fbpx

Planejando na “vida real”!

Planejando na “vida real”!

Há alguns anos, ainda na faculdade, as metodologias e os “esqueletos” de trabalho (famosos esqueletos) ainda faziam um grande sentido para mim.  Até que eu encontrei a vida real. Não quero dizer que nada mais daquilo fez sentido, claro que fez! Como ter um bom planejamento sem levantar o perfil do consumidor? Como entender o mercado sem levantar as influências macro e micro ambientais?

Mas quando ingressei no mercado de trabalho, descobri outros fatores que um bom planejamento precisa ter. E uma das lições mais importantes que aprendi é: mantenha o sentido da realidade em seu planejamento. Ou seja, não mude sua HISTÓRIA REAL, por “mera teoria”.

Quando estamos trabalhando com clientes reais, consumidores reais, aprendemos que é preciso planejar muito além de um método. É preciso ter sensibilidade e entender comportamentos. Só assim, podemos ter  insights que agreguem valor, e que no fim, o planejamento possa encantar e ser eficaz. O estudo, o conhecimento, são base para bons insights, mas eu não acredito que eles vêem de histórias baseadas em uma ciência. Não enfeite seu planejamento, seja direto, objetivo, boas ideias são simples. Quando você começa a levar em conta mais a prática, a teoria vira uma base (como eu disse).

Tenha um repertório para entender o consumidor. Até porque, insights vem de vivência, de momentos capazes de entender problemas e resolvê-los, em um instante lúcido. E como conseguir este repertório?

Acredito que esta vivência vem de momentos em que entendemos situações através de outros olhares. Como por exemplo, em peças teatrais, filmes, boas músicas, bate-papos, etc. Claro que além disso, na rua ou aonde seu consumidor estiver. As pequisas e estudos aliadas a estes “momentos” podem fazer com que você chegue a um planejamento consistente, conseguindo transmitir uma essência e chegar ao resultado esperado pelo cliente.

Na verdade planejadores têm particularidades na hora da botar a mão na massa, mas aliar estudo à sensibilidade pode ser um bom começo.

Texto inspirado no artigo de Fernando Ribeiro ao Unplanned. 


0

Paulo Lima

Acredita que somente pessoas são fator de mudança. Fundador e Gestor do Ideia de Marketing, é consultor em marketing e branding.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *