Assim como os demais sentidos, o paladar também está diretamente conectado às lembranças e todos os fatos vividos desde a infância. Ao provar um sabor é fácil relacioná-lo a diversas coisas, pessoas, momentos e até mesmo marcas.

Alguns produtos possuem sabores muito semelhantes, então a decisão final para a sua escolha é basicamente a união da experiência provocada pelos demais sentidos. Além disso, mesmo que sua empresa não trabalhe com produtos alimentícios, ela pode adotar o uso do paladar para criar experiências inesquecíveis ao consumidor.

A influência dos sentidos no paladar

O paladar é o mais impactado pelos demais sentidos do ser humano, ou seja, ele é facilmente influenciado pela visão, olfato, tato e audição. Para entender essa influência, basta lembrar de um teste cego que a Pepsi fez nos anos 80, no qual divulgava a seguinte situação: o consumidor não poderia ver qual refrigerante estava tomando, e como resultado disso, a maioria preferiu a Pepsi, contrariando as pesquisas de mercado. Naquela época a Coca-cola não teve outra saída a não ser entender os motivos que levaram os consumidores do teste cego a preferirem o sabor da Pepsi. Então, a Coca-cola realizou estudos aprofundados para melhorar o sabor do seu produto. Descobertas feitas, lançaram a New Coke e, apesar de ser um produto com mudanças para agradar ainda mais o paladar dos consumidores, o novo nome e a nova embalagem do produto abalaram todo o público consumidor, que não aceitou a mudança realizada.

Outro exemplo marcante na história do consumo e que envolve diretamente a influência dos outros sentidos na aceitação do sabor de um produto é o caso da Kraft Heinz. A empresa fez o maior teste cego da história do consumo, mas ao contrário da Coca-cola, ela não avisou ao seu público a mudança feita, não mudou a embalagem nem o nome da prateleira, esperando a reação do seu público. Como o público não visualizou a mudança, a aceitação foi muito mais natural.

Mais um caso de sucesso que demonstra essa forte ligação do paladar com a memória foi apresentado pela Knorr. Por meio de um vídeo lançado na internet, a marca arranja uma pegadinha com uma menina que vive no Alasca longe da família. Eles levam um prato de comida e a menina adivinha que foi feito pela mãe, mesmo sem saber de nada. No desfecho, a mãe aparece de surpresa, deixando o público emocionado.

Ainda que alguém reconheça o produto através do sabor, também há situações onde os outros sentidos confundem o paladar, dificultando a identificação do produto. Veja esse exemplo:

“Em um teste, C.N. DuBose pediu que as pessoas provassem bebidas de uva, lima-limão, cereja e laranja. Os voluntários não tiveram dificuldade em identificar corretamente o sabor quando a cor combinava. Mas, quando a cor e o sabor eram trocados, apenas 30% dos voluntários que provaram a de cereja conseguiam identificar o sabor correto. Na verdade 40% acharam que a bebida de cereja era de lima-limão.”(LINDSTRöM, 2010, p. 27)

Além da influência da visão no reconhecimento do sabor, existe também uma conexão clara e direta do paladar com o olfato, principalmente por serem dois sentidos que dependem de estimulantes químicos derivantes de alimentos ou aromas. De fato, nenhum sentido funciona 100% sozinho. Sendo assim, ter os cincos sentidos trabalhando juntos, de forma estratégica, é o modelo ideal para uma construção de branding mais efetiva, especialmente nos dias atuais, onde a concorrência é maior, a poluição visual é agressiva e a maiorias das pessoas não têm mais tempo para propaganda.

banner clique
The following two tabs change content below.
Especialista em gestão de marketing com mais de 10 anos de experiência. Formada na área de Comunicação e com MBA em Marketing, experiência em Startups e em projetos de marketing internacionais, envolvendo países como Estados Unidos, México e Portugal.