“Proposta de valor não é uma opção. É o único caminho sustentável no longo prazo” – André del Cid, Diretor de Estratégia e Inovação do Grupo Anpla

Se a proposta de valor de um negócio pode ser o seu maior diferencial e as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) encontram grande dificuldade em descobri-la ou desenvolvê-la, proponho uma reflexão para acabar com os “vícios de origem” que as levam a sofrerem com isso.

A obscuridade de uma proposta de valor ou a falta de um olhar para essa pauta é problema comum, causado por características semelhantes dentro da maior parte das MPMEs. A superação desses desafios pode ajudar os negócios a evoluírem e a encontrarem seu caminho de valor, estando mais aptos a impactarem e engajarem eficientemente seu público.

Mais visão x afastamento da operação

É uma tarefa difícil, ainda mais nas micro e pequenas empresas, onde a estrutura geralmente é enxuta e há uma necessidade de acúmulo de papeis. Circunstâncias à parte, é muito importante que os gestores de um negócio consigam se afastar das tarefas do dia-a-dia para agirem como visionários (mesmo que depois do horário comercial). Quando saímos da confusão diária e praticamos um olhar direcional e amplo, refletindo sobre quem somos, para onde queremos ir e como chegaremos até lá, nos abrimos para enxergar nossa empresa de fora, provocando uma imparcialidade importante para definição de caminhos e decisões. O olhar no longo prazo e a cultura de planejamento são imprescindíveis para que a proposta de valor consiga ser pensada e praticada.

Cultura de planejamento

Grande problema cultural no Brasil, a falta de planejamento mata diversas empresas todos os meses e anos. Preferimos reagir às pendências e urgências a reger as tendências. Sim, é um universo distante de um ecossistema de planejamento. Definitivamente, torna-se impossível concretizar uma intenção de valor no longo prazo sem um planejamento, que não dá qualquer norte aos rumos de um negócio. Nesse sentido, a dificuldade é provocada justamente pela falta de um caminho coerente, resultado da falta de reflexões sobre o próprio negócio, que geram inconsistências em suas atividades e, consequentemente, em sua proposta de valor.

Auditoria cíclica

Ao passo que muitos empresários se tomam pela operação e tornam-se somente funcionários da própria empresa, muitos outros, com a sensação de “tudo bem”, se afastam, transferindo parte da responsabilidade para os demais níveis da organização. Em qualquer dos casos, é fundamental que haja a prática de uma auditoria cíclica, que consiste no questionamento dos rumos da atividade, da maneira da entrega, se há uma política comercial coerente, se os preços estão competitivos, se há rentabilidade, etc. É uma prática de olhar para dentro. O objetivo desse exercício é buscar a manutenção de uma coerência existencial, a partir de um cuidado com o todo, que permite o desenvolvimento e manutenção de uma proposta de valor na atmosfera da empresa, evitando que problemas ocorram e prevenindo possíveis crises, já que há um interesse contínuo pela saúde do negócio e ela está atrelada aos seus resultados.

Vivência de mercado

Para refletir sobre a própria empresa e buscar mantê-la no rumo certo em meio às transformações velozes dos mercados, é necessária uma vivência no ecossistema de atuação, que permite aos empresários interagirem com outros players e absorverem informações diferentes, que podem lhe ajudar a evoluir e ditar tendências. Normalmente, existem eventos, palestras, seminários e conteúdo diversificado para qualquer segmento de atuação. Esse tráfego em “ares” diferentes oxigena nosso mindset, e pode nos ajudar a buscar ou redescobrir o valor do nosso negócio.

Busca por conhecimento (ou auxílio)

Muitas empresas sobrevivem num cenário de curto prazo ou até que os investimentos acabem. Outras, conquistam uma parcela mínima de clientes e se satisfazem com uma receita básica. Porém, pensando em uma cultura de crescimento e evolução dentro do mercado, o básico torna-se insuficiente, porque os desafios ficam mais complexos. Por isso, a busca por conhecimento, preparo e até mesmo auxílio de profissionais, como consultores, pode ser decisiva na sustentabilidade e durabilidade de uma empresa. Quando a gestão é segura, a proposta de valor surge com mais naturalidade.

O somatório desses exercícios e a recorrência de sua prática, alinhados por um mindset de evolução, que pratica um olhar de futuro atrelado a uma postura empreendedora, são os ingredientes que podem ajudar as empresas (e seus líderes) a buscarem sua proposta de valor.

Reflita sobre seu negócio até encontrar a real essência da sua existência. Quando identificar a falta exata que faria no mundo se deixasse de existir, sendo essa uma resposta com identidade, personalidade e originalidade, terá descoberto a proposta de valor. Ou estará próximo.

Se ainda tem dúvidas sobre a real necessidade desse tema, nesse artigo, você pode verificar a real importância da proposta de valor de uma empresa ou marca.

banner clique
The following two tabs change content below.

Isaac Zetune

Isaac Ramiris Zetune é jornalista, pós-graduado em marketing político e especializado em branded content. É sócio-diretor da Agência Insane e fundador da plataforma EMPREENDA.SE. (isaac@sejainsane.com.br)