Se você é fã de esportes, certamente já ouviu falar sobre Michael Jordan, uma lenda do basquete. Se não gosta da modalidade, apostaria que deve pelo menos saber de quem estou falando. Jordan é um atleta excepcional e construiu uma carreira brilhante. É possível trazer a experiência dele para os líderes de marketing? Certamente!

Em seu depoimento “Nunca pare de tentar”, o atleta traz ensinamentos de sua história no esporte. Como nem sempre esteve por cima, o que fez para superar e aquilo que aprendeu. Não se trata apenas de um profissional de grande destaque no mercado. Mas de um líder dentro e fora das quadras. É fácil trazer as boas práticas apresentadas para o contexto de um gestor. Isso, caso se tenha como objetivo ser mais do que meramente bom ou, até mesmo, mediano.

Quer se tornar uma referência na sua equipe de marketing? Reconhecido pelo mercado? Então, Jordan pode ensinar – e mais importante – relembrar comportamentos e técnicas que fazem que você não seja apenas mais um, mas um líder com resultados excepcionais.

Preste atenção no que Michael Jordan faria

Caso, nesse momento, esteja pensando “sou um ótimo líder, por qual motivo deveria estudar sobre um esportista?”. Recomendo fortemente que continue a leitura. Jordan faz com que os profissionais de diferentes segmentos recuperem algumas das características perdidas na correria diária. Afinal, a liderança anda acompanhada com inúmeras atividades e preocupações. No entanto, saber quando voltar para o básico é uma grande habilidade. Falarei mais sobre isso.

Estar no topo não é sinônimo de perfeição constante, descarte esse mito. Como em qualquer profissão ou área da vida, a rotina será a mesma: resolver problemas. Os desafios, grandes ou pequenos, requerem sempre algo em comum. Ou seja, uma preparação adequada para solucioná-los. É aqui que se deve voltar para as lições básicas: habilidades emocionais e técnicas.

Continuando a história de Michael Jordan, mesmo no auge de sua carreira, quando fazia parte da seleção olímpica – que levaria o ouro em Barcelona, ele nunca se esqueceu de duas diretrizes que nortearam suas ações: treinamento constante e respeito por todos. Inteligência técnica, mas também inteligência emocional. O desenvolvimento dessa sua atitude fez com que fosse reconhecido internamente – pela equipe, e uma referência no esporte.

Líderes não devem se acomodar. Líderes precisam de ajuda. Líderes devem pedir e agradecer. Na época, nas Olimpíadas de Barcelona, o treinador do atleta nunca se esqueceu de um acontecimento – simples, mas carregado de significado. Depois da prática em equipe, quando todos estavam indo para o vestiário ou outras atividades, o atleta pediu com muita educação: “o senhor poderia me ajudar?”. Ele queria treinar mais arremessos. Depois dos exercícios extras, não se esqueceu de algo muito importante: agradecer. Quantas vezes os líderes esquecem de agradecer sua equipe?

O exemplo, sempre ele, na vida e na liderança

O respeito não se deve apenas a quem está acima, mas precisa ser oferecido para todos. Mais uma referência, o técnico de vôlei Bernardinho, resgata um depoimento de outro treinador de Jordan. Os jornalistas questionaram: “deve ser difícil treinar uma estrela, não?”. A resposta é surpreendente. Ele facilitava as práticas. Por chegar cedo e estar pronto para superar os próprios limites, inspirava a equipe. Você é uma inspiração?

Respeitar, superar, inspirar. Parece bastante básico. E é esse o conselho que Jordan dá quando tudo parece que vai dar errado: “volte para o básico”. Não se esqueça dos fundamentos técnicos e emocionais que fizeram parte de seu caminho de liderança. Em períodos de turbulência, são essas atitudes que farão todos se engajar em um objetivo e alcançá-lo.

Ganhar jogos ou vencer um campeonato

Uma das frases do atleta que pode resumir uma grande parte das atividades de um líder é: o seu talento poderá fazer com que ganhe jogos, mas somente o trabalho em equipe fará com que vença campeonatos. De nada adiantará procurar capacitação, se tornar palestrante e falar sobre inovação, se estiver só. A equipe deve estar no mesmo ritmo.

Sem uma equipe igualmente motivada e olhando para a mesma direção, não haverá valor algum para qualquer objetivo de liderança. É preciso que as pessoas queiram fazer parte do seu time, pois respeitam sua história, seu empenho e o seu exemplo. Desenvolva a si mesmo constantemente, nunca pare – disso não há dúvidas, mas construa um time com a mesma vontade de fazer com que as ideias aconteçam.

Você está pronto para conquistar um campeonato?

Avatar-JanineCostaEsse artigo foi escrito por Janine Costa. Janine é especialista em Inbound Marketing, Planejamento Estratégico de Comunicação e Marketing Digital. Formada em Comunicação, pós-graduada em Marketing para Mídias Sociais e com experiência em agências e clientes de vários portes e segmentos. Também realiza Palestras e Workshops com foco em Inbound Marketing e Produção de Conteúdo Criativo.

banner clique