Por que meu negócio não anda? Por que não tenho cliente suficiente para me manter? Tenho tantas ideias, por que elas não funcionam? Tenho faturamento e margem, mas não temos conseguido desenvolver mais o negócio, para onde vou? O que fazer para atrair mais clientes? O que fazer para (voltar a) crescer? Meus produtos são bons, por que ninguém compra?

Não é fácil ter empresa ou se responsabilizar por atuar no âmbito estratégico de uma, tendo a incumbência de comandar o negócio, as áreas, e o compromisso de pensar evolução, mantendo algum faturamento constante, olhando para as margens e em como rentabilizar ou projetar a empresa, conforme o sonho ou planos de quem a comanda.

Ao passo que algumas empresas encontram dificuldades para expandir sua presença de mercado a partir de certo ponto de maturidade em que chegam, outras não conseguem desenvolver seu negócio, apesar dos pesares, nos âmbitos mais básicos.

Então, sem dúvidas, as perguntas acima, com as quais abri esse artigo, são colocadas na mesa. E basta um consultor passar perto do negócio para os responsáveis depositarem nele a confiança de que ajudará a encontrar as respostas.

É aí que o perigo mora.

As empresas não precisam de respostas, mas sim de perguntas que ainda não foram feitas. Questionamentos que ninguém pensou fazer e que fogem do lugar comum. É dessa forma que podem deslanchar e sair da vala que se encontram.

Buscar sair do obvio é um caminho importante – senão único na atualidade.

O mercado tem muitas empresas vendendo as mesmas coisas. Algumas se destacam, outras conseguem identificar sua proposta de valor e ganhar notoriedade, mas a maioria sofre, porque quer encontrar respostas fáceis, as mesmas que os outros procuram.

Quem faz as mesmas perguntas encontra as repostas de sempre. Isso tem a ver com a velha máxima: atitudes iguais, resultados iguais.

Faça as perguntas que ninguém fez e saia do obvio. Dessa forma, é possível oxigenar a maneira de pensar e encontrar possíveis outros caminhos para a jornada do negócio.

Agora, não busque a pergunta certa. Ela não existe.

Arrisque questionar-se de forma diferente e verás que há uma grande possibilidade de construir caminhos e raciocínios não pensados ainda. Isso é evoluir.

banner clique
The following two tabs change content below.

Isaac Zetune

Isaac Ramiris Zetune é jornalista, pós-graduado em marketing político e especializado em branded content. É sócio-diretor da Agência Insane e fundador da plataforma EMPREENDA.SE. (isaac@sejainsane.com.br)