fbpx

Entrevista com Cláudio Queiroz: A importância das competências!

Entrevista com Cláudio Queiroz: A importância das competências!

Fica complicado apontar uma mais importante, mas posso afirmar que tudo começa com a competência Relacionamento Intrapessoal. Que é a competência que leva o indivíduo a se conhecer, identificando quais são seus valores, crenças, competências, medos, âncoras de carreira, talentos, etc. Tudo isto auxilia nas escolhas que fazemos e potencializa a felicidade.

Cláudio Queiroz

Cláudio Queiroz é formado em Administração pela Fundação Edson Queiroz – UNIFOR/FO, Pós graduado em Recursos Humanos – IAG Master pela PUC/RJ, Pós Graduado em Marketing pela ESPM/SP . Mestre em Administração pelo Mackenzie/SP. Instrutor Gerencial e Formador da Caixa Federal há 15 anos, diretor/presidente da Proserh, professor na FAAP, professor de pós graduação e MBA na FIA, Fundação Getúlio Vargas- SP.  É também autor dos livros As Competências das Pessoas, Top management, 100 Dúvidas de Marketing,  Marketing Estratégico e o Elo da gestão de carreira.

Após a leitura de seu livro As Competências das Pessoas, me inspirei para escrever alguns artigos para o Ideia, além de claro, conversar com o autor para entendermos melhor essas tais competências e como elas podem agir em nossas carreiras.

1. Em sua concepção, o que são competências e de que forma elas interferem no desenvolvimento profissional?

CLÁUDIO QUEIROZ: Competência é um conjunto de ConhecimentoHabilidadesAtitudes que integradas agregam valor ao indivíduo e a organização. Comumente chamado de CHA. Entretanto agrego duas novas letras, E – EntregaR  – Resultado. Entrega são as ações que fazemos e que auxiliam no alcance do resultado. CHA  se transforma em CHAER.  Exemplo: dar bom dia para o cliente, apresentar o cardápio ao cliente, tirar dúvidas sobre os produtos, etc. Tudo isto são AÇÕES. Resultado é ele DECIDIR comprar. Ou seja, a quantidade de cafés vendidos no dia, é o resultado. O interessante é que as entregas contribuem para que o vendedor consiga agradar o cliente e este tome a decisão de comprar. Este é um exemplo da competência Orientação ao Cliente.

Conseguir que o grupo esteja comprometido e que realize todas as atividades delegadas são RESULTADOS. O interessante é usar este modelo para auxiliar as pessoas a pensarem nele como uma ferramenta de diagnóstico.

Entregas x Resultados: “Dei resultado”, isto significa que fiz várias entregas que potencializaram este resultado. “Não consegui resultado”, provavelmente, não fiz as entregas necessárias ou as fiz com um nível de qualidade inferior ao necessário. Neste momento faço uma análise se a causa da baixa qualidade das entregas é Conhecimento, Habilidade ou Atitude. Fazendo este diagnóstico posso montar o Plano de Desenvolvimento Individual – PDI.

 2. Em seu livro “As Competências das Pessoas”, você diz que vivemos em um paradoxo onde temos um número elevado de pessoas com competências abaixo do esperado pelo mercado e do outro lado, temos muitas vagas a serem preenchidas aguardando o candidato ideal. Nesse caso, o contrapasso vem de onde? Das empresas que almejam profissionais muito acima da média ou dos profissionais que não buscam suprir a carência organizacional?

CLÁUDIO QUEIROZ: Gosto de dizer que todas as questões em sua análise envolve RESPONSÁVEIS e não CULPADOS. Na questão proposta, temos três responsáveis, como afirmo no meu recente livro, O ELO DA GESTÃO DE CARREIRA. E – Empregado, L – Liderança – O – organização.  Cada uma das partes fez inadequadamente ou não fez a sua parte neste ELO que proporciona o alcance do objetivo que é: elevar o nível de capacitação, engajamento e comprometimento dos colaboradores.  Vale ressaltar que recai sobre a empresa hoje a responsabilidade de preencher o gap educacional que o Brasil apresenta. Tenho dito, conforme a música SAL DA TERRA,  que vamos precisar de todo mundo para elevar o nível de consciência e educação deste país. Estamos em um contexto competitivo e precisamos elevar nossa produtividade/qualificação para sermos competitivos. Hoje a questão mais citada em congressos de RH é a falta de talentos. Eu defendo que precisamos investir MUITO em pessoas (lideres e colaboradores).

3. Você apresenta 16 competências em seu livro, são elas: comunicação escrita, comunicação falada, criatividade e inovação, empreendedorismo, gestão da informação, gestão da mudança, liderança, negociação, orientação ao cliente, orientação ao resultado, relacionamento interpessoal e intrapessoal, tomada de decisão, trabalho em equipe, visão estratégica e visão sistêmica. Para um profissional ser completo é necessário apresentar todas as competências ou para cada área existe uma competência chave?

CLÁUDIO QUEIROZ: Cada papel, cargo ou profissão tem um conjunto mais específico de competências, mas algumas estão presentes em quase todos os papéis.

4. Como profissional de Recursos Humanos, você acredita que as empresas deveriam apoiar e incentivar os profissionais a encontrar e desenvolver as competências pertinentes para a sua área de atuação ou o profissional é o único responsável por suas especializações?

CLÁUDIO QUEIROZ: Conforme citei na questão 2, cada um tem um conjunto de responsabilidades; O Empregado, A Liderança e a Organização. Tem somente uma observação, quando um dos envolvidos não faz a sua parte ou outro assume para não prejudicar o resultado.

5. Como profissional de Marketing, você considera que as competências das pessoas podem interferir direta ou indiretamente no relacionamento da marca com o consumidor?

CLÁUDIO QUEIROZ: Certamente, vários estudos já provaram que o nível de envolvimento/fidelização/capacitação do colaborador influencia na relação com o cliente e potencializa os resultados no relacionamento com ele, dentre eles Leonardo Berry. O atendente/vendedor é a organização  aos olhos do cliente, portanto estes fortalecem ou denigrem a marca dependendo de sua atuação.

6. O Marketing e a Gestão de Pessoas estão andando de mãos dadas em grandes empresas que têm apresentado cases de sucesso, como o Google, por exemplo. Em sua opinião, as empresas brasileiras em geral irão demorar para despertar de vez para a valorização de pessoal e investir em endomarketing?

 CLÁUDIO QUEIROZ: Acredito que não, o mercado está cada vez mais competitivo e é fundamental esta integração, tenho inclusive apresentado a palavra MARHKETING = Marketing + Recursos Humanos.  Esta união mais que necessária, é componente de sobrevivência. Em todos os eventos de varejo que tenho participado, as palestras mais lotadas tem sido as que abordam esta integração.

7. Você acredita que exista alguma competência mais importante? Qual e por quê?

CLÁUDIO QUEIROZ: Fica complicado apontar uma mais importante, mas posso afirmar que tudo começa com a competência Relacionamento Intrapessoal. Que é a competência que leva o indivíduo a se conhecer, identificando quais são seus valores, crenças, competências, medos, âncoras de carreira, talentos, etc. Tudo isto auxilia nas escolhas que fazemos e potencializa a felicidade. Talvez as seguintes fossem Gestão da Mudança, Visão Sistêmica e Visão Estratégica. São Os pilares das demais.

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL

Mariana Melissa

0

Mariana Melissa

Graduada em Marketing e Gestão de Recursos Humanos, é apaixonada pela arte da escrita e pelas relações pessoais. Já trabalhou com comunicação interna, redação e marketing. Atualmente é Gerente de Projetos na agência Target Mais e está a frente dos projetos internos do Ideia de Marketing atuando como gestora de pessoas e conteúdo. marianamelissa.s@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *