Capital humano está relacionado ao potencial de ativos intangíveis reunidos entre membros de uma equipe de trabalho. Diz respeito ao conjunto intelectual de todos os colaboradores de uma empresa, aspectos relativos aos seus conhecimentos, aptidões, habilidades, experiências, entre outros. Essa reunião de competências manifestadas ou potenciais – passíveis de desenvolvimento – configura o que atualmente vem sendo tratado como o principal ativo de uma organização: as pessoas e suas individualidades profissionais como uma das principais fontes de inovação organizacional da atualidade.

Muitas vezes a simples reflexão sobre aspectos práticos, mas absolutamente essenciais na gestão de equipes, pode esclarecer pontos que se transformaram em gargalos extremamente difíceis de superar. Os membros da organização têm um conhecimento aprofundado sobre o negócio? A real importância sobre a performance individual dentro dos processos está clara? Existe coerência entre o perfil do colaborador e o perfil do cargo que ele ocupa? Fora o conhecimento técnico e as competências, quais os valores que queremos cultivar entre os funcionários?

Existe um aspecto que foi negligenciado por muito tempo e que hoje representa, talvez, o grande diferencial de uma organização dentro de cenários tão competitivos: existe dentre os membros da equipe, pessoas altamente sensíveis a uma cultura de superação e resiliência, capazes de ultrapassar obstáculos e desafios em meio a todo o caos que envolve o cotidiano das empresas atualmente?

A lista de estratégias que apontam um caminho para melhorar a performance do capital humano de uma empresa é extensa e bem conhecida dos gestores porém, é possível sintetizá-las em cinco iniciativas que representam o primeiro passo para estimular a permanência dos melhores talentos no time de uma organização.

1-Contar com um líder inspirador

Não é por acaso que a primeira dica seja sobre a importância de um líder motivador afinal, uma equipe que entrega normalmente é conduzida por uma liderança que trabalha junto e dá exemplo. A presença de um líder que se preocupa integralmente com os membros da equipe garante no mínimo comprometimento por parte dos funcionários.

2-Promover o engajamento

Por que as pessoas “vestiriam a camisa” da empresa? Porque elas nutrem um sentimento de pertencimento, se sentem parte daquela organização, peças indispensáveis, com a consciência do todo. Estimular uma visão sistêmica, ainda que de forma simplificada, permite que os colaboradores aumentem a percepção sobre a importância individual.

3-Estimular o Empowerment

A centralização de poder que configura a microgestão e a necessidade de controle sobre os menores aspectos da organização, produz lideranças que prejudicam o desempenho dos funcionários. O empowerment ou empoderamento, consiste na ideia de que compartilhar informações, oferecer ferramentas – treinamento, recursos, motivação – e promover uma certa autonomia ao funcionário permite que ele tome decisões, seja proativo e consequentemente mais responsável. A partir daí o engajamento, o qual já foi mencionado, virá naturalmente.

4-Formular um plano de carreira

Como reter talentos num ambiente tão dinâmico e carente de profissionais altamente capacitados como o mundo dos negócios? Elaborar um programa que desenha o caminho que cada profissional percorrerá dentro da organização, determinando as competências necessárias para cada cargo, as expectativas da empresa em relação a cada posição hierárquica, o tempo em que o colaborador permanecerá em cada posição e a remuneração correspondente. É importante que a empresa se disponha a oferecer programas de treinamento definindo qual o modelo mais adequado, alinhando os objetivos tanto do funcionário quanto da empresa.

5-Criar um programa de mentoring

De maneira simplificada podemos definir mentoring como uma ferramenta de desenvolvimento e estímulo profissional e pessoal que consiste em aproximar profissionais experientes com colaboradores em estágio inicial de carreira. O processo de mentoria deve ocorrer de maneira formal, em um ambiente específico no formato sala de aula, reunindo pares ou grupos que possam promover um aprendizado sobre responsabilidades, objetivos, competências e atitudes comportamentais de grandes profissionais.

Dentre os maiores desafios encontrados pelas lideranças de uma organização está a execução de estratégias capazes de administrar, alinhar e conduzir eficazmente o capital intelectual em direção ao alcance de resultados. Um time engajado, comprometido e especialmente motivado é o resultado de lideranças renovadoras, capazes de promover mudanças e transformações no aprendizado individual e organizacional que impulsionam, desenvolvem e aprimoram a base do conhecimento e da inovação de forma sincronizada entre os interesses de todos os envolvidos.

banner clique
The following two tabs change content below.

Marta Maciel

Graduada em Marketing, trabalha há dez anos na área comercial de shopping no segmento de varejo de moda. Acredita fortemente que o conhecimento e as soluções inovadoras serão válidos somente se compartilhados com todos.