fbpx

Cibercultura e o Social Good: a transformação do cenário offline

Cibercultura e o Social Good: a transformação do cenário offline

É uma geração de sonhadores, que se mobilizam movidos pela vontade de mudar o mundo, ou pelo menos, a sociedade em que se encontram.

Não estamos na era da informação. Não estamos na era da Internet. Nós estamos na era das conexões. Ser conectado está no cerne da nossa democracia e nossa economia. Quanto maior e melhor forem essas conexões, mais forte serão nossos governos, negócios, ciência, cultura, educação… – David Weinberger

Vivemos atualmente profundas modificações nas formas sociais com o surgimento das novas formas de comunicação. Construímos e integramos uma nova fase da sociedade da informação, iniciada com a popularização da internet na década de 80, e com o desenvolvimento da tecnologia sem fio dos telefones celulares. Trata-se de transformações nas práticas sociais, vivência do espaço urbano e na forma de produzir e consumir informações.

A rede envolve os usuários e os objetos numa conexão generalizada, fazendo de cada usuário não só consumidor, mas emissor de informação. Surge então uma busca pela dominação no sentido de manipular para conhecer e transformar, estabelecendo uma relação de troca bidirecional entre sociedade, cultura e as novas tecnologias. Tudo isso se trata de uma conexão generalizada, um contexto todos-todos, conseqüência da dinâmica de conexão do ciberespaço.

cibercultura

A World Wide Web (www) torna-se o mais forte meio de expressão e organização para manifestações,impactando a mídia e atuando sobre instituições e organizações repercutindo sob a opinião publica. Com isso há uma preocupação política, antropológica, social, econômica e filosófica perante os indivíduos conectados em rede, em englobar os desdobramentos que este comportamento requisita.

As novas ferramentas tecnológicas quebram a barreira de espaço e tempo perante os indivíduos. Exemplo disso são as novas práticas contemporâneas de agregação e mobilização social que usam a tecnologia para ações que reúnem multidões realizando em ato conjunto práticas com finalidades sociais.

Uma dessas ações é o Social Good. Um movimento que funde tecnologia, novas mídias e uma visão inovadora em prol da mudança social. Os indivíduos desfrutam da tecnologia como um meio poderoso para transformar a sociedade e impulsionar uma mudança social positiva. Através de pessoas e organizações, a tecnologia torna-se um meio para um fim maior.

A internet é um novo meio de comunicação que permite, pela primeira vez, a comunicação de muitos com muitos, num momento escolhido, em escala global. (Castells, 2001)

É uma geração de sonhadores, que se mobilizam movidos pela vontade de mudar o mundo, ou pelo menos, a sociedade em que se encontram. São grupos de apoio, campanhas para doação de sangue, aplicativos desenvolvidos conjuntamente para melhoria do espaço urbano, campanhas contra bullying, petições, campanhas de doação à sobreviventes de catástrofes naturais, e por aí vai.

A lista é grande e não há limitações para as causas! A era da conexão parece estar colocando em sinergia o espaço virtual e o espaço urbano, fundindo o online com o off-line de forma notável. As comunidades veem-se livres para trabalhar de forma autônoma nas redes, com toda liberdade de expressão, transmitindo a possibilidade dada a qualquer pessoa de encontrar sua informação e compartilhá-la. Fazemos parte de uma cultura comunitária unificada na internet. Dispomos de uma espécie de poder para modificar todas as falhas que enxergamos no cenário em que vivemos.

Neste contexto, a comunicação de valores e a mobilização em torno de significados tornam-se fundamentais. Movimentos culturais formam-se em torno de sistemas de comunicação porque é através deles que conseguem atingir consciência e alcançar seguidores.

A era da conexão cresce a passos largos. Estamos cada dia mais conectados! Inegável. Cabe a nós mesmos, como indivíduos, usarmos todas as conexões e ferramentas que dispomos online para o crescimento em prol da sociedade offline!

Be the change you wish to see in the world. (Gandhi)

Marcella-Gielfi

0

Marcella Gielfi

Entusiasta da gestão do conhecimento, CAPM e White Belt, atua com foco em gestão de equipes e projetos digitais, integrados e multi-plataformas, além de consultorias na área e curadoria de conteúdo.

3 comentários sobre “Cibercultura e o Social Good: a transformação do cenário offline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *