O conceito de autodidata está relacionado a capacidade de aprender algo por conta própria, sem o auxílio de um professor ou mentor. Há um tempo atrás, quando uma criança aprendia a tocar um instrumento sozinha, por exemplo, ela era vista como um ser diferenciado, pois tal fato era incomum e , no mínimo, curioso de acontecer. Porém, hoje em dia, com o avanço da tecnologia e a chegada da internet o acesso à informação ficou muito mais fácil. Qualquer pessoa pode  pesquisar sobre os mais variados assuntos no ambiente on-line e aprender sobre ele. Diante desse cenário, o estudo autodidata tem sido bastante estimulado, principalmente, por empresas que buscam profissionais cada vez mais capacitados e conectados com os assuntos da atualidade.

A todo instante surgem novos conteúdos, nomenclaturas, processos e programas que exigem uma atualização constante por parte dos profissionais. Aqueles que não buscam por uma “reciclagem” acabam ficando para trás.

Claro que existem cursos, workshops, seminários e uma série de outros caminhos que contribuem para a formação das pessoas e que são essenciais para construção do conhecimento.  Mas, nos dias de hoje não se pode ficar mais esperando para que tais eventos ocorram. É preciso iniciativa e proatividade para buscar o que deseja. É nesse contexto que a aprendizagem autodidata floresce.  O processo de desenvolvimento intelectual perpassa por várias etapas. O desejo de aprender, sem dúvida, precisa ser despertado por alguém.  Seja por um amigo através de um filme, de um professor por meio de um livro… No entanto, essa vontade de descobrir o novo deve ser levada por nós mesmos. E para que isso aconteça é preciso estímulos.

A era digital permite que o conhecimento seja mais explorado e demonstra que o processo de aprendizagem autodidata  muitos vezes requer, não apenas, disciplina, repetição e memorização, mas também estratégia.  Quando nos tornamos responsáveis pelas nossas próprias ações, temos o dever de traças nossos planos e metas, bem como buscar meios para que eles sejam alcançados.  Por isso, listamos abaixo 6 dicas que vão ajudar você a se embrenhar ainda mais pelos caminhos do conhecimento e ter um ensino autodidata. Confira:

1º-  Aproveite os recursos disponíveis na internet .
2º- Crie uma rotina de estudos.
3º – Administre o seu tempo para que sua meta seja alcançada.
4º – Descubra algo novo.
5º – Tenha autoconfiança.
6º – Pratique! Seja o que for que você tenha aprendido.

Em tempos de convergência midiática e aceleração da informação, é essencial estimular o autodidatismo não apenas para termos profissionais mais capacitados, mas também para criar cidadãos mais esclarecidos. Afinal, o hábito da investigação, da curiosidade, é algo que deve ser adquirido por todos.

banner clique
The following two tabs change content below.

Raiza Halfeld

Mineira de Juiz de Fora, movida a desafios. Gosta de aprender coisas novas e trocar experiências, pois enxerga a educação como um processo contínuo. É graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela UFJF, e atualmente cursa MBA em Marketing pela UNOPAR.