Perguntei sem dó nem piedade, sem opção, sem chance de pensar o contrário (ou não?). Chamei meia dúzia de amigos que são verdadeiros especialistas no assunto “branding” e fizemos essa “brincadeira”: Por que podemos acreditar no branding? O que nos faz pensar que ele tem muito a crescer? O que está acontecendo ou vai acontecer...