fbpx

Na Tela da Tevê

Na Tela da Tevê

 

A Televisão é uma janela da vida, uma janela que tantas vezes parece refletir nossas mais fascinantes e assustadoras experiências. Sentimos tamanha atração por ela, que muitos de nós desperdiçamos preciosos minutos em sua função, ao bel prazer. Uma Universidade Britânica realizou uma pesquisa em que foi comprovado que cada hora à frente da televisão pode encurtar a vida de uma pessoa que não pratica exercícios em até 2,2 minutos. Preciosos minutos em frente à janela da ficção, distantes do exercício da vida real.

Em frente à TV parecemos sentir na pele as cenas e notícias, ora, pouco experimentadas em nossa realidade, mas sempre alimentadas pela nossa imaginação. Nossa curiosidade toma a frente, damos um jeitinho de espiá-la, até a espera sem TV é um marasmo, onde está nossa companhia quadrada e colorida?!

Suas mensagens parecem ocupar todas as frestas e poros da sociedade, ela é mágica, é próxima, causa-nos um êxtase de sensações. Sentimos o que vemos, falamos o que ouvimos, discutimos o que pensamos… tudo muito próximo as nossas rotinas, esbarrando em nossas vivencias diárias. Discretamente somos induzidos a pensar e almejar o que nos habituamos a ter como bem estar, conforto, agindo como robôs e comprando o que vendem, seja relógio sem ponteiro ou pente sem dente, tudo isso é tão encantador, que até nos sentimos realizados assim, ó doce ilusão midiática!

Fato é que, a TV é sim, como nós: bem e mal.

Se assim, quem viverá um lado só? Informações diversas, viagens sem sair do sofá, filmes, novelas, programas e seriados dos quais inevitavelmente nos tornamos clientes apaixonadamente e fiéis! Causas nobres, fortes polêmicas, tabus, bordões, e uma trilha de temas de interesse popular. A moda é vendida, o conceito é lançado, a opinião é tão televisiva. A violência? Fichinha! Faz parte do conformismo do século.

Não me assusta que ela seja uma janela aberta para tudo, mas acho também que o público, o telespectador, é demasiadamente assediado pela violência massiva das mídias, sem sequer saber de tamanha manipulação, por puro charme deste meio riquíssimo de comunicação.E é assustador o fato desta janela ser fresta para nos debruçarmos com todas as nossas cômodas curiosidades, ingerindo informações editadas, decoradas e enfeitiçadas pelo nosso “plateísmo”.

É muito bom ter uma janela colorida e interativa, do qual você possa observar e estimular seus sentidos, ver da telinha para a sua própria vida, ser seu próprio ibope e dali interpretar o seu papel, de autor de sua própria história, seja ela uma comédia, um romance ou um terror, quem sabe? O importante é encontrar arte na vida, ter autenticidade com o que vemos, ouvimos e falamos para não nos influenciarmos com o comum, sua opinião é fundamental, afinal:

A gente se liga em você!

0

Juliana da Matta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *