fbpx

Um passeio sensorial por um supermercado (parte 1/3) – Brandsense IX

Um passeio sensorial por um supermercado (parte 1/3) – Brandsense IX

Continuo, hoje, a série BrandSense de forma um pouco diferente do convencional.

Já pontuei aqui, estratégias importantes para as marcas no universo sensorial, como o som, o cheiro e a textura das marcas.

Hoje, gostaria de dar um exemplo mais prático e resolvi escolher um dos “centros comerciais” mais fascinantes (na minha opinião): os supermercados. Vejo diversas formas de trabalhar os cinco sentidos em supermercados. Porém, poucos exploram a oportunidade de se conectarem com seus consumidores além do uso da visão, por exemplo.

Digo inclusive que em pequenos mercados há a possibilidade de um trabalho amplo de diferenciação e fortalecimento de marca por investimentos acessíveis, levando-se em conta o valor de um anúncio em um jornal, por exemplo, que pouco faria efeito neste caso.

Mas como trabalhar então de forma sensorial? Obviamente, darei aqui apenas alguns exemplos que devem ser estudados caso a caso, mas  tenho como objetivo inspirar algumas ações efetivas não apenas em supermercados, mas em outros estabelecimentos onde as estratégias abaixo podem ser facilmente adotadas. Vamos as ações:

Visão

O sentido mais explorado, não apenas nos supermercados mas em todo mundo mercadológico, é ainda pouco efetivo nos supermercados, tendo em vista ações que são “feitas por fazer” e não para criarem um vínculo com a marca ou um apelo para vendas. O que podemos levar em conta neste contexto:

Fachada: sabemos que a primeira impressão é a que fica. E como seu loja está se apresentando? Tente fazer o seguinte exercício: fique em frente a sua loja e pense “o que” sua fachada fala pela sua marca. Muitos deixam por anos uma mesma placa não dando a devida importância a isso. E vá além da placa, mas pense na pintura e arquitetura, elas dizem o que sobre sua identidade? Inclua um estacionamento bem apresentável e com um bom serviço para ter um ótimo “bem-vindo” ao cliente.

Cartazes: os famosos cartazes amarelos com escritas em vermelho ainda são os favoritos dos lojistas. A visão é um dos principais “formadores de lembrança da marca”. E neste sentido, pouco há diferenciação. Mude esses cartazes por algo diferenciado. Quem disse que precisam ser cartolinas amarelas? Use sua criatividade para ir além da mesmice.

Gôndolas: nada pior que encontrar gôndolas desarrumadas ou faltando produtos. Mas podemos ir além neste quesito: a falta de criatividade. Produtos arrumados de forma diferenciada aguçam a curiosidade e nos fazem notar produtos por mais tempo (fator que vale ouro na hora das compras). Já existe um trabalho forte (por mais que eu ainda ache pouco) em PDVs de grandes mercados. Mas nos pequenos a falta de organização e criatividade ainda são falhas. Podemos comparar este tipo de prática com vitrines “sem graças” de lojas de roupas. Por que não explorar este item?

Luz: a iluminação de sua loja tem um poder muito grande em criar sensações. Não digo para mudar a iluminação inteira, mas em alguns setores, o uso da luz constrói atmosferas relacionadas ao perfil deste setor. Um exemplo comum: o uso de uma  luz amarelada na adega, transformando o ambiente em algo mais nobre e confortante. E por que não pensar nisso em outros setores como uma luz branca (mais forte) na parte de produtos tecnológicos?

Comunicação e sinalização: manter o cliente por mais tempo na loja deve ser sempre um dos principais objetivos. E para criar uma experiência que ajuda nisso, é preciso mantê-lo confortável durante a compra. A comunicação e sinalização devem estar sempre bem alinhadas para que seu cliente não se fruste ao precisar procurar um banheiro ou ir a algum setor específico. Como anda a sua sinalização no interior da loja?

Ambientes: uma estratégia ainda pouco comum é criar ambientes no interior das lojas. Exemplo: perto das carnes, crie um ambiente que lembre um churrasco com os amigos. Traga mais familiaridade para sua loja!

Esses são alguns pontos onde o sentido da visão interfere em uma experiência de marca diferenciada em um supermercado. Amanhã, irei continuar a explorar outros sentidos. Se quiser, deixe um comentário com alguma dúvida ou sugestão sobre essa proposta de post. Será muito bem-vindo!!!

0

Paulo Lima

Acredita que somente pessoas são fator de mudança. Fundador e Gestor do Ideia de Marketing, é consultor em marketing e branding.

2 comentários sobre “Um passeio sensorial por um supermercado (parte 1/3) – Brandsense IX

  1. olá achei interessante as dicas no qual eu já sabia, mais como faço um cartaz mais moderno e bastante visível e quais os melhores tipos de sinalização de corredores.

    obrigado

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *