fbpx

Novos negócios: Liberte-se da “Síndrome Celebridade Instantânea”

Novos negócios: Liberte-se da “Síndrome Celebridade Instantânea”

Oriente-se e mude o que for necessário, siga em frente! Tenha cuidado apenas para não mudar demais ao ponto de seu negócio perder a essência.

Se pararmos para analisar a história da evolução e progresso da humanidade, veremos que o empreendedorismo tem grande impacto nestas mudanças. Com a crise de potências mundiais, desemprego e a diversidade de transformações da era pós-internet, o tema deixou de ser uma questão local tomando proporção global tamanha a sua importância para o desenvolvimento da economia. O cenário é de novas perspectivas para quem sonha em ser “o seu próprio patrão” e hoje quero compartilhar com vocês um trecho de uma de minhas palestras e convidá-los para refletir sobre detalhes simples que são, muitas vezes, os grandes vilões no insucesso de empreendimentos potenciais, levando ao que chamo de “síndrome celebridade instantânea”.

Apesar da variedade de desafios enfrentados pelo empreendedor no Brasil, este panorama está mudando e a classe tem chamado a atenção de investidores de várias partes do mundo e dos nossos governantes que, embora a passos lentos, tem proporcionado mais incentivos às MPEs – Micro e Pequenas Empresas.

 Outro ponto importante é a inversão da motivação para criar o próprio negócio – em 2012, de acordo com o SEBRAE-SP, 69% dos empreendedores constataram uma oportunidade contra apenas 31% que iniciou por necessidade. Uma evolução considerável que precisa ser potencializada com investimento em educação empreendedora e mais atenção aos critérios de escolha. Deixo aqui, algumas sugestões mediante ao que acompanho junto aos meus clientes do ambiente acadêmico e  MPEs:

 1.     Antes de analisar o mercado, invista em autoconhecimento, analise você mesmo;

 “Cuidado com as ondas”! Elas podem te levar para lugares que você não gostaria de estar jamais. Escolhas precisam ser alinhadas a propostas de valor, a demandas, mas, acima de tudo, a quem as faz. Não podem ser baseadas em tendencionismos ou no que proporciona ibope momentâneo, não se o seu objetivo for crescer e fazê-las durar. Se deseja empreender, pergunte-se o que você gosta de fazer, o que pode fazer pelo seu meio, quais são seus hobbies, analise se você é mais introvertido ou extrovertido, que situações e ambientes lhe propiciam mais satisfação, melhor desenvoltura e desempenho, se você é mais quieto ou agitado, o que você busca para sua vida, pense em curto, médio e longo prazo, etc..

 2.     Pense em ideias, produtos, serviços e setores que tenham a ver com você, primeiramente;

Delicie-se em um brainstorm, busque inspiração, leia, pesquise, faça anotações à medida que forem surgindo ideias, converse com outras pessoas do seu meio ou não, participe de grupos de discussão, vá a eventos diversificados, participe de feiras, seminários, congressos, etc.. Relacione todas as ideias que tenham a ver com suas características pessoais, desejos e anseios. Em seguida, analise se elas poderão lhe trazer resultados financeiros como produtos ou serviços.

3.     Faça uma primeira análise de suas possíveis escolhas;

Avalie cada uma de suas ideias e procure identificar o que vão gerar de valor ao meio, pense em algo maior que os objetivos financeiros, analise o que poderão proporcionar ao consumidor que ele ainda não obtém junto aos seus concorrentes – se sentir dificuldade, busque a opinião de profissionais experientes ou que dominem bem a respectiva área. Em seguida, descubra se há alguém disposto a pagar e comece também a pesquisar se há pessoas interessadas em investir em produtos ou serviços que pensou.

Ideias e projetos bem elaborados com potencial não terão força para crescer e durar se não houver sonho, paixão e propósito.

4.     Mesmo que as ideias tenham tudo a ver com você, é possível que não seja uma boa escolha;

Se não for identificado nenhum destaque diante da oferta no setor e/ou não houver pessoas dispostas a pagar pela proposta em questão, talvez sua ideia possa ser incrementada e melhor estruturada, mas, se ainda assim não obtiver uma resposta positiva retorne ao primeiro brainstorm e relacione novas alternativas. Repita o processo até encontrar o que procura. Se estiver difícil em um determinado dia, deixe para o outro, se faltar inspiração, busque em outros ambientes conforme item dois e, em quaisquer etapas, esteja sempre aberto a ouvir profissionais especializados e mais experientes.

 5.     A intuição e a prepotência têm atropelado oportunidades potenciais, fique atento;

Empreendedores tendem a basear suas decisões no fator intuição partindo do pressuposto que se é bom para eles, vai ser para o restante do mundo. Pessoas têm percepções, culturas, crenças, desejos, anseios e objetivos diferentes, atitudes como esta podem botar tudo a perder. Outro ponto é a superlotação de novos profissionais que se julgam “prontos para ensinar”, mas, são incapazes de converter conhecimento em ação, contrapondo uma extensa demanda de profissionais mais aprendizes, dispostos a ouvir e a colaborar, construtivistas, com facilidade de comunicação e adaptação. Está faltando humildade e sabedoria para ouvir, crescer e evoluir o que distancia ideias e projetos de oportunidades potenciais.

 6.     Planeje, mas, não faça isso sozinho;

Desenvolva um plano de negócios fundamentado estrategicamente, busque ajuda profissional para a sua elaboração, defina mentores para todo o processo com quem possa compartilhar ideias, ações, propostas, modelos de atuação tanto no meio acadêmico quanto empresarial. Não se prenda a apenas uma das categorias e lembre-se, a experiência como empreendedor é fundamental para o desenvolvimento de um projeto mais sólido, logo, a teoria sozinha pode distanciá-lo ainda mais no momento de converter o programado em realizado.

 7.     Analise o mercado, acompanhe pesquisas e estatísticas, mas, não se prenda a elas;

Identifique pontos positivos e os que precisam ser desenvolvidos para aumentar o potencial de sucesso de suas ideias, acompanhe as pesquisas e estudos do setor, mas, fique atento, não se prenda a eles. Você deve fazer seus próprios levantamentos ou buscar ajuda para fazê-lo junto ao seu respectivo público, nos limites de sua área e região de atuação. Uma pesquisa de abrangência nacional, estadual ou municipal não pode oferecer respostas demandadas por um empreendimento focado em uma região específica de uma cidade, por exemplo.

8.     Antes de abrir seu negócio, invista em testes;

Faça testes, ajustes e adequações quantas vezes for necessário, se for possível, participe de feiras e eventos relacionados, se a ideia permitir, desenvolva protótipos, amostras, degustação, etc., busque uma oportunidade para apresentar a consumidores, ouça o que eles têm a dizer a respeito, registre tudo. Revise também suas ações, implemente suas estratégias no plano de negócio. Se não houver aceitação, não desanime, esta é a sua chance de fazer algo ainda melhor e evitar perder todo o investimento. Oriente-se e mude o que for necessário, siga em frente! Tenha cuidado apenas para não mudar demais ao ponto de seu negócio perder a essência.

 9.     Concluído o plano de negócio, qual foi a resposta?

Seu empreendimento é financeiramente viável? Se você obteve um resultado positivo ou não, é essencial que busque auxílio de um profissional especializado antes de dar continuidade. Alguns empreendedores insistem diante de uma resposta negativa e outros se baseiam e resultados (falsamente) positivos. Observe bem, pois, existe risco em ambas as situações. Seja otimista, mas, tenha cuidado e preste atenção quanto ao mencionado nos itens cinco e seis.

10.   Ok, você chegou até aqui e deu tudo certo!

Foi identificado que seu empreendimento tem grande potencial e que você está no caminho certo. Procure manter a relação com seus mentores (tanto do meio acadêmico quanto empresarial), continue lendo, pesquisando, busque aprimoramento e participação em eventos relacionados ou agregadores à escolha em questão. Chegou a hora de você sair em busca de parceiros, sócios e colaboradores que compartilhem de seus valores, interesses e propósitos. Mãos à obra, o sucesso espera por você!

negocios

Se a sua escolha “hoje” não lhe dá alegria ou motivação para recomeçar todos os dias, se você vive contando as horas para ir embora e termina o dia sempre aborrecido, você tem ótimos motivos para repensar sua carreira e é bom que faça isso logo. Mas, lembre-se: problemas, crises, dificuldades, obstáculos e desafios existem em qualquer área, profissão ou empresa. Então, procure enfrentá-los e tente, primeiramente, fazer o exercício de enxergar um mesmo cenário sob nova perspectiva, com foco em soluções! Isso vai ajudá-lo a lidar melhor com os próximos desafios após a mudança.

Agora, se você encontrou algo que tem a ver com você, que atende uma demanda no mercado, possui uma proposta de alto valor agregado e está disposto a trabalhar muito, bem-vindo ao time! Você tem fortes indícios para se tornar um empreendedor de sucesso e livrar-se de ser mais um número nas estatísticas de grandes ideias que nascem e em pouco tempo caem no esquecimento como “celebridades instantâneas”. Ideias e projetos bem elaborados com potencial não terão força para crescer e durar se não houver sonho, paixão e propósito. É isso que vai tornar o impossível algo simples de ser realizado, que vai amenizar o cansaço e repor as energias, dia após dia, entre erros e acertos. Espero ter podido contribuir de alguma forma. Fique à vontade para interagir conosco, um grande abraço e até o próximo post!

0

Zelia Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *