fbpx

CANSEI DE SER EMPREGADO, “estou pronto para empreender”!

CANSEI DE SER EMPREGADO, “estou pronto para empreender”!

Saber como fazer hoje não quer dizer muito, pois, o conhecimento pode ser perecível se não for regado e cultivado constantemente.

FELICIDADE NO TRABALHO
Fonte: http://bit.ly/SEjJ80

Não é novidade que empreender esteja entre os principais sonhos de grande parte dos jovens no país. Nos dias de hoje, poucos são aqueles que se veem trabalhando como empregados por muito tempo. Um fator que deveria ser mais positivo para a economia, no entanto, a ânsia em “se tornar o próprio patrão” leva muitos profissionais a tomarem decisões precipitadas e a agirem de forma incoerente com a proposta de atuação. A consequência? Muita teoria, pouco resultado e perda da credibilidade.

Há uma falsa ideia de que jovens com pouca vivência profissional não devem abrir seu próprio negócio. Certamente, a experiência é um fator de peso, seja ela positiva ou não, no entanto não representa garantia de sucesso. O perigo não está nos curtos períodos de atuação, mas, na convicção “Cansei de ser empregado, estou ponto para empreender”! Uma ideia que camufla, muitas vezes, o despreparo de potenciais profissionais excessivamente otimistas.

No Brasil, há uma elevada incidência de pessoas que empreendem por necessidade, mas há também os casos por vocação e “por confusão”. O primeiro e o último tendem a gerar resultados insatisfatórios com mais frequência. Enquanto uma boa fatia da população enfrenta o fantasma do desemprego, muitos dos que estão trabalhando se iludem e acabam enxergando o empreendedorismo como solução para se livrarem de chefes e colegas com os quais não se relacionam bem, empresa que não oferece oportunidades de crescimento, muito trabalho e pouco dinheiro, etc… Quando estes são os únicos motivos para se criar o próprio negócio, o melhor que se tem a fazer é continuar sendo empregado.

Não é a idade, a área de atuação ou os “muitos anos de experiência” que trarão garantias de sucesso a um empreendedor e sim o seu perfil, preparo, capacidade e identificar e criar oportunidades, a sua proposta de atuação junto ao mercado, o que agregará de valor no seu meio, suas habilidades, muito trabalho – aliás, bem mais do que antes, enquanto empregado – sua capacidade de liderança, gestão, inovação e visão. Pontos que podem ser desenvolvidos quando os profissionais buscam mais ouvir do que falar, mais aprender do que ensinar.

Embora seja um dos maiores aliados do empreendedor também no processo de aprendizado, no desenvolvimento da capacidade perceptiva, nas previsões, antecipação de falhas e prejuízos, o planejamento é visto como perda de tempo, dinheiro e até mesmo como uma ferramenta burocrática desnecessária. Esta etapa se faz essencial não apenas ao projeto de um negócio, mas, igualmente ao desenvolvimento da capacidade do empresário em tomar decisões favoráveis ao alcance de seus objetivos, metas pessoais e profissionais, em curto, médio e longo prazo.

Existem as falhas que podem ser facilmente corrigidas e aquelas que jamais serão apagadas de uma marca, por mais que se invista em recalls, campanhas e demais ferramentas. A transparência, honestidade, ética e humildade devem ser presença constante em qualquer prática, carreira ou negócio. Saber como fazer hoje não quer dizer muito, pois, o conhecimento pode ser perecível se não for regado e cultivado constantemente.

Sobre quando se está pronto, isso não existe! Você poderá “fazer e acontecer em tudo o que desejar” no momento em que for capaz de compreender que cada dia é um novo começo, o que requer muito empenho e aprendizado contínuo, independente de sua idade, formação profissional e tempo de experiência. Não basta “estar cansado de ser empregado” é preciso saber “o porquê do querer empreender”, se “por vocação ou por confusão”. Fique atento! Grande abraço e até o próximo post!

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL

Zélia Oliveira

0

Zelia Oliveira

9 comentários sobre “CANSEI DE SER EMPREGADO, “estou pronto para empreender”!

  1. Zélia,
    minha esposa eu sempre discutimos em que empreender ? Hoje na nossa sociedade trabalhamos em empresas estagnadas, empresas que não olham e nem olharão o que funcionário pensa, que dizer, não estão abertos a novas mudanças. Eu acho que o momento de empreender é quando tudo ao seu lado esta preso, entra naquilo que você falou sobre colegas, chefes, limitações etc. Você ser empregado você esta “seguro”, mas e a felicidade ? Sabe aquele tesão de ter matado um leão por dia, e não de ter carregado um.
    Muito legal o post. Parabéns !!!

    0

    [Reply]

  2. Olá Denver London! Que bom que gostou, obrigada! Sim, a felicidade é essencial à “saúde do empreendedor, dos stakeholders” e, consequentemente, à “saúde dos resultados esperados” pela organização que acabam sendo um reflexo da realização do mesmo. Um dos pontos cruciais é alinhar os objetivos pessoais e profissionais à uma demanda do mercado que também devem ser adaptados aos anseios dos seus colaboradores. Se vocês pretendem empreender, convido-os a refletir sobre a realidade em que vivemos hoje, a abraçarem propósitos maiores, oferecerem mais que produtos e serviços, oferecerem “valor”. Estudem, planejem, preparem-se constantemente, independente do conhecimento ou formação de ambos, mantenham-se atualizados! Participem de fóruns, grupos,discussões, feiras, eventos, cursos, acompanhem matérias, artigos, etc.. E lembrem-se, uma vez planejado, revejam as ações e estratégias adptando-as às mudanças e novas demandas. Não exitem em buscar ajuda especializada. Trata-se de um investimento que é facilmente transformado em resultados. Muitas vezes, apenas o que prejuízo que você “deixa de ter” já é suficiente para arcar com a contratação de profissionais/empresas qualificadas. Neste artigo falo plano de negócio e erros comuns que identifico junto às empresas, no dia-a-dia: http://www.ideiademarketing.com.br/2012/05/07/empreendedorismo-jovem-hora-de-praticar/ Sugiro a vocês, caso tenham oportunidade, a leitura série completa – “Empreendedorismo Jovem” – composta por três artigos. Também a série liderança e outras publicações sobre empreendedorismo sustentável, criatividade, comprometimento, etc.. Um abraço! Sucesso a vocês dois! Continuem conosco! Zélia.

    0

    [Reply]

  3. Ola Zelia, acompanho o canal de vocês e confesso que sou surpreendido inúmeras vezes pela qualidade dos textos, dicas, curiosidades e etc. Gostaria de compartilhar um pouco minha situação para ouvir sua visão. Ao finalizar meus estudos no ensino médio nunca tive visão acadêmica, por mais que soubesse a importânci de ser formado em algo, meu foco era concurso para trabalhar logo e ganhar o meu dinheiro, em 1 ano e meio fazendo Direito com uma bolsa integral conheci diversos vendedores e diretores do mundo de TI através do pai da minha namorada e resolvi apostar nas vendas, desde então mudei meu curso na faculdade para Administração, fiz cursos de curta duração na FGV, intercâmbios em casa de americanos e estagiei em uma empreaa do ramo elétrico com finanças e na HP software (onde conheci o que é uma enpresa global), com isso e outros investimentos no curriculo e sucesso por onde passei, fui convidado para receber 300% a mais e trabalhei por 1 ano em uma revenda nacional até alcançar vendas na HP Software, compondo uma equipe de 15 vendedores para todo o Brasill.
    A grande questão é que no ano passado iniciei uma empresa com um amigo de infância, que é um exímio design, com habilidades ilimitadas para web e com visão comercial. Passamos 6 meses planejando e criamos algumas características que nos tornam únicos para o mercado, poderia escrever 10 mil linhas sobre a nossa Agência, a Quick Agência, que tem seu funcionamento online e com 2 contratos pequenos que alcançamos trabalhamdo após nossos horários de trabalho nos rende um aumento no salário fixo de cerca de 15% com garantia de 1 ano e meio de contrato.
    Tenho pensado muito em considerar o meu negócio como trabalho primário, mas é impossível ignorar o futuro promissor que a HP pode me proporxionar apesar de toda a pressão, complexidade, viagens excessivas e exigencias técnicas que não foram construidas de maneira planejada. Tenho 23 anos recém formados e sempre ouvi o conselho de pessoas que admiro, adoraria ouví-la e tirar algo que nunca havia pensado para minha decisão. Obrigado!

    0

    [Reply]

  4. Olá Gabriel, desculpe a demora,estive ausente por questões pessoais, mas já estou de volta! Agradeço imensamente por compartilhar tudo isso conosco e fico muito honrada! É uma grande alegria para toda a equipe e para mim, sabermos que estamos contribuindo de alguma forma.

    Vamos lá: essa visão de final de ensino médio é muito comum, afinal, trata-se de uma fase que ainda que façamos escolhas, só o tempo vai nos dizer quais serão temporárias e quais realmente vão evoluir e permanecer conosco. Na sua idade, mesmo diante de sua bela trajetória, acredito que ainda esteja na fase das descobertas, por isso não se cobre tanto.

    Bem, quanto à sua questão final, realmente, trata-se de uma decisão que envolve uma elevada diversidade de fatores que precisam ser considerados. Também bastante difícil de se opinar.

    Sua evolução profissional vem mostrando sua capacidade em gerar resultados, caso contrário não seria mantido nesta posição por uma empresa deste porte.

    Como em quaisquer outras decisões, você precisa colocar os prós e os contras de cada situação. É preciso avaliar o que você quer “com mais intensidade” para a sua vida. Lembrando que isso envolve especialmente o que você se dispõem a abrir mão.

    Contratos são importantes, mas não dizem muito quando se trata de uma empresa que precisa se sustentar, fortalecer e inovar constantemente para crescer.

    Empreender requer muito aprendizado, esforço, aprendizado, dedicação, aprendizado, determinação…

    Costumo dizer que estamos prontos para empreender quando não nos importamos em trabalhar e trabalhar recebendo menos do que estamos acostumados no final do mês.

    Bem, este é um dos pontos a ser considerado. Não tenho informações para lhe passar uma orientação fundamentada, qualquer que seja a sua escolha envolve riscos e esforços extras. Você precisa avaliar quais condizem melhor com os seus propósitos, hoje, daqui a cinco e dez anos, por exemplo.

    Gostaria de convidá-lo para ler a série “Empreendedorismo Jovem”, caso tenha oportunidade, pois, acredito que possa lhe ser útil.

    http://www.ideiademarketing.com.br/2012/05/07/empreendedorismo-jovem-hora-de-praticar/

    Também “Empreendedorismo: “Ideias precisam de ideais”

    http://www.ideiademarketing.com.br/2012/06/11/empreendedorismo-ideias-precisam-de-ideais/

    Espero ter contribuído de alguma forma. Um grande abraço! Muita inspiração e resultados para a sua semana! Sucesso!

    Zélia Oliveira.

    0

    [Reply]

  5. Gostei da explicação!

    Realmente o fator planejamento é muito importante!

    Eu “quebrei a cara” em 2 negócios por causa da minha auto confiança exagerada . Coisa esta que me fez achar que PLANEJAR era PERCADE TEMPO.

    Hoje descobri por que CAI e agora vou investi em outro projeto e dessa vez vou confiante na vitória mas com os “Pés no chão”

    Abraços!

    0

    [Reply]

    Zélia Oliveira Reply:

    Bom dia! Obrigada por compartilhar conosco seu aprendizado! Fico feliz que tenha gostado. Os erros são uma ponte para o crescimento e a evolução. Desejo-lhe muito sucesso em sua nova jornada!
    Abraços,
    Zélia Oliveira.

    0

    [Reply]

  6. Ola Pessoal

    Sei que muitos aqui estão cansados de trabalhar em vão, hoje posso dizer que me sinto feliz por conhecer as pessoas no qual me ajudaram a enxergar e a conseguir o que tenho hoje.
    Caso alguém tenha interesse em conhecer e mudar de vida deixo abaixo meu Skype. equipe.londres

    Obrigada

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *