A empatia é um dos superpoderes que o gestor tem que desenvolver hoje para liderar uma equipe. No entanto, esse é um comportamento que deve ser trabalhado e praticado continuamente. A empatia cria relações profissionais honestas e uma gestão mais humanizada, já que o gestor procura entender sua equipe e ter uma leitura mais adequada do ambiente de trabalho. Isso gera engajamento e maior possibilidade dos objetivos dentro do planejamento estratégico serem alcançados.

Para ajudar o desenvolvimento dessa gestão mais humanizada, separei quatro hábitos bacanas para praticar a empatia e conseguir um time de pessoas motivadas em busca dos resultados.

1- Conectar-se com a equipe

Saber ouvir e entender o momento em que a equipe passa é importante para poder ter a leitura adequada do ambiente de trabalho.

Não basta dar voz aos colaboradores, tem que ouvir o que eles dizem e fazer algo sobre isso, afinal resolver os problemas é uma grande oportunidade de se conectar à equipe e engajar os colaboradores à estratégia da empresa.

2- Amar a equipe como se fosse sexta-feira

Para desenvolver uma equipe tem que haver um envolvimento profissional, um relacionamento e, relacionamentos não nascem sem existir algum tipo de paixão. No caso de um gestor, deve haver a paixão por desenvolver pessoas. Ame sua equipe e torne-a sempre melhor, com processos bem elaborados e profissionais engajados.

3- Abraçar o futuro

Aprender a falar com a próxima geração de profissionais que dominará o mercado é muito importante para qualquer gestor. Cada indivíduo é único e evolui na medida que a sociedade muda e, com os jovens profissionais que estão chegando não é diferente.

Esses novos profissionais possuem motivações e um modo de ver as coisas bem peculiares e as empresas devem estar preparadas para recebê-los! Os gestores precisam abrir a mente para novas maneiras de gerir esse novo time, já que só do jeito que faziam a gestão antes não será o suficiente.

4- Gerenciar conflitos e trabalhar a diversidade

O gestor deve saber gerenciar a diversidade que há na sua equipe e aprender a lidar com conflitos que surgem a partir daí. Novamente, os indivíduos são únicos e evoluem na medida que o mundo ao seu redor se modifica. Isso lhe dá uma experiência única de vida, seja cultural, comportamental ou profissional. Em algum momento esse conjunto de comportamentos e habilidades se chocará com o de outras pessoas e isso pode gerar conflitos, seja por causa da cultura, da idade ou da formação. O gestor deve estar preparado para lidar com isso de maneira imparcial e justa.

Essas quatro dicas, digamos assim, podem ser resumidas em uma palavra… “CONEXÃO”. Um gestor que se conecta à sua equipe sabe ter empatia e assim criar um relacionamento bacana, inspirador e engajador com os colaboradores. Relacionamento impacta!

E você, tem impactado sua equipe para torná-la mais engajada a cada dia?

banner clique
The following two tabs change content below.

Marcelo Oliveira

Jornalista e entusiasta da Gestão do Conhecimento e Inovação, com uma passagem de 17 anos pela EMBRAER, onde atuei na edição de Publicações Técnicas e como focal point de inovação. Estruturei e estive a frente de um programa voltado a conectar pessoas, ajustar processos, melhorar a comunicação e aplicar uma gestão colaborativa e inovadora de equipes, ajudando a desenvolver o potencial humano, através do engajamento e da capacitação. Em paralelo, como freelancer, produzi textos para a revista Villaggio Panamby e para o site infoescola.com. Fundei a Inovadoramente Consultoria para oferecer serviços em gestão de equipes e comunicação. Também sou conteudista no Ideia de Marketing e na Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento, além de professor de Pós-Graduação na ESPM, dentro do Centro de Inovação e Criatividade.