fbpx

Um pouco do que aprendi no Insights Conference

Um pouco do que aprendi no Insights Conference

Foi com essa premissa que os palestrantes do Insights Conference apresentaram seus cases e conteúdos para inspirar e trazer aprendizado aos participantes. Eu fui um deles e dos muitos temas abordados com palestrantes de grandes empresas, separei aqui 3 tópicos dos que mais me chamaram atenção e que estão em total consonância com o que abordamos todos os dias aqui, no Ideia de Marketing. Espero que possa agregar a você, caro leitor, assim como agregou para mim. Lembrando que o que escrevi abaixo são interpretações minhas que não necessariamente foram expostas desta forma pelos palestrantes, mas foi o que absorvi e o que me fez tirar algumas conclusões:

1- Pesquisa e pontos de contato

Quais são os sentimentos causados pela sua marca em cada ponto de contato? Ana Alvarez, Diretora de Insights, e Cristiane Michelan, Gerente de Insights, ambas da Pepsico, apresentaram novas metodologias de pesquisas com alto nível tecnológico, porém o que me chamou a atenção mesmo foi à preocupação das experiências em todos os pontos de contato com a marca.

Quando existe um investimento concentrado em apenas uma mídia, ou até mesmo em apenas um dos pontos, você não consegue conectar seu consumidor em todos os momentos em que ele poderia fortalecer a relação com sua marca.

Distribuir melhor seu budget pode potencializar sua campanha.

2- A importância da cultura organizacional

Como trazer inovação ao mercado financeiro? Essa era a questão levantada por Ivan Passos, Head de Inovação do Itaú Unibanco. Entre apresentações de metodologias e ações, um ponto de extrema importância me chamou a atenção: o trabalho feito com os colaboradores.

Antes de se pensar em inovação é preciso ver se sua equipe está a fim de inovar. Será que todos estão caminhando na mesma direção? Desenvolver uma cultura voltada à inovação requer tempo e muito trabalho. Para ativar a criatividade entre os colaboradores e fazê-los, muitas vezes, sair da zona de conforto é necessário mostrar na prática o porquê eles devem fazer isso. Muitas empresas tentam a qualquer custo implantar características que não fazem parte da cultura da empresa e até de seus colaboradores, isso não é trabalho de branding e muito menos de endomarketing.

E para construir algo realmente sólido, é preciso começar de cima. Se seus gestores não comprarem a ideia, seus liderados também não irão comprar e seu cliente menos ainda.

3- A magia da sua marca e sua ativação

Transformar sonhos em realidade.

Quando Andrea Salinas, Diretora de Marketing da Disney, começou sua apresentação logo me veio um dos principais pilares do branding: trazer uma experiência de marca marcante em qualquer ponto de contato. Seja em um filme, seja em uma apresentação de 1 hora.

Seu tom de voz, dinamismo e postura logo me trouxeram todos os atributos trabalhados pela marca e que ela mesma nos mostrou: magia, encantamento, alegria, aventura, diversão e amizade são alguns deles. Andrea não apresentou uma mera palestra com um tema principal, ela nos contou uma história que remeteu, digamos que de forma corporativa, a magia que a marca traz em seus personagens.

Mesmo se eu não tivesse prestado atenção no conteúdo eu já teria aprendido uma valiosa lição, a de contar a mesma história independente do momento ou ocasião.

Além disso, trouxe os pilares do trabalho que a marca faz em seus produtos e serviços, deixando o legado final de “nunca estar satisfeito com a situação atual da sua empresa”. É preciso buscar sempre mais, ser curioso e estar em constante evolução.

0

Paulo Lima

Acredita que somente pessoas são fator de mudança. Fundador e Gestor do Ideia de Marketing, é consultor em marketing e branding.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *