fbpx

O que o xadrez me ensinou em um mundo de estratégias

O que o xadrez me ensinou em um mundo de estratégias

Há algumas semanas comecei uma experiência que está me proporcionando um grande aprendizado: entrei para o Clube do Xadrez da cidade.

Toda sexta saio do trabalho e vou aprender com gente de todo o tipo e idade. Ainda não sou e, na verdade, estou beeeeeem longe de ser um expert no assunto. Mas os encontros me fizeram aprender e observar, entre outras coisas, algumas lições úteis para que as empresas consigam chegar a check mats que conquistem seus consumidores.

Aqui vão algumas dicas que o xadrez me ensinou ou apenas me lembrou como um verdadeiro puxão de orelha:

Saiba  gerenciar crises

O xadrez requer muita concentração e paciência, esses dois pontos são imprescindíveis para um bom jogo. E uma situação ocorrida durante uma partida é semelhante a outra em uma campanha ou até mesmo no decorrer da vida de uma empresa.

Você pode estar melhor que o adversário, com um bom plano para a vitória e as peças muito bem posicionadas. Mas toda essa confiança pode vir por água abaixo quando você perde uma peça importante do tabuleiro.

E é aí que entra um fator importante: saber gerenciar crises.

É preciso manter o controle, respirar fundo e ter calma para traçar uma estratégia que amenize as feridas do imprevisto, até porque, muitas crises acontecem sem que haja previsão, o mesmo quando você perde uma peça sem esperar.

Não subestime o adversário

Primeiro, prepare a casa. E depois ataque.

Um erro comum que cometia no início era querer atacar logo, vencer logo no começo da partida, sem primeiro formar uma estrutura forte para a defesa, sem formar um respaldo sólido para a estratégia de ataque. E o que isso tem a ver com uma empresa?

Antes de querer um site, um folder ou algum outro tipo de material de comunicação, prepare a casa. Como está seu atendimento, seu serviço, seu produto? E sua logística, a motivação de seus funcionários ou seu ambiente de trabalho?

Muitas empresas procuram a solução na comunicação, mas esquecem de se organizarem, planejarem, esquecem que precisam de um propósito para depois partir ao ataque e conquistar clientes.

Tenha sempre um segundo plano

Muitos jogadores traçam “estratégias pré-definidas” ou trazem jogadas prontas no gatilho. Muitas delas funcionam, aliás, todas podem funcionar. Porém, você nunca sabe o que seu adversário fará, um simples movimento e o que planejou terá que ser refeito.

Essa situação se aproxima ainda mais das empresas, pois o tempo que terá para resolver problemas ou  traçar novos objetivos é curto, cada segundo que passa será decisivo para o seu sucesso ou fracasso.

Dê importância para todo o time

Uma boa estratégia precisa contemplar e contar com a eficiência de toda a equipe. Quando todos focam em um objetivo juntos, os movimentos (ou funções) deixam de ser vistas como individuais e formam uma coletividade que pode ultrapassar qualquer tipo de barreira.

Lembre-se: o jogo só faz sentido quanto todos se movem na mesma direção, tomam um mesmo rumo e lutam pelo mesmo ideal.

Sua empresa segue e age com um mesmo posicionamento de ponta a ponta?

Atrás de qualquer estratégia estão… pessoas

Talvez essa seja a dica mais importante.

Você não imagina como é legal ver pessoas de diferentes idades, vontades e particularidades, planejando e traçando estratégias para a vitória.

E independente da estratégia que levará ou não a vitória, estão pessoas comuns.

Como pode você não dar valor ao capital intelectual? São pessoas que movem o mundo e elas podem mover também a sua empresa. É preciso SIM investir em design, em inovação, em tecnologia,… mas meus amigos, o mais importante é se investir em pessoas. Seja capaz de encontrar o ponto positivo das pessoas, fortaleça isso nelas, motive-as. Invista em cursos, mas também em conforto e em satisfação pessoal.

0

Paulo Lima

Acredita que somente pessoas são fator de mudança. Fundador e Gestor do Ideia de Marketing, é consultor em marketing e branding.

7 comentários sobre “O que o xadrez me ensinou em um mundo de estratégias

  1. Parabéns, Paulo! Mais uma bela contribuição! Ótimo artigo e analogias! Você pode até não estar tão bom no xadrez, rsrsrs… mas seu trabalho está cada dia melhor! Gostei muito! Show!

    0

    [Reply]

  2. Excelente …. muito bom mesmo Paulo!
    Apesar de poucas palavras e um texto curto (o que também é muito bom), fou otima a comparação entre essas duas “modalidades” e creio que existam citações descritas acima validas para qualquer situação embaraçosa que possa ser vivenciada.

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *