Um dos problemas existentes quando você gosta de pesquisar ou tem vontade de aprender mais sobre um assunto é se deparar com dezenas de textos, sites, comentários, fóruns, e-books, pdfs de artigos, fotos, vídeos, slideshares e até memes sobre o mesmo tema.

Muitas vezes ao investigar sobre um tópico, eu sinto que passo mais tempo selecionando as fontes e fazendo uma primeira leitura flutuante de forma crítica sobre o discurso do que de fato aprendendo sobre o conteúdo.

Se você também sente isso, é mais uma vítima do complexo contexto de fluxos de informações da contemporaneidade. As novas tecnologias facilitam as trocas de dados e o recebimento de informações de forma imediata, mas é preciso proteger-se da confusão do excesso.

Ou seja, é preciso aprendermos a lidar com o novelo de informações em três vertentes: em quantidade (seleção de material), em qualidade (veracidade e fidelidade) e em complexidade (organização e gestão do tempo).

tirinha

Fonte: © Disney

Esta questão é tão comum que ganhou o nome de information overload, que é um conceito que reflete o estado de sobrecarga de informação, por exemplo quando você não consegue decidir porque tem demasiada informação sobre um tema, pois esse emaranhado de dados dificulta analisar o cenário com critérios mentais claros.

Outro problema rotineiro associado é cair na tentação da distração, pois um assunto leva a outro também interessante e o conjunto de informações em demasia levam a um conflito cerebral.

Mais do que isso, há variados estudos sobre o imediatismo das trocas de informações pessoais levar à sobrecarga cognitiva, pois o malabarismo que se faz para atender ao mesmo tempo celular, messenger, whatsapp, e-mails, sms, faz com que as pessoas mudem a sua forma de lidar com a intensidade de contextos.

E sabe porque é tão difícil quebrar esse vício? Porque é realmente viciante. A concentração fica prejudicada pelo constante recebimento de informações de entretenimento pois esse fluxo causa um estímulo que provoca a excitação e a liberação de dopamina no nosso organismo.

E agora, como tentar quebrar o sistema para não deixar essas questões atrapalharem a sua produtividade?

Listamos algumas possibilidades:

  1. Foco no objetivo e no prazo

Comece por ser realista sobre quanto tempo você tem disponível para se dedicar a um assunto e finalizar o trabalho (ou tomar uma decisão sobre o mesmo). Por exemplo, o seu objetivo é pesquisar sobre investimentos em planos de previdência privada e o seu dead line para tomar uma decisão é até o fim do mês, assim você consegue calcular que pode se dedicar uma horinha por semana sobre o tema. Respeite o seu tempo.

  1. Seleção de canais e filtros de conteúdo

Nesta parte, os métodos justificam o fim (e não o contrário). Saber descartar fontes poucos fiáveis e discursos falaciosos é uma grande poupança de tempo e de neurônios. Para continuar no mesmo exemplo prático sobre planos de previdência privada, vamos sugerir que a seleção seja listar as opções de planos existentes, perguntar para as pessoas próximas quais as indicações, pesquisar os preçários nos sites, etc. Para analisar o conteúdo é preciso eleger quais argumentos são relevantes e quais são descartáveis para o nosso contexto de vida.

  1. Fazer uma short list

Criar uma lista de opções mais promissoras, cuja quantidade seja realista conforme o tempo disponível, é uma das táticas mais inteligentes para se ter clareza das opções disponíveis. No caso do exemplo de investimento, podia-se fazer uma short list dos planos de investimentos mais interessantes e ir pessoalmente aos bancos tirar as dúvidas finais com os profissionais para tomada de decisão.

  1. Desviar a tentação da distração e da procrastinação

Com tantos conteúdos interessantes, é normal que um assunto leve a outro e quando você menos espera está lendo sobre o número de vezes que um macaco come bananas por dia. O segredo para isso não acontecer está na concentração e em minimizar os focos de distração. Se para alcançar esse fim for necessário desligar o celular, ir para uma zona sem internet ou passar algumas horas na biblioteca, são essas as estratégias mais inteligentes para seguir. Se você tem problemas com procrastinação, antes de começar um trabalho ponha uma meta que não poderá ser desviada até ser concluída.

O acesso a muitos dados de forma rápida é uma ferramenta maravilhosa da modernidade, basta saber como utilizar essa informação de forma pragmática, para que o período investido seja eficaz e não perda de tempo.

banner clique
The following two tabs change content below.

Renata de Freitas

É publicitária de Floripa, mas vive há quase 10 anos em Portugal, onde trabalha com Marketing Empresarial, fez PhD em Comunicação Estratégica e participa de grupos de investigação da área. É apaixonada por Branding, por assuntos criativos e por lugares inspiradores.