Muita gente me pergunta: como você consegue ficar tão calma diante dos problemas que surgem? Estar calma não significa não estar sob estresse. Mas esse estado emocional pode ser muito positivo se trabalhado de maneira inteligente. A forma como nos preparamos para esses momentos é definitiva para obter um bom resultado. Listei cinco pontos principais que trabalho na tentativa de utilizar o estresse de forma positiva e evitar me desesperar. Confira!

1. Seja você mesmo

Sabe aquela pessoa que você acha artificial? Acorda feliz e passa o dia sorrindo? Essa pessoa não existe. Somos seres humanos, temos nossos defeitos e nem sempre estaremos 100% calmos e satisfeitos. É importante não transparecer nossas fraquezas e sentimentos o tempo todo, principalmente para quem trabalha em um cargo de liderança. Porém, de acordo com o artigo do portal Harvard Business Review, demonstrar as suas emoções pode ser a melhor maneira de inspirar as pessoas.

Não podemos ter medo de ser quem somos e demonstrar nossos sentimentos. O estresse de segurar uma máscara 24 horas por dia pode ser destrutivo para o emocional. Se você tentar manter a tranquilidade o tempo todo, no momento em que um grande problema surgir, há uma grande chance de você se desesperar. Portanto, o primeiro passo para lidar bem com situações difíceis no trabalho é ser você mesmo. Claro, isso é diferente de estar em constante desespero e sair por aí gritando com todo mundo. Mas ficar o dia todo sereno? Esse não é você.

2. Seja um bom comunicador

Você deve ter passado por isso: pede uma coisa e a pessoa faz algo completamente diferente. Automaticamente culpamos a outra pessoa por não ter entendido o que falamos. Mas será que a mensagem foi transmitida de forma clara e compreensível?

Para evitar cair no desespero e ter grandes problemas derivados da má comunicação, trabalhe muito bem a sua forma de falar. É preciso entender o perfil de cada pessoa e comunicar sempre de forma diferente.

A falta de comunicação já se tornou o problema número um nas empresas. Uma dica do especialista em comportamento humano, Helton Santana, é pedir para a pessoa dizer nas palavras dela o que ela entendeu que deve ser feito. Isso pode ser usado até na hora de fazer um pedido em algum restaurante, não é mesmo? Imagina a quantidade de dores de cabeça que você pode acabar só com essa simples prática.

3. Construa bons relacionamentos

Construir bons relacionamentos é recomendado desde que o mundo é mundo. Apesar disso, nem sempre conseguimos colocar essa recomendação em prática. Eu tive a sorte de saber isso desde que comecei a atuar como líder e achava que seria fácil. Mas na prática a história foi outra. Anos atrás eu fiquei furiosa com uma pessoa que não tratou muito bem a equipe na qual eu trabalhava. Eu sabia que precisava defender minha equipe, então fui lá com unhas e dentes falar com a pessoa. O resultado? Essa pessoa, que era importante para fazer com que nossos projetos andassem, começou a boicotar minha equipe. Para dar a volta nessa situação, tive que me esforçar muito mais do que se eu tivesse valorizado o bom relacionamento. O que eu aprendi com isso? Que construir bons relacionamentos não é só com as pessoas que você gosta ou trabalha diretamente. Isso é para com todo mundo. Todo mundo mesmo!

Importante: isso não justifica mentiras ou falsidade com quem não apreciamos tanto. Você não precisa mentir e fingir ser um grande amigo de  todos. Mas pode (e deve) fazer a política da boa vizinhança, não se desesperar e agir com consciência. A principal pessoa que ganha com isso é você.

4. Construa um ambiente seguro

De acordo com o famoso psicólogo Abraham H. Maslow, a segurança é um dos principais pilares da necessidade humana. Se o mundo é cheio de problemas e riscos, trabalhar em um ambiente sem segurança pode ser desesperador. Ao sair de casa e dar uma volta na quadra, vai se deparar com um monte de perigos como assaltos, acidentes de trânsito, relâmpagos, ventanias… Imagina passar parte da sua vida trabalhando com uma pessoa que torne seu ambiente de trabalho tóxico, ou seja, não transmita segurança?

Talvez você trabalhe em um ambiente assim. Esse tipo de local desencadeia uma sensação de descontentamento que pode acabar desmotivando as pessoas. Para evitar situações problemáticas e desesperadoras, procure trabalhar com pessoas que lhe passem segurança, ao mesmo tempo em que busque transmitir isso aos seus colegas de trabalho.

No livro “Os líderes se servem por último”, de Simon Sinek, ele cita que trabalhar em um ambiente seguro é um dos fatores mais importantes para obter bons resultados das pessoas. Mas como fazer isso?

Comece trabalhando as seguintes atitudes: dar atenção sempre que possível, ajudar as pessoas, defender alguém sempre que fizer sentido, ponderar os diferentes pontos de vistas nas discussões, dar feedback para a pessoa sempre em particular (não em frente de outras pessoas) e evitar reclamar – pensar mais na solução. Se você estiver com pessoas que tenham as atitudes citadas acima, se sentiria mais seguro? Tenho certeza que a resposta é sim. Quando você se sente mais seguro fica mais fácil de não se desesperar.

5. Aprenda a gostar das pessoas

Esse é um dos tópicos mais importantes e desafiadores. Quando cito isso em uma palestra, logo vejo a cara de insatisfação do público. O que eles devem pensar é: além de ter que me esforçar em ter um bom relacionamento com todo mundo, preciso aprender a gostar de todas as pessoas? Pode parecer absurdo, mas tudo fica mais fácil quando trabalhamos nossa empatia, entendemos as pessoas e passamos a gostar delas como elas são.

Um raciocínio simples: você tem defeitos? Sim? Todas as pessoas à sua volta terão defeitos também. Você não precisa concordar com as pessoas, mas você pode começar a entendê-las. Esse é o primeiro passo para criar a empatia.

Mas como isso me ajuda a não me desesperar? Bem, quando você passa a gostar das pessoas, suas intenções para com elas deixam de ser falsas e passam a ser atitudes positivas. São as ações que fazem os relacionamentos se tornarem sólidos e prosperarem. As situações ficam menos complexas e as soluções dos problemas fluem mais facilmente. É o mesmo que ocorre em um relacionamento a dois. Se a pessoa diz o tempo todo que gosta de você, mas não demonstra isso na prática, você passa a desacreditar nela. Isso funciona igual em qualquer tipo de relacionamento. Quando passamos a gostar das pessoas e demonstrar isso através de ações positivas, as situações tornam-se mais fáceis de solucionar e desesperar-se fica menos frequente.

Lembre-se: desespero é despreparo. O estresse é um estado emocional inevitável, mas é com ele que avançamos e crescemos. Esteja preparado, trabalhe o seu desenvolvimento pessoal e tenha dias com estresse sim, porém, sem desespero.

_________________________________________________________________________

Esse conteúdo foi inspirado na palestra “Um líder não se desespera”, ministrada em parceria com o diretor Helton Santana, da escola DeRose Method Trindade, em Florianópolis (SC). Um agradecimento especial pelo convite e oportunidade de ter participado do 1º High Performance Week.

Compartilhe esse conteúdo com seus amigos!

banner clique
The following two tabs change content below.
Especialista em gestão de marketing com mais de 10 anos de experiência. Formada na área de Comunicação e com MBA em Marketing, experiência em Startups e em projetos de marketing internacionais, envolvendo países como Estados Unidos, México e Portugal.