Pensar estrategicamente não é uma tarefa fácil, ainda mais para empresas que estão engolidas pela sua operação. Esse é um cenário comum, e tem sido fator contributivo para a “decrescência” de diversos negócios. A falta de uma direção clara atrapalha a caminhada das corporações. Parafraseando um diálogo de Alice no País das Maravilhas, quando não sabemos para onde queremos ir, qualquer caminho serve.

A falta de estratégia afeta diretamente muitas empresas. No Brasil, de cada 10 empresas novas, seis fecham as portas antes de completarem cinco anos de vida. Elas se perdem em sua jornada, na maior parte das vezes, por falta de orientações estratégicas, visão de futuro e planejamento. Em outros casos, quando a empresa já está bem estabelecida e possui um grande volume de receita (venda), fecha os olhos para evoluções necessárias. Há sim um crescimento, mas frágil.

Atendimento, preço, qualidade e tecnologia não são mais diferenciais competitivos de um negócio. Chamo de “atributos commodities”, ou seja, que todas as empresas usam para argumentar ao seu favor. Quando não há uma estratégia clara para o caminhar de um negócio, não há o estabelecimento de diferenciais reais, o que também afeta o seu desenvolvimento.

Esses 10 comportamentos devem ser esquecidos pelas empresas que querem evoluir sua mentalidade estratégica:

  • Resistência ao novo
  • Apego ao passado e conservadorismo
  • Insistência em práticas antigas
  • Baixo ou nenhum investimento em Pesquisa e Desenvolvimento
  • Subutilização do conceito de marketing (estratégia e mercado)
  • Desorganização corporativa (acumulo de funções, falta de clareza de papeis, lacuna entre a estratégia do gestor e a prática do colaborador)
  • Acomodação e zona de conforto
  • Falta de propósito e visão
  • Falta de cultura organizacional
  • Distanciamento do mercado

Estratégia é uma questão de mentalidade, que parte de um objetivo maior e passa pela necessidade de organizar a conquista desse objetivo, prevendo que não será fácil. Nesse sentido, é preciso querer evoluir, mas é imprescindível estar disponível para o novo.

Dentro desse escopo de uma nova maneira de pensar e agir, ou seja, ser pautado pelo futuro, o desafio passa a ser outro: como estabelecer a melhor estratégia?

Cada empresa, organização, mercado e negócio tem suas características e, certamente, não há um caminho padrão, porque os objetivos mudam. Porém, considero alguns caminhos de possibilidades de diferenciação, que merecem atenção e passam, inclusive, pela gestão de especialistas:

STRATEGIC MINDSET - ISAAC RAMIRIS ZETUNE

Quando as empresas começarem a entender que precisam mudar sua abordagem, certamente passarão a investigar maneiras de se diferenciar. Por isso, desenvolvendo novos modelos de negócio, construindo uma marca de valor e um comportamento de mercado diferente ou, ainda, apostando em inovações ou invenções, é possível encontrar caminhos de evolução no mercado.

Olhar para o futuro quando ele é incerto torna essa prática sem sentido. Porém, quando estabelecemos um norte claro para o nosso negócio, podemos explorar ao máximo a nossa capacidade estratégica, de uma forma que faça sentido.

banner clique
The following two tabs change content below.

Isaac Zetune

Isaac Ramiris Zetune é jornalista, pós-graduado em marketing político e especializado em branded content. É sócio-diretor da Agência Insane e fundador da plataforma EMPREENDA.SE. (isaac@sejainsane.com.br)