fbpx

Conhecendo bem a chave para ela girar e a porta se abrir

Conhecendo bem a chave para ela girar e a porta se abrir

Podemos entender relacionamentos como um processo de encontrar, cultivar, alimentar e expandir amizades, daí quando colocamos um valor especial chamado entrosamento cria-se uma sinergia entre os indivíduos.

Imagine por um momento que você desenha uma chave para se encaixar perfeitamente em uma fechadura particular. E imagine mais, agora você vai para uma entrevista de emprego ter um bom networking que lhe possibilite ascensão para tal vaga ou uma melhor colocação profissional e conhecer o dono dessa chave. Tendo relacionamento com o proprietário da chave, ou de um amigo do proprietário, a probabilidade da chave girar e abrir-se para você é muito maior. Não tem mistério, a plenitude de um relacionamento pode iniciar com facilidade, elegância e suavidade. Networking não exige formalismos do mundo corporativo, nada mais é do que uma comunidade seletiva – atividade permanente vitalícia. Relacionar-se é intrínseco do ser humano. Mas, afinal de contas o que é relacionar-se?

Fonte: http://bit.ly/HWxA0t

Podemos entender relacionamentos como um processo de encontrar, cultivar, alimentar e expandir amizades, daí quando colocamos um valor especial chamado entrosamento cria-se uma sinergia entre os indivíduos. O valor de relacionar-se entre seres iguais se torna quase uma necessidade, principalmente nos dias atuais que a doença do século se chama depressão e muitos estão “confinados” com suas tecnologias e se esquecendo da beleza dos relacionamentos. Em uma palestra apresentei aos participantes uma rede social para animais de estimação e muitos ficaram intrigados e achando estranho, mal sabiam que estávamos diante de uma ideia original. Um site como a www.dogster.com nada mais é que “os seres humanos entrarem em contato uns com os outros” e como dito na Newsweek “Donos de cachorros que se comunicam entre si, principalmente através da voz de seus animais, em geral acabam fazendo amigos humanos”.

O que atrai você para conhecer uma nova pessoa? Concordas que nos identificamos com certas pessoas ou marcas e há aqueles que você “não vai com a cara” ou o “santo não bate”? A propaganda e as relações públicas contribuem para isso. Há pessoas que sabem causar uma ótima impressão, pois aceitamos o que elas “vendem”. Quem não queria conhecer indivíduos como Oprah Winfrey, Julia Roberts, Bono Vox e Barack Obama? E não é preciso nenhuma estrela para fazer com que tenham interesse em girar a chave em direção a você, o problema é que nos limitam desde crianças e muitos não conseguem se libertar e reforçar sua essência. Como diria Tom Robbins “O que limita as pessoas é o fato de elas não terem coragem para estrelarem seus próprios filmes”.

Um dos erros mais comuns na prática do networking é concentrar-se nas próprias necessidades, esquecendo que tal prática é uma via de mão dupla, que é muito mais doar do que receber, não é? E por pensar em si deixam de lado uma oportunidade de ser útil e dar ou acrescentar na vida de alguém. Favor não confundir networking, relacionamento e amizade. Relacionamento pode ser entendido como doutorado do networking, enquanto um aperto de mão possibilita a criação de uma rede profissional, um abraço, o sentimento verdadeiro possibilita relações duradouras. A capacidade de estabelecer uma relação duradoura é bloqueada por alguns fatores como: falta de um senso comum, ausência de compartilhamento de valores, carência de princípios e metas. Desejo que você conheça o dono da chave ou desenhe uma para alavancar sua carreira ou sua colaboração por um mundo melhor! Bom networking! Estamos conectados!

0

Saulo Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *