Dia desses, na Festa Junina de um cliente, depois de alguns quentões, começamos a refletir sobre a evolução profissional que ocorre na vida das pessoas, principalmente no momento de suas carreiras em que passam a exercer papeis de liderança.

Pode ser um colaborador que foi promovido e passou a gerenciar uma equipe, um diretor (sócio/proprietário) de uma empresa de porte pequeno ou médio que convive com poucos colaboradores ou mesmo lideranças de grandes organizações. O início de uma atuação de liderança é desafiador para qualquer profissional, pois é a partir daí que se inicia um processo de compromisso com a evolução de outrem. E isso é muito importante. E não é fácil.

A começar pela nova realidade. Se, antes, existiam somente atividades a serem cumpridas e executadas, agora, além delas, há uma nova categoria de responsabilidade, diretamente ligada a pessoas. Então, surgem os desafios.

O primeiro deles é compreender seu real papel enquanto líder, o que, certamente, configura novos hábitos no trabalho (2º desafio), ao passo que deve haver uma rotina de alinhamentos (3º desafio), cobranças (4º desafio), expectativas por resultados e produtividade (5º desafio), além de feedbacks sobre o desempenho (outro desafio). Somo a eles algumas dificuldades comuns, como o desconforto de alguns profissionais em assumir papeis de liderança ou em encontrar sinergia no relacionamento com o time de trabalho.

Independente do perfil e tamanho da empresa, esses desafios se fazem presentes e superá-los não é impossível.

Desde que assumi pessoas e equipes, tenho praticado alguns exercícios dentro de novos hábitos de comportamento e organização que têm ajudado a manter o clima positivo, uma performance evolutiva e um gerenciamento sobre possíveis crises, como evita-las ou resolvê-las.

Conhecimento

Quando conhecemos nossa equipe e nossos colegas de trabalho, desenvolvemos processos interativos melhores, porque criamos conexões mais humanizadas, que contribuem para uma boa produtividade porque a troca flui. Além disso, é fundamental para auxiliar na construção de um clima organizacional positivo.

Crie o hábito: experimente reservar um almoço ou um café da sua semana e convide um membro da equipe. Interagir fora do ambiente de compressão ajuda a estabelecer laços mais humanos e puxar assuntos diversos gera conexões.

Proximidade

Estar próximo e apresentar-se com disposição são práticas fundamentais para um bom relacionamento. Ajudam, também, a observar o desempenho do time na prática, sendo possível contribuir com melhorias.

Crie o hábito: reserve um tempo em sua agenda semanal para estar com a equipe fora de reuniões formais, mas durante o desenvolvimento do trabalho. Uma mão no ombro oferecendo ajuda, instrução ou informação é sempre bem-vinda.

Atitude

Mais profundo do que falar é fazer. Acredito no poder do exemplo e em atitudes referências como método para estimular a equipe. Claro, alinhamentos prévios quanto à dedicação e empenho de cada um são fundamentais. Porém, quando um líder se mostra positivo, sólido e consistente, seus liderados, naturalmente, tendem a se engajar porque se inspiram.

Crie o hábito: categorize algumas atitudes ou ações positivas que podem servir de exemplo para a equipe e pratique dentro de uma rotina. Pode ser desde o cumprimento de horários até comportamentos em reuniões. Manter uma prática constante de atitudes positivas ajuda na construção de um time alinhado e que evolui.

Tutoria

Mostrar como faz, muitas vezes, é mais importante e eficiente do que dizer o que tem que ser feito. É claro que existem os processos e metodologias de trabalho e as ações de treinamento. Porém, uma execução orientada por feedbacks e formas tangíveis de se fazer ajudam na performance do time, porque o aprendizado é mais claro. É papel do tutor, também, manter a verdade e transparência, promovendo desde alinhamentos prévios de expectativas até a clareza de funções, deveres, ferramentas, possibilidades e projeções.

Crie o hábito: sistematize reuniões periódicas de alinhamentos, feedbacks e construções. Estar perto e orientar da forma correta são os melhores caminhos de compromisso com a evolução.

Além de contribuírem com o dia a dia de trabalho, esses hábitos ajudam na construção de uma imagem de referência, que pode servir de inspiração para o desenvolvimento da equipe e valor à empresa. Ao assumir a liderança de um time, um profissional sela um compromisso com a evolução de outras pessoas, e também deve se dedicar a elas.

No artigo “E se o técnico Tite fosse CEO de uma empresa”, trago à tona algumas características de liderança que fazem parte de minha cultura de atuação (e inspiração). Leia mais: http://bit.ly/2ftQbYC

banner clique
The following two tabs change content below.

Isaac Zetune

Isaac Ramiris Zetune é jornalista, pós-graduado em marketing político e especializado em branded content. É sócio-diretor da Agência Insane e fundador da plataforma EMPREENDA.SE. (isaac@sejainsane.com.br)