O assunto que trataremos aqui requer uma explanação mais profunda de conceitos que não estão difundidos de modo simplista. O propósito é mostrar que precisamos perceber o quanto antes a necessidade latente da mudança de pensamento na hora de fazer as estratégias de marketing e a forma como lidamos com os recursos que já possuímos.

Nos últimos 20 anos vivemos no mundo da incerteza, as métricas são norteadoras e necessárias, mas precisam ser tratadas como algo passível de mudança constante. Aprender a lidar com o novo diariamente e estar aberto a reinventar-se sempre que preciso são características imprescindíveis para criar estratégias de marketing compartíveis com economia atual e disruptiva, presente no nosso cotidiano e que conta com a psicologia positiva para embasar as  nossas tomadas de decisões.

Num passado recente traçar planos e metas de curto, médio e longo prazo, era uma tarefa um tanto quanto menos complexa, visto que o caminho  era basicamente linear, isto é, antes da polarização da internet e o crescimento substancial da tecnologia, os impactos dos acontecimentos em esfera global não eram sentidos de forma tão rápida.

Ocorre que agora nossa forma de lidar com o tempo e os acontecimentos mudou, visto que somos afetados diretamente por meio da informação em tempo real, o engajamento e pertencimento da geração que tudo quer saber e fazer parte, quer ser e abre mão do ter, mas que ainda não está preparada com um respaldo de experiência seguro para basear o pensamento e ação.

Assim, lançar um aprendizado para os ensinamentos da psicologia positiva pode ser uma âncora de salvação neste cenário de incertezas!

Ela  ensina a reconhecermos os recursos que temos posse ao invés de tentar encontrar o tempo todo soluções externas. Mostra ainda as possibilidade de enxergar algo de bom até nos acontecimentos que seriam tratados como  prejudiciais, e nos capacita a sermos melhores sempre. É o verdadeiro fazer o que consegue com o que tem agora!

Você já parou para pensar como tem sido sua postura perante aos desafios que enfrenta na vida, de que forma reage quando passa por uma decepção ou quando um objetivo é frustrado por uma adversidade que não teve o como controlar?

A forma como reagimos em nossa vida pessoal reflete diretamente no tipo de profissional que somos, não existe uma fórmula secreta que nos permita viver vidas distintas. Isto é, se consegue ter controle das situações, procura ter o pensamento otimista e busca sempre as melhores saídas no campo pessoal as chances de alcançar sucesso no trabalho são exponencialmente maiores do que as de uma pessoa sem inteligência emocional e relacional.

A certeza que os recursos são limitados nos molda e conduz muitas das nossas ações, diante disso faço o convite para uma reflexão:

Em uma determinada situação que precise criar uma comunicação para gerar vendas imediatas seu pensamento está focado nos recursos que não possui, no caso nos clientes potenciais que não estão comprando ou seu foco está voltado para melhorar as relações com sua base da dados?

Sua postura estratégica é apontada para a geração constante de leads ou para manutenção responsável do relacionamento com as pessoas que já tiveram alguma experiência com sua marca?

Quando assume um projeto novo, opta por capacitar sua equipe ou sempre pensa em contratar algum especialista para executar as demandas que exigem mais conhecimento especifico?

A ideia aqui não foi trazer repostas prontas, mas aguçar o pensamento para que ele seja direcionado a soluções, e ainda, para que possamos nos posicionar como atores ativos e não reativos. A nossa postura diante dessas situações determina os resultados que tanto almejamos.

banner clique
The following two tabs change content below.

Tercia Duarte

Graduada em Hotelaria, especialista em Marketing e em Letramento Informacional é Professora Universitária nos Cursos de Publicidade, Administração, Hotelaria &Turismo. Possui um Blog de publicação semanal da Revista Ludovica sobre comportamento na era digital. Mãe do Fernando desde 2009.