A vida movimenta-se na constância de evolução em todos os cenários. A História compreende em mostrar-nos cada espaço, crescimento e avanço. E em cada esfera, a fluidez de informação e conscientização comportamental faz-se primordial, junto à essência da atenção ao aprendizado. Diante das modificações que contemplam o Tempo presente, tendência e influências cultural-teóricas (Zeitgeist) é notável a importância da reconstrução do ensino e ambiente de aprendizagem. A tecnologia junto à educação a distância, trouxe transformações significativas ao processo de aprendizagem do indivíduo. É palpável – perdoe-me a palavra – as modificações e melhorias no ensino. Mas como avaliar o aluno se ele está longe? Como gerir métricas, progressões e até mesmo estratégicas de vendas do meu curso, se não conheço meu aluno pessoalmente?

Você, mentor, deve estar atualizado na constância de assessoria e competências para melhor aconselhar no ambiente online. O marketing junto a publicidade tem evoluído a comunicação na venda desta modalidade de ensino. Se tornou rotina, fazendo parte da fluidez de todos nós. Vende-se o prático, acessível e atual. Eu mesmo já pude experimentar formações acadêmicas neste cenário tecnológico. E há hoje quase infinitos cursos disponíveis online. Percebo que a modalidade a distância é uma resposta à sociedade altamente mutável da atualidade. Esse contexto redimensiona todos os seus usuários e exige dos docentes uma metodologia equivalente aos seus princípios. Além disso, determina que também forneça aos estudantes, além da aprendizagem dos conteúdos, uma instrução que os possa subsidiar para atuação profissional e pessoal (MATUCHESKI e LUPION, 2010).

Mas os planejamentos estratégicos feitos mostram falhas ainda recorrentes na gestão. Falta atenção dos mentores, tutores, instrutores, pedagogos, professores, profissionais da comunicação em como estão administrando o ensino a distância.

As construções já feitas e as que precisariam ser contempladas. Esta reflexão nos instiga a pensar várias questões em relação à Educação a Distância, mas também em relação ao papel da educação de uma maneira geral na so­ciedade atual, e como o mercado tem visto.

Faça enquetes. Proponha discussões em fóruns. Dedique-se aos vídeos live nas plataformas digitais. Corresponda-se com seu ano por e-mail, celular. Faça sinal de fumaça! Mas não se distancie dele. Só podemos conhecer por meio de interação no ambiente. O intercâmbio de trocas.

Já pude notar em instituições, a falta de exposição e alinhamento metodológico. O esfriamento de ambas as partes impossibilitando o progresso do ensino. As dúvidas internas se tornando externas para o público. Os equívocos em como gerir e administrar notas, pendencias e avaliações no ambiente virtual. Para que se possa implementar tais ações, a organização deve considerar a necessidade de estabelecer um foco claro no conhecimento estratégico para o ensino, pois nem todo o conhecimento tem o mesmo valor para o alcance de objetivos estratégicos, sendo necessário direcionar esforços para a aquisição de conhecimentos aos quais esteja associado um valor real para a organização (BEAL, 2010). Observo a inerente resposta do meio acadêmico sobre as mudanças; os pontos positivos e negativos. Para Moore e Kearsley (2007), é ao mesmo tempo uma causa e um resultado de mudanças significativas na compreensão da definição do conceito de aprendizagem, bem como de mudanças na clareza de como ela deve ser organizada. Neste contexto, instituições de ensino superior, privadas e públicas, têm realizado esforços para desenvolver sua atuação nesta modalidade.

Estude as Teorias de Aprendizagem, Piaget, Vigotsky e Wallon. Ouça o que estes caras têm a oferecer – dentre tantos outros pensadores, psicólogos e filósofos que podem te dar suporte.

Lidamos com questões/dificuldades objetivas: processo de envelhecimento da população mundial, aumento vertiginoso da quantidade de conhecimento gerado anualmente, escassez de textos impressos (hoje menos de 0,003% das informações estão registradas nesta mídia), necessidade de democratização dos dados, criar as condições para a empregabilidade num mercado que flui de uma necessidade a outra com uma rapidez que os sistemas de ensino não conseguem atender, e assim por diante. Olharmos para trás implica em conseguirmos compreender o presente e projetar melhor o futuro. A empatia de desconstrução quando assistimos para o outro é necessária. O homem transforma a natureza e é transformado por ela também.

Em minha percepção, as características necessárias para de um aluno EaD não se distingue muito dos demais alunos. Mas é importante ressaltar os objetivos. Para alcançá-los, o aluno precisa ter comprometimento com seus horários, dedicação à leitura dos materiais didáticos fornecidos, assistir as aulas no ambiente virtual e ter participação assídua das discussões e planejamentos. A pluralidade das experiências. (MENDES, 2011, PAULA, 2009).

Desta forma, é importante pensarmos na constante desconstrução – tanto pessoal, profissional, as instituições e até mesmo o governo. Descontruir conceitos e reconstruir de forma cada vez mais clara, de bom entendimento das metodologias, com flexibilidade argumentativa e suporte pedagógico. Usar as ferramentas adequadas do marketing digital para gerir melhor as estratégias de campanha e venda deste produto, e então, organizar a gestão para o avanço o ensino do indivíduo.

Contextualize-se com seu aluno. Conheça sua realidade, dificuldades culturais e promova a interação com o meio social. Assim, a gestão fluirá, e a tecnologia será apenas um aliado na evolução, sem preconceitos. Quebrar barreiras culturais pode ser o ponta pé inicial para o bom desenvolvimento de suas estratégias online.

REFERÊNCIAS:
MOORE. Michael G.; KEARSLEY, Greg. Edu­cação a distância: sistemas de aprendizagem on-line. 3. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

NOGUEIRA, Makeliny Oliveira Gomes Nogueira; LEAL, Daniela. Teorias de aprendizagem: um encontro entre pensamentos filosófico, pedagógico e psicológico. 2 ed. rev. ampl. Curitiba: Intersaberes, 2015.

OLIVEIRA, Paulo Cristiano de; NAKAYAMA, Mariana Keiko. A Gestão da Educação a Distância e a Tecnologia da Informação: uma relação a ser explorada. XIV Colóquio Internacional de Gestão Universitária. Florianópolis, 2014.

banner clique
The following two tabs change content below.
Essa coisa de definir coisas... Escritor, professor, colunista e curioso. Produzindo o terceiro e-book. Licenciando em Filosofia, com foco nas artes e comportamento. Não vive sem séries - e dramas. Melancólico e péssimo de cozinha. O 2º livro #AConstrucaoDoOlhar PDF free aqui ó: bit.ly/aconstrucao | Vídeos sobre os livros em youtube.com/user/arthiebarbosa