ALERTA TEXTÃO. Tenha um tempinho para ler.

A auto publicação ganhou maior expansão neste Tempo. Sob influências da hipermodernidade, os autores redescobriram maneiras de contar – e divulgar – histórias. Em 2014 escrevi um breve roteiro, com doze passos para a construção de um e-book. De lá pra cá, diante as observações e pesquisas comportamentais, muita coisa aconteceu no mercado editorial. Hoje (e projetando para 2018) cabe rever,  lembrar, acrescentar e rescrever alguns tópicos de essência neste novo plot artístico-existencial.  O cenário literário tem evoluído sim, mas existem os cuidados primordiais que todos devem olhar, digitais ou não. Infelizmente, as editoras estão saturadas. Demoram anos para dar um retorno – algumas dão prazos de dois anos, e nem chegam a retornar! Se você não tem capital para investir ou um nome já conhecido, é cada vez mais difícil. Dedico as palavras a seguir aos escritores iniciantes, desnorteados sobre as principais informações, e aos autores que, como eu, já estão se aventurando nas publicações digitais – sempre tem uma coisinha ou outra para revisarmos.

Há vários fatores que nos desafiam. Muitas vezes pensamos que não podemos fazer nossas próprias publicações porque, já há muitos e muitos anos, tem sido apenas os editores e sua equipe a decidirem o que pode ser publicado. A tecnologia mudou isso. Observe e pontue:

A PRÉ PRODUÇÃO

O momento inicial do turbilhão de ideias. Aquele instante que você começa a rabiscar algo na cafeteria. As notas. Os rascunhos. Os filmes e séries que lhe inspiram. Qual ou quais temas pretende conversar em sua narrativa? Sugiro fazer uma pesquisa online de autores e editoras que trabalham nesta linha ou gênero. Veja o que estão publicando e, então, “o que posso fazer diferente?”. Diante destas informações, defina (ou comece a definir) seu público alvo (até porque, ele pode ir mudando conforme for escrevendo). Mas é interessante já possuir um foco. Não se preocupe com arte, revisão, quantidade de laudas e caracteres. Não agora.

A PRODUÇÃO

Não tem jeito: uma hora ou outra, você precisa gastar dinheiro – mesmo que sua obra seja independente. A dica, enquanto você produz, é pesquisar canais de capitação de recursos. De repente, colocar seu projeto em um site de crowdfunding, como o Cartase, ou ainda, inscreve-lo na Lei Rouanet (no Youtube você encontra inúmeros vídeos de ajuda e compreensão nestes processos).

Escreva. Qual processador de texto irá usar? O habitual e super eficaz é o querido e velho Word É bacana procurar se aprofundar no software para melhor utiliza-lo, sem ficar dependendo de terceiros.  Existem cursos rápidos online de Word Avançado. Escreva. Continue escrevendo. Pesquise. Escreva mais. Pesquise novamente. Leia artigos. Continue escrevendo. Há agentes que indicam escrever ao menos 4 mil palavras todos os dias – claro, quanto mais praticar, mas exímio se torna. Mas acredito que não precisa ser assim. Não é todo dia que há inspiração, não é mesmo?  Estabeleça uma rotina ou um cronograma.

Imergir. Varie de ambientes/cenários. Mude sua rotina. Observe e assista mais tudo ao seu redor. Converse com pessoas de diferentes perspectivas, culturas, religiões, comportamento… Terminou? (Sim, eu sei. A gente nunca termina. Difícil colocar o ponto final). Mas ao menos, finalizou o arco e enredo? Desenvolveu o início, meio e fim? Próximo passo. Podemos conversar mais em outra oportunidade sobre como se dá a criação e produção textual.

Revise. Faça você mesmo, todo dia. MAS, procure revisores profissionais que possam desenvolver este trabalho.  É aqui que surgirão as modificações, acréscimos, correções. Sua história pode até tomar novos rumos. Novas perspectivas. Este processo pode durar meses! É crucial e intrínseco.  É a organização de pensamentos, pesquisas, notas… A construção e polimento da ortografia e gramática.

Leitura crítica. Escreveu e revisou? Agora cabe você escolher amigos próximos para analisar seu conteúdo. E, além deles, um agente literário ou algum profissional em Letras, por exemplo, para criticar as técnicas de sua obra. Este profissional irá pontuar tudo! Parágrafo por parágrafo. Contexto. Coesão. Língua. Dicas para aprimorar o perfil deste ou aquele personagem, etc. Em um outro momento, ele poderá até lhe direcionar para as editoras com seu perfil e a publicação física.

Diagramação. Se você saca dos editores e manipuladores de imagem, ótimo! Um dos softwares mais utilizados para diagramar é o inDesign da Adobe. Sei que em todos as etapas anteriores, você já havia pensado na estética de sua obra: capa, ilustrações, cores… Acredite, eu mesmo enquanto escrevo já idealizo a construção artística. É assim mesmo. Você vai guardando referências ao longo da produção. Agora aqui, nesta etapa, você expõe diretamente. Se não sabe lidar com o software, contrate um diagramador competente. Defina para ele TUDO: fonte, tamanho, layout de página, ilustrações, referências,  etc.  E se ele for bom, também lhe trará feedbacks e ideias.

Revise novamente. Após a diagramação, junto de seu revisor, confira todos os detalhes (espaçamento, travessão, nomes, referências, ponto e vírgula). Certamente surgirão correções que não viram lá atrás.

Registre. Mesmo em formato digital e você sendo o próprio editor, é primordial que exista o registro do seu livro, o ISBN. Além deste, os Direitos Autorais. As informações você encontra no site da Biblioteca Nacional. As taxas variam de acordo com sua proposta e obra. Cabe, inclusive, obter o ISBN ainda no momento da revisão, como precaução e segurança. Melhor deixar registrado de antemão do que esperar todo o processo – porque neste interim alguém pode acabar olhando suas ideias ;) Depois de registrado, se desejar, pode encaminhar seu original impresso ou por e-mail para editoras.

O formato. O usual PDF ainda é usado. É a via direta, que todos passam. Mas além deste, o ePUB3 é o mais indicado. Pesquise sobre este formato. As livrarias online só estão aceitando-o (há exceções, mas difícil encontrar).  É ele quem ajustará e facilitará a leitura no leitor no celular e tablet. Se não sabe, não tente fazer sozinho em sites ou programas conversores!!! Um Designer pode desenvolver o serviço.

A publicação. A cereja do bolo. As principais livrarias online são: iBooks Store, Google Play, Amazon, Cultura, Kobo e Saraiva. Em auto publicação, as mais usadas são a iBooks e Amazon: elas dispõe de todo o serviço grátis para lhe auxiliar em cada etapa e gerenciar seus próprios gastos/ganhos. As demais, o mais indicado é ir por uma editora de livros digitais. Existem agências que se dedicam somente nisto. Você pode contrata-las para revisão, diagramação, leitura crítica, conversão de arquivo ou só pelo envio às livrarias online. Importante ressaltar: parte do valor atribuído na venda (escolhido por você), fica com as lojas (cada loja possui um percentual).

PÓS PRODUÇÃO

A hora da divulgação. Invista tempo estudando as plataformas digitais e as linguagens que cada uma trabalha, afinal, seu livro é digital, então é ali que seu maior e interessado público, está. Produza peças para postar em suas mídias sociais. Procure saber sobre o Google AdWords para patrocinar seu livro e rankea-lo nas pesquisas do Google (os profissionais do marketing digital podem auxilia-lo). Busque por blogs que fazem resenhas de livro para parcerias. Tenha um blog pessoal, assim você pode compartilhar textos de sua obra e conversar o seu leitor. Quem sabe, faça vídeos no Youtube explicando sobre seu projeto. Todos os caminhos valem, desde que feitos com bons planejamentos estratégicos (pauta para outro texto).

Pois é, não é tão rápido e fácil assim. Quando vê, foi-se um ano inteiro só produzindo. É assim mesmo. Procurei sintetizar, mas acredito ter outros tópicos para elaborarmos e aprofundarmos. Se você ainda possui alguma dúvida, pode procurar e perguntar, viu? Vamos construindo juntos. Boa produção!

banner clique
The following two tabs change content below.
Essa coisa de definir coisas... Escritor, professor, colunista e curioso. Produzindo o terceiro e-book. Licenciando em Filosofia, com foco nas artes e comportamento. Não vive sem séries - e dramas. Melancólico e péssimo de cozinha. O 2º livro #AConstrucaoDoOlhar PDF free aqui ó: bit.ly/aconstrucao | Vídeos sobre os livros em youtube.com/user/arthiebarbosa