fbpx

O retorno instantâneo do branding para as pequenas empresas

O retorno instantâneo do branding para as pequenas empresas

Ainda há muita dificuldade no entendimento do branding, em como ele atua, quais os reais resultados e como suprir os desafios no dia-a-dia em um mercado que não pára.

E uma das maiores “justificativas” (se é que podemos considerar isso uma justificativa) das pequenas e médias empresas ao escolher não praticar o branding é que elas precisam de retorno rápido em ações pois, por serem menores, não conseguem investir e esperar um longo tempo até que esse investimento traga bons frutos.

Sim, o branding traz retorno a longo prazo e isso quase todos já sabem. Mas o que queria demonstrar aqui, é que conseguimos já no começo de um trabalho enxergar melhorias e até mesmo o tão esperado “retorno”. Quando começamos um trabalho de gestão alinhado a nosso posicionamento, propósitos e personalidade, alinhamos todas as nossas ações, fortalecemos os pontos de contato com nossa marca e melhoramos o relacionamento com nosso público.

Veja abaixo, esses três tópicos melhor explicados e exemplificados:

Alinhamos nossas ações

A Skol queria comunicar e poderia ter feito isso de qualquer forma. Mas veja como o que ela diz expressa valores através de uma linguagem clara e identidade marcante.

Valores, linguagem e identidade, esses três pontos são definidos lá no começo de um trabalho de branding, na plataforma de marca, e isso é logo alinhado com as ações de marca. Agora pense que ela fosse criar uma ação interna para motivar sua equipe a economizar energia ou vender mais. Qualquer tipo de ação deverá expressar todo o propósito da marca e isso você pode fazer já nos primeiros meses.

O resultado? Ações que fazem sentido e que começam a construir uma ideia no coração de seus stakeholders.

Fortalecemos os pontos de contato

Branding é para nossa comunicação? Sim, mas é muito mais que isso. Em qualquer momento em que seu cliente tem contato com sua marca, ele precisa enxergar valor. Pense em uma pequena agência de publicidade – com forma local (vamos chamá-la de Agência I-mkt) e imagine um empresário (vamos chamá-lo de João) buscando serviços de publicidade. Agora, vamos imaginar 3 possíveis pontos de contato que João teria com ela levando em conta que não a conhecesse:

Em cinza, veja como o branding poderia agir nestes pontos de contato.

– Encontrou um folder na empresa de um amigo.  A linguagem verbal (naming, a personalidade imposta na linguagem e até mesmo o uso de “palavras-chave”), mensagem, identidade visual (logotipo, ícones, formas, cores…) e até mesmo o tato (gramatura do folder e textura) já começariam a criar uma percepção sobre a marca. E outros pontos relacionados mais à empresa,  como a credibilidade (tradição) e portfólio (serviços).

– Resolve então acessar o site e as redes sociais da Agência I-mkt. Além de novamente ter percepções através de linguagem verbal e  identidade visual, João terá, principalmente nas redes sociais, uma visão do relacionamento que a Agência I-mkt tem com seu público, seja um possível cliente ou apenas um usuário curioso. Nesta etapa, a Agência I-mkt começa a ocupar um espaço na mente de João. A mensagem unificada do folder, site e redes sociais, começa a fazer sentido e a Agência I-mkt fortalece sua imagem para ele. Tudo isso, graças a um posicionamento definido, sem isso, pode haver uma dissonância na comunicação destes pontos de contato que falamos. Obs. sua fan page precisa ser engajada com conteúdo relevante e sempre pensando em seu posicionamento. Engajamento com gatinhos não o favorece em nada. 

– João liga para marcar a reunião e vai até a agência. Além da ligação que pode confirmar toda a promessa dos materiais de comunicação, a visita à Agência I-mkt é muito importante. O ambiente, o atendimento, a comunicação visual interna… tudo isso fortalecerá suas percepções. Além disso, que tal colocar um pouco de brandsense em seu escritório? Música e aromas, por exemplo, fortalecem a lembrança da marca.

Com este pequeno exemplo já listamos diversos pontos que podem te ajudar a vender mais. Um ponto crucial no meio disto tudo: se seu produto/serviço for ruim, não há branding que salve!  

Relacionamento com nosso público

O último ponto refere-se a um dos principais problemas das empresas: o relacionamento. Não apenas com o cliente final, mas com todos os stakeholders. O branding prega que a marca precisa atuar com um propósito e isso faz com que o lucro saia de foco, sendo um resultado de um trabalho mais próximo e humano.

O que adianta comunicar responsabilidade social e maltratar seus colaboradores? E dizer que é sustentável na embalagem do produto mas no dia-a-dia desperdiçar materiais ou não racionalizar a energia?

São pequenos exemplos que mostram como a falta de propósito pode causar dissonância ao público. E isso interfere diretamente no relacionamento e na experiência proporcionada para eles.

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL

Paulo Lima

0

Paulo Lima

Acredita que somente pessoas são fator de mudança. Fundador e Gestor do Ideia de Marketing, é consultor em marketing e branding.

10 comentários sobre “O retorno instantâneo do branding para as pequenas empresas

  1. Ótimo texto Paulo. Sou defensor de que as pequenas também precisam entender a importância do branding durante todo o processo. Acho que o grande pulo é mostrar que estas pequenas ações estão a frente da venda, ou melhor, elas facilitam as vendas. Coisa que enxergam pouco.

    0

    [Reply]

    Paulo Lima Reply:

    Com certeza Ederson, você disse um ponto importante: essas ações FACILITAM as vendas, o que consequentemente pode ajudar a vender.

    Obrigado pela leitura e comentário, abraços!

    0

    [Reply]

  2. Parabéns Paulo, ótimo texto e infelizmente os empresários enxergam o branding como uma ação burocrática que leva dias e dias, quando na verdade ele é uma filosofia de gestão, e depois de criado os alicerces o trabalho que tem que ser feito é bem menor do que um trabalho incansável para atrair mais e mais clientes todos os meses. Outro ponto que acho interessante é que muito desses empresários dizem não ter tempo para aplicar o branding, será que eles não percebem que o uso do branding vai faze-los ganharem tempo e muitos apaixonados?
    Novamente parabéns pelo texto, SHOW!

    0

    [Reply]

  3. Gostei muito do texto Paulo. Acho que é um texto claro e direto que pequenas e médias empresas podem se referenciar. O Sebrae bem que podia usá-lo eheh. Gostei.
    Só me arriscaria a dizer, na minha opinião, que esses exemplos não necessariamente provocarão “vender mais” como você comentou, mas sim criar uma percepção de marca positiva que busca ter identificação (emocional) com o público determinado. Mas é minha opinião :)
    Abraços

    0

    [Reply]

  4. Parabéns pelo texto, Paulo! Mais uma vez a discusssão do branding toma forma. Vemos diversas empresas que primam por seus pontos de contato bem executados, ótimo planejamento e tudo mais e quando vamos lá e vivenciamos a marca, encontramos falhas. Gostei da abordagem que você fez. Simplesmente branding não é mágica, é um processo contínuo de aprimoramento da marca, dos funcionários, do produto, etc. Mais uma vez parabéns.

    0

    [Reply]

  5. Achei fantastico! sou uma apaixonada por marketing, embora nao tenha formacao na area. Para um futuro bem proximo, quem sabe!

    No momento, estou precisando de alguem que faca isso por mim. Alguem tem algum contato coniavel no mercado para fazer este processo com uma pequena empresa que quer comecar corretamente??? Agradeco todas as infos disponibilizadas.

    Abs. Flavia

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *