Em “Mude ou Morra”, os autores afirmam que o conhecimento acumulado pelo ser humano tem dobrado ano a ano. E o que isso significa? Que cada vez mais temos insumos para fazer diferente, fazer melhor. Mas isso só acontece a partir de mudanças. Mudar não quer dizer jogar pela janela tudo que foi construído e começar do zero novamente. Uma mudança está mais relacionada com pegar aquilo que se aprendeu e colocar em um lugar diferente. Assim como um móvel, você carrega seus aprendizados e faz com que eles saiam do lugar que estão e encontrem novas formas de pensar e oportunidades.  

Se, por um lado, o mundo corre acelerado no caminho das transformações, por outro, é comum encontrar quem fala sobre “determinada pessoa é resistente à mudança”. Há diversos argumentos que tratam sobre os processos necessários para mudar. Pense em uma empresa, é fundamental que o movimento esteja alinhado com a cultura organizacional. Por isso, é que em “Você resiste à mudança?”, é abordada uma questão bastante importante. Quando você diz que alguém não está preparado ou não quer mudar, está transferindo toda a responsabilidade para o outro. Um dos exemplos citados é: “ele resistiu a um convite mal feito”. Na verdade, resistiu a uma falta de conexão com o que foi proposto ou, ainda, o convite não soube transmitir o valor de aceitá-lo. É necessário ponderar.

Então, diante de tudo isso, como ser um líder que não só apoia mudanças, mas traz inspiração suficiente para que ela aconteça? Não utilizando a resistência à mudança como um empecilho para fazer acontecer. Pode parecer “simples na teoria e  difícil na prática”, mas vamos seguir adiante. Em “How To Be A Leader That Inspires People To Change”, o especialista Darius Foroux traz algumas considerações que podemos utilizar para nos transformar em líderes que inspiram mudanças. Primeiro, a liderança não está relacionada com o trabalho, mas é uma habilidade que qualquer pessoa deve ter. Líderes não nascem, apesar de algumas pessoas serem naturalmente mais dominantes. O essencial é entender como você lidera, como leva pessoas a segui-lo e como faz com que ouçam suas ideias. São reflexões que irão auxiliar nos processos de mudança.

Se você quer uma equipe aberta a mudanças, seja você mesmo aberto. Se quer uma equipe positiva, o líder deve ser positivo. Exerça a liderança pelo exemplo. De forma contundente, a responsabilidade da resistência ao que está por vir ou a melhorias não é só do funcionário ou da equipe, mas, essencialmente, do líder. É uma responsabilidade coletiva. Aqui líder não quer dizer ser um gestor ou coordenador, lembre disso, é mais do que títulos. Por esse motivo, é preciso que todos saibam que independentemente de sua função dentro da empresa, cada um pode definir seu papel e dar o exemplo certo.

Como dar o exemplo correto?

Para entender como Darius Foroux aplica sua liderança pelo exemplo e define o que é “o exemplo certo”, vamos conhecer algumas das premissas praticadas pelo especialista:

  1. Esperar dos outros apenas o que espera de si. Ele nunca pede para os outros algo que ele não está fazendo.
  2. Se der errado, fique calmo. A vida não se trata de uma série de problemas resolvidos, desafios irão aparecer. Portanto, não tome decisões rápidas. Fique calmo e pense.
  3. Se algo foi feito errado, admita. Sempre aprenda com algo que não deu certo, deixe o rancor de lado e siga em frente.
  4. Tenha claro seus valores e regras. As pessoas devem levar você a sério, é normal ter certas coisas que não se aceita, como, no caso dele, pessoas preguiçosas que não o respeitam.
  5. Respeitar os outros e não tentar mudá-los ou dizer o que fazer. Você só pode mudar a si mesmo e dar o exemplo certo, mesmo sabendo que isso pode levar mais tempo..

Se nós mudamos, os outros também podem se sentir inspirados a mudar. E se, depois de tudo isso, as pessoas não mudarem? Não quiserem? Avalie quem são as pessoas que estão ao seu lado e se são as pessoas certas. Ser líder é também entender e selecionar.

banner clique
The following two tabs change content below.

Janine Costa

Especialista em Inbound Marketing, Planejamento Estratégico de Comunicação e Marketing Digital. Formada em Comunicação, pós-graduada em Marketing para Mídias Sociais e com experiência em agências e clientes de vários portes e segmentos. Também realiza Palestras e Workshops com foco em Inbound Marketing e Produção de Conteúdo Criativo.