seja resiliente e itere – Não deu certo? Tente de novo! Iteração deve fazer parte do seu planejamento, esteja pronto para repetições de procedimentos e ações. Adapte-se às mudanças necessárias para atingir seus objetivos, procure entender o cenário em que se encontra e encare as adversidades.

Pratique o desapego – Muitas ideias falham por nos apegarmos demais às nossas expectativas, premissas e gostos pessoais. A receita é simples: em qualquer projeto há espaço para falar e para ouvir. Ouça, teste seu produto ou serviço, coloque-se na posição do seu usuário final. Exploradas todas as perspectivas, se ainda achar que está distante da realidade almejada, pratique o desapego e descarte a ideia original.

Você não é o primeiro e nem será o último a fracassar. Portanto, mantenha os pés nos chão, subverta as falhas, hackeie o fracasso e reinvente-se.

Prontos para um Fail Festival virtual? Compartilhe aqui uma história de fracasso que resultou em um momento de virada. Em tempo, veja no vídeo abaixo uma lista de “fracassados” incríveis (vídeo em inglês).

0

Giselle Santos

Formada em Marketing, pós-graduanda em Gestão Estratégica de Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual. Atua como Coordenadora Acadêmica na Cultura Inglesa RJ/DF/GO/RS e é membro do Painel de Especialistas em Inovação do Horizon Report K12 2014. Geek assumida,curiosa por natureza e investigadora de tendências e tecnologias disruptivas. Acredita que para ser feliz é preciso hackear a vida e não se acomodar! Mãe e avó de cachorro e inventora aos finais de semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *