fbpx

Mala Direta, Newsletter e as black lists – E-mail Marketing na Prática I

Mala Direta, Newsletter e as black lists – E-mail Marketing na Prática I

Há alguns meses atrás, tive uma experiência como Gerente de Marketing Digital de uma holding de sites de compras coletivas, e como nesse ramo é inevitável a utilização do e-mail marketing, logo era de vital importância que eu me aprofundasse no assunto. E é exatamente este conhecimento que eu gostaria de compartilhar em uma série de posts com vocês, começando por hoje.

O e-mail marketing tem tomado o espectro do vilão da internet, pois ao contrário do que ocorre nas mídias tradicionais, na internet os usuários não têm grande tolerância à “propagandas intrusivas” – ou seja, aquelas que elas não solicitaram ou concordaram o recebimento. Ideologias a parte, na prática o e-mail marketing é uma ótima ferramenta para sua estratégia que pode ser utilizada principalmente de duas formas e com dois objetivos distintos:

1- Mala Direta Eletrônica

Objetivo: Venda por impulso
Oferecer descontos vantajosos, informar que sua empresa possui o produto mais procurado do momento no mercado ou um grande mix de produtos, inseriu novos produtos ao portfólio,etc.

2- Newsletter

Objetivo: Relacionamento
Disponibilizar conteúdo relevante aos seus clientes, leitores ou visitantes, com a comodidade de não ter a necessidade de visitar diariamente seu site.

Na grande maioria dos casos o modelo campeão de reclamação é o número 1: Mala Direta Eletrônica, pois é aquele que obriga empresas que estão iniciando suas ações a comprarem bancos de e-mails de empresa especializadas, os chamados mailings lists, pois a grande maioria das empresas não verá lógica em contratar uma ferramenta de disparo de e-mails por R$ 10 mil/mês para realizar o disparo de 300 e-mails, o que tornaria o custo unitário completamente inviável.

Nesta etapa é extremamente importante que você se atente a qualidade do banco de e-mails que você irá adquirir, pois existe um grande risco técnico do disparo de e-mails marketing, que consiste em ter o IP da sua ferramenta de disparo, ou o domínio que está registrado na ferramenta cair em uma black list. As black lists são listas que catalogam spammers, ou seja, pessoas que praticam Spam – enviam e-mails indesejados. Estas listas são utilizadas por provedores de e-mails, como por exemplo Gmail, Hotmail, IG, UOL, etc, e quando um IP ou domínio entra em uma black list, todos os e-mails daquele provedor que utiliza a lista encaminharão automaticamente os e-mails para a caixa de Spam!

A grande maioria das empresas que vendem mailing lists conquistam e-mails de uma forma “ilegal”. Elas possuem um “robô” que varre a internet em busca de e-mails que estão transitando pela rede, interceptam esta comunicação, capturam os e-mails e adicionam eles ao banco de dados.

O grande risco de comprar um banco de e-mail dessa procedência é que algumas listas deixam “e-mails iscas” (ou bouncers no termo técnico) transitando pela internet, estes e-mails não são divulgados, nem passados para ninguém, então caso, a caixa de entrada receba algum e-mail, a probabilidade de que ele foi capturado de forma indevida na internet é gigantesca, por isso o remetente já pode ser incluído na Black list.

Para evitar que uma black list ponha em risco toda a estratégia de sua empresa, você pode se resguardar da seguinte forma:

No esquema acima, a empresa opta por registrar três novos domínios para utilizá-los exclusivamente para disparo das campanhas de e-mail marketing, isso é importante principalmente para quem está iniciando agora, e não sabe exatamente o que pode levar uma domínio para uma black list, pois caso, o domínio seja classificado como spam, ele não irá interferir no disparo dos outros dois domínios, nem no disparo dos e-mails administrativos, que normalmente usam o próprio domíno do site (seudominio.com.br).

Também é de suma importância que você nunca misture os disparos dos seus clientes reais com seus disparos de prospecção, pois estes e-mails são uma grande riqueza de sua empresa, e você não pode correr o risco de sujar seu IP e deixar de manter contato com estes clientes por vários dias ou semanas!

Outro detalhes que podemos visualizar na imagem acima é o que chamamos de: Tratamento do Banco. Mas isso é tema para nosso próximo bate-papo, onde falaremos ainda da modalidade newsletter de e-mail marketing.  Até lá e muito sucesso, pessoal!

0

Rodrigo Fukunaru

6 comentários sobre “Mala Direta, Newsletter e as black lists – E-mail Marketing na Prática I

  1. Informação mais que útil – essencial. Muito obrigado Rodrigo, uma verdadeira aula para quem trabalha com email marketing ou quer trabalhar com ela. Vou guardar este texto nos meus favoritos e aguardarei os próximos. Qual será a periodicidade da publicação?

    0

    [Reply]

  2. Olá pessoal, obrigada por acompanharem as publicações do Ideia de Marketing!
    Também acho o tema muito relevante e terá continuação, pois há muita coisa bacana e interessante, que merece ser abordada, dividida e passada adiante.
    Fabio Santos esta série será semanal, com novas postagens todas as terças-feiras.
    Conto com a leitura e este apoio sensacional de vocês!
    Muito obrigado e um grande abraço, até a próxima postagem!
    Rodrigo Fukunaru

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *