Começar o ano priorizando o tema: gestão de crise nas mídias sociais no planejamento estratégico é a minha sugestão para os profissionais de comunicação. E as motivações para essa abordagem serão explicadas, detalhadas e justificadas. Crises podem ser previstas, evitadas, contornadas e, principalmente, gerenciadas. Uma vez que acontecem em rede social, necessitam de profissionais munidos de inteligência emocional e despidos de qualquer verdade absoluta.

Ter uma equipe assim, requer capacitação, conversas constantes e certificação de que todos vivem e comungam dos mesmos valores da empresa!

Primeiro: esse ano já mostrou logo de início que será regado de polêmicas, mas nem tudo que é top trend merece a atuação da sua marca para surfar a onda e ficar em evidência. Verifique com cautela quais temas de fato serão relevantes e estarão alinhados com os valores sólidos da empresa. Lembre-se: o discurso vazio não traz engajamento, e pior, te faz perder credibilidade.

Segundo: providencie uma lista das possíveis situações que poderão ser temas que irão exigir maturidade na análise de um post não programado, postar por impulso ou pelo simples fato de todo mundo estar fazendo não justifica que você se posicione da mesma forma.

Terceiro: comunicação sempre exigiu empatia, reflexão, planejamento e profissionalismo. Mmas no contexto atual, além disso, é necessário termos senso de urgência e capacidade para dizer não. Escolher o lado contrário, o de ficar quieto, não significa que a empresa (marca) não esteja atenta ao contexto, mas pode comunicar que ela prioriza temas sólidos e relevantes de fato para sua comunidade, seus consumidores e a humanidade de modo geral.

Quarto: presumo que o termo LICENÇA SOCIAL será mais debatido esse ano e, portanto, merece que façamos uma breve fala sobre ele. Assim, uma marca para alcançar essa licença, isto é, para que seja aceita, comercializada e debatida em determinadas comunidades sociais,  precisa de muito esforço. Logo, posso afirmar que ela não consegue esse feito de forma viral ou sem motivos reais. E por isso deve ficar atenta e buscar mensurar quais licenças alcançou e quais corre o risco de perder por entrar em debates infundados.

É fato que determinados assuntos são muito subjetivos e parecem fugaz e exatamente por essas razões merecem mais atenção na hora da criação de campanhas e postagens.

  • Dicas:
  • Faça análise  de risco sempre e use a ferramenta da gestão das partes interessadas;
  • Reforce os valores da sua marca para que todos possam reconhecer e principalmente vivenciar;
  • Responda o seu público pelo canal que eles te procurarem e responda rápido, não imponha suas regras de comunicação administrativa as pessoas que queiram falar com sua marca.
  • Escute o que seu público comunica, perceba seus anseios nas entrelinhas. Tenha uma equipe especializada em escuta social.
  • Não delete postagens
  • Mais inteligência social, menos inteligência artificial

Reciprocidade é palavra de ordem!

banner clique
The following two tabs change content below.

Tercia Duarte

Graduada em Hotelaria, especialista em Marketing e em Letramento Informacional é Professora Universitária nos Cursos de Publicidade, Administração, Hotelaria &Turismo. Possui um Blog de publicação semanal da Revista Ludovica sobre comportamento na era digital. Mãe do Fernando desde 2009.