É sabido que atualmente o mercado está saturado de empresas que, de alguma forma, reconhecem e entendem o investimento em estratégias de marketing como algo essencial para sua sobrevivência.

Diante dessa realidade, quando essa compreensão não está acompanhada por um respaldo técnico e um amplo estudo de profissionais habilitados para a execução correta das ferramentas de marketing, instaura-se um risco da produção de estratégias pouco relevantes, visto que estas podem ser pautadas apenas nas boas práticas de mercado. Isto é mais do mesmo, sem que exista uma preocupação com a pesquisa e inovação.

É preciso pensar em formas diferentes para apresentar a comunicação da organização.

Sair do comum é um desafio constante que pode ser amenizado quando o foco da empresa passa a ser o P&D (pesquisa e desenvolvimento). Você sabia que existe até uma Lei Federal que incentiva a pesquisa por parte das empresas no Brasil?

Ela é a Lei do Bem, Lei 11.196/05 (capítulo III, artigos 17 a 26, de 21 de novembro de 2005, regulamentada pelo Decreto nº 5.798, de 7 de junho de 2006),  criado pelo governo federal e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, que tem por objetivo fomentar a pesquisa e oferecer isenção fiscal para empresas que a aderirem.

Quando o assunto refere-se a estratégias de marketing, determinados cuidados são imprescindíveis, pois, é prática bastante comum pessoas de  diversas áreas tentando se portar como um verdadeiro guru do marketing, capaz de solucionar qualquer situação adversa.  Essa situação tem prostituído o mercado e tornando cada vez mais complexo executar a famosa separação: joio do trigo, o que implica em falta de inovação.

Assim, separamos os principais cuidados e dicas valiosas para que sua empresa  consiga apresentar e criar posicionamento inovador que se destaque das demais:

O primeiro cuidado é saber identificar de fato a qualificação do profissional que irá conduzir as estratégias de marketing na empresa, logo, verificar a formação, passar testes práticos na hora de uma contratação e buscar referências desta pessoa no mercado, nunca é demais.

O segundo está ligado ao mapeamento e acompanhamento das estratégias de perto, o risco das ações serem genéricas é latente, pois não é sempre  que os profissionais de marketing conseguem de fato entender qual a real necessidade de comunicação de cada negócio considerando suas especificidades.

O terceiro cuidado é a certificação que o seu time comunga dos mesmo valores que você e de seus parceiros. Quando falamos de marketing, a intangibilidade é parte crucial, e por essa razão, as pessoas selecionadas para trabalhar  nos projetos precisam ser dotadas de sensibilidade e vontade de aprendizado constante. Conseguir  colocar-se no lugar do outro, essa é a chave para que cada atendimento e estratégia sejam únicos.

A dica de ouro

E para finalizar as dicas e os cuidados, apresentamos a importância da aplicação da técnica da análise dos stekeholders, isto é, das partes interessadas, prática comum para profissionais que estão habituados a trabalharem com gestão de projetos. Aqui embasados no Guia do PMBOK apoiado na forma americana de lidar atualmente com trabalhos que exigem atenção as partes envolvidas, mensuração correta de recursos entre outros conhecimentos fundamentais para decisões inovadoras.

Por isso, liste quem são as pessoas que tem impacto direto nas suas ações, faça um levantamento sobre quais são os principais interesses destas pessoas e por fim, tente identificar quais são os riscos de atender um interesse em detrimento de outro.

Lembre-se, trabalhar com marketing implica em estar disposto a inovar sempre e ser um eterno estudante, pesquisador ávido por conhecimento.

banner clique
The following two tabs change content below.

Tercia Duarte

Graduada em Hotelaria, especialista em Marketing e em Letramento Informacional é Professora Universitária nos Cursos de Publicidade, Administração, Hotelaria &Turismo. Possui um Blog de publicação semanal da Revista Ludovica sobre comportamento na era digital. Mãe do Fernando desde 2009.