Conforme prometido no último texto, voltei para continuarmos a falar sobre as mudanças na automação e dessa vez o protagonista será o Facebook, apesar dele ter sofrido menos impacto do que o Instagram, é necessário compreendermos os fatos.

O intuito aqui é despertar nossa análise por um prisma diferente do senso comum, e assim lançarmos um olhar mais profundo tanto como consumidores quanto produtores de conteúdo e gestores de marcas nas mudanças que tem ocorrido nos últimos dias.

Acredito que todos que me leem em algum momento da vida podem ter escutado uma pessoa mais experiente dizer algo como: “Sempre que ganhamos também perdemos”.  Assim, não seria leviano afirmar que não há perdas sem ganhos ou ganhos sem perdas!

Vamos entender o que mudou:

O Facebook irá ser mais restrito ao uso de aplicativos de terceiros em sua plataforma, assim, recursos de monitoramento foram alterados. Todo fluxo de informação de grupos, eventos e buscas de página não irão mais exibir informações de usuários que possam ser de grande valia para sua identificação como: usuário e foto do perfil.

O usuário neste caso acredita ter ganhado mais privacidade, todavia, as empresas que usam as informações para gerar campanhas mais direcionadas e com menor custo, perdem tempo e dinheiro. E no final das contas o consumidor também perde.

Temos uma estranha mania de olhar as coisas apenas pelo lado negativo, mas precisamos reconhecer como gostamos de um atendimento personalizado, e a automação tem o poder, quando bem usada, de nos proporcionar isto.

Num passado recente, determinadas ferramentas poderiam fazer buscas para o unificar e comparar o perfil ao resultado  e assim criar filtros com o comportamento especifico daquele público. Mais uma vez posso afirmar que há perdas para todos envolvidos no processo!

Agora não é mais  possível também acompanhar o fluxo de páginas sem ter o acesso apropriado para isso, pois anteriormente era possível monitorar os comentários de concorrentes em tempo real, por exemplo. De certa forma essa mudança pode ser positiva, mas inviabilizar os recursos de entender o mercado, significa que estamos concordando em tirar o poder da pesquisa de mercado.

A restrição nas informações de Eventos e Grupos, impossibilita extrair a lista de convidados de cada evento e também ler o conteúdo de posts na timeline de eventos.

A troca de mensagens privadas utilizando os aplicativos de terceiros está desativada, fato que impacta diretamente o fluxo de atendimento de ferramentas de Gestão onde tickets são categorizados e repassados para outros atendentes por exemplo. Por fim,  os aplicativos de terceiros no Facebook não poderão mais mencionar páginas e usuários e não será mais possível taguear determinados conteúdos.

E você o que tem pensado sobre tudo isso?

banner clique
The following two tabs change content below.

Tercia Duarte

Graduada em Hotelaria, especialista em Marketing e em Letramento Informacional é Professora Universitária nos Cursos de Publicidade, Administração, Hotelaria &Turismo. Possui um Blog de publicação semanal da Revista Ludovica sobre comportamento na era digital. Mãe do Fernando desde 2009.