Vou iniciar esse artigo com um clichê: O Marketing praticado atualmente é fundamentalmente diferente do Marketing praticado nos últimos 50 anos.

As técnicas e pensamentos que funcionaram durante todo esse tempo já não funcionam tão bem.

O surgimento de diversas empresas e tecnologias, possibilitou (e obrigou) as organizações a repensarem toda sua estrutura de entrega de valor. Se antes o trabalho do marketing era quase que artístico, atualmente tem se tornado uma ciência cada vez mais exata, com diversas técnicas e ferramentas orientadas a dados.

Nos dias de hoje, os profissionais de Marketing são responsáveis por quantificar, executar e medir estratégias de crescimento baseadas e nos dados gerados por seus clientes e pelas diversas estratégias adotadas.

No modelo tradicional de Marketing,  os profissionais procuravam uma “bazuca” para atingir formiguinhas, ou seja, investindo grandes orçamentos para atingir muitas pessoas, mesmo sabendo que boa parte não eram seu público-alvo, convertendo uma fração mínima desse público e reinvestindo os lucros para um novo “tiro de bazuca”.

Com as tecnologias atuais, como a Mídia Programática, as empresas podem dar tiros cada vez mais certeiros, conseguindo segmentar seus clientes assertivamente e impactando o público realmente relevante, mensurando com precisão quais foram os melhores tiros, otimizando seus investimentos e executando com precisão suas estratégias

Essa abordagem certeira só é possível com o Marketing Orientado a Dados, onde é possível impulsionar o crescimento sem desperdícios, buscando o crescimento sustentável das organizações.

Todas essas mudanças ocorridas na transformação digital das empresas tem um grande responsável: o consumidor

O acesso rápido e fácil à informação aliados a grande competitividade na maioria dos mercados, exigem que as empresas entreguem experiências verdadeiramente otimizadas e personalizadas para seus consumidores, caso queiram sobreviver nos dias atuais.

Apesar dessa exigência, a grande maioria das empresas ainda não estão preparadas para enfrentar o novo cenário. A mentalidade, processos e filosofias de negócio ainda precisam evoluir nesse sentido para permitir que diferentes áreas estratégicas estejam conectadas adequadamente para permitir que as decisões e estratégias sejam orientadas por dados.

Para se ter uma ideia desse cenário, uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostrou que 91% dos gerentes de marketing acreditam que marcas bem sucedidas utilizam dados dos clientes para direcionar decisões de marketing, mas 39% dizem que os dados da própria empresa são coletados com pouca frequência. Além disso, 51% dizem que a falta de compartilhamento de dados entre as áreas da empresa dificultam a eficiência na mensuração do ROI.

Todas as empresas possuem dados de alguma forma ou outra e em grande volume, porém o tamanho crescente e a variedade de fontes tornam difícil analisar e extrair conclusões simples.

Por isso, muitos profissionais ainda tomam decisões baseadas em opiniões, sem estar fundamentada em dados. Mesmo empresas maduras ainda tem dificuldades para entender a jornada de seus clientes e quais etapas influenciam em suas decisões.

Não há dúvidas que o Marketing Orientado por dados ganhará cada vez mais força com a evolução das tecnologias. O grande desafio para as empresas é mudar a mentalidade de toda a organização para que os dados sejam coletados, armazenados e processados com o objetivo de gerar insights e decisões baseadas em dados.

banner clique
The following two tabs change content below.
Empreendedor, Pioneiro em Marketing de Defensores (Advocate Marketing) no Brasil. Consultor de Marketing Digital. Professor em curso de MBA, Vice-Presidente da ABRABOCA - Associação Brasileira de Marketing Boca a Boca, Colunista do Portal Ideia de Marketing.