fbpx

A (r)evolução do Twitter

A (r)evolução do Twitter

Qual é a sua história? Ou melhor, qual história você tem contado? Este mês o microblog completou 8 anos! #8AnosdeTwitter e nesta data tão querida, ele criou uma ferramenta divertida e curiosa para descobrirmos qual foi o primeiríssimo tuíte que publicamos na rede social. Você consegue lembrar qual foi o seu? Com isso, me lembrei de seu nascimento, em como este afetou a vida das pessoas; físicas e jurídicas. Muitos foram impulsionados a usá-lo na tentativa de se expressar e dizer ao mundo o que pensam à respeito da vida, política, produtos, atualidades… e uma enxurrada de influências foram expostas. Como em tudo, sempre começamos tímidos, sem conhecimento, e até duvidosos se este site realmente seria válido. E a passos largos, o passarinho foi conquistando o coração de muitos. O site EXAME.com publicou alguns números relevantes: hoje já passamos de 240 milhões #TwitterLovers! (Só no Brasil somos 10 milhões) E pasmem, mais de 600 bilhões de twítes enviados desde o seu nascimento! Mas até onde estes posts têm sido relevantes? E será que estamos usando esta ferramenta corretamente? Quero conversar com você a partir deste ponto de vista, vamos?

Para você, qual é a finalidade do Twitter e como este pode ser útil? Em um primeiro instante me lembro de todos correndo contra o tempo para ver quem conseguia mais seguidores. Depois vem a fase das citações de autores famosos (porque você precisa construir uma imagem de credibilidade), e em terceiro, você segue as celebridades e acha que assim se tornarão melhores amigos (e até hoje isso acontece: quase 70% dos usuários os seguem, eu incluso) – e dá resultados: um dos eventos mais icônicos das últimas semanas, foi na apresentação do Oscar 2014, onde a apresentadora Ellen DeGeneres postou uma foto ‘selfie’ ao lado de seus amigos (considerados apenas grandes nomes do cinema), e esta teve mais de 3,4 milhões de retuítes! Foi a foto mais retuitada da história!

Passando o tempo, comecei a observar que este canal tem sido explorado das mais diversas formas. Fico espantado com a grande criação de memes todos os dias! Existem pessoas que dedicam seu tempo apenas a isto: a de criar ideias ou parte de ideias; sejam elas bem ou mal intencionadas. Os ganchos usados, a gramática e as imagens, ganhando cada vez mais alcance. Muitos destes usurários já estão inseridos no meio da comunicação, publicidade e marketing, outros são anônimos construindo seu espaço, expandindo sua persona através de suas citações bem humoradas. São sempre assuntos da atualidade que de alguma forma, ganham relevância e conquistam cada vez mais públicos.

Ralph Waldo Emerson disse: “A chave de todo ser humano é seu pensamento. Resistente e desafiante aos olhares, tem oculto um estandarte que obedece, que é a ideia ante a qual todos seus fatos são interpretados. O ser humano pode somente ser reformado mostrando-lhe uma ideia nova que supere a antiga e traga comandos próprios.” Com este pensamento, fica explicito a condição de se comunicar e transmitir o que você precisa ou sente a necessidade de. Em alguns momentos, me sinto excluído por não conseguir acompanhar ou fazer parte desses engajamentos, de tão rápido que o passarinho azul voa! (Você já se sentiu assim?) Mas por instantes volto a mim mesmo e percebo que não preciso sempre favoritar ou retwittar estes posts para que eu consiga influência. O que preciso fazer é criar assuntos novos para que então eu seja um canal influenciador—não só alguém influenciável, entende?

Do ponto de vista do mercado, mesmo em 140 caracteres, você vende seu produto! As campanhas patrocinadas têm se mostrado cada vez mais eficazes. A marca do seu cliente pode ter uma visibilidade considerável. Mas entenda como funciona: Primeiro eu escolho seguir determinada marca, logo, se assim o faço, é porque confio que, de alguma forma, ele me trará benefícios, concorda? Porque no final das contas, não quero ter minha timeline cheia de coisas que não resultarão em nada. Os anunciantes estão compreendendo isso, e portanto, criando histórias junto ao consumidor. Cria-se uma relação amigável. É o famoso SAC, onde ele “ouve” seus clientes e transforma as informações coletadas em base para desenvolvimento de ações estratégicas. É um facilitador (ou pelo menos é o esperado). Além disto, muitos canais de comunicação informam as notícias em tempo real, então se os leitores quiserem mais detalhes, clicam no link disponibilizado. Tudo mais prático e acessível.

E para você, o Twitter ainda é um grande influenciador? A interação cliente-empresa tem sido eficaz? Os anúncios estão sendo bem explorados? Posso confiar no seu conteúdo? Continue se orientando em melhores monitoramentos, promova mais relacionamentos, tenha um foco, seja mais prático e mais humano. A grande massa baseia-se no que o outro diz, por isso, cuidado com a história que você tem contado; as palavras que têm dito. Não subestime sua identidade e o que você está disposto a vender; seja sua imagem pessoal, sua marca ou um produto, MAS lembre-se: inspirar, fazer as pessoas rirem e ser verdadeiro pode lhe trazer mais resultados do que apenas ser uma estatística. Siga perfis que possam ajudar no seu processo criativo, que te atualize e, porque não, te entretenham.

Não tenha medo de ser você. A evolução está em não ser tão formatado, e sim, espontâneo. Revolucione sendo autêntico.

0

Arthur Barbosa

Essa coisa de definir coisas... Escritor, professor, colunista e curioso. Produzindo o terceiro e-book. Licenciando em Filosofia, com foco nas artes e comportamento. Não vive sem séries - e dramas. Melancólico e péssimo de cozinha. O 2º livro #AConstrucaoDoOlhar PDF free aqui ó: bit.ly/aconstrucao | Vídeos sobre os livros em youtube.com/user/arthiebarbosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *