No artigo ‘Endomarketing e a arte de criar relacionamentos‘ comentei como os relacionamentos são complicados, principalmente quando falamos na relação entre gestores e equipes, e como o endomarketing pode não só facilitar a comunicação, mas a relação em si entre a empresa e seus funcionários, em qualquer nível, através do engajamento.

E se o engajamento de uma equipe é como uma reconquista contínua, como em um casamento, onde o mais importante é a confiança que deve ser conquistada e renovada sempre, é importante que o gestor saiba como encantar a sua equipe. Ele deve retirá-la de um cotidiano estressante em que estão sempre ocupadas demais apenas com as metas e os resultados, para conduzir a uma experiência que a encante e motive a querer ver as etapas do processo e queiram torná-las sempre melhores na execução.

A equipe tem que ser vista como um cliente para o gestor, afinal ele é o responsável pelo seu desenvolvimento. No entanto, é preciso observar que o gestor é responsável pelo desenvolvimento das pessoas na equipe e não da carreira delas, afinal cada um de nós devemos saber aonde queremos chegar profissionalmente e trabalhar para alcançar esse objetivo. O gestor estará lá para apoiar esse processo dentro do que for coerente com o negócio da empresa.

Esse apoio no desenvolvimento da equipe deve ser visto como um atendimento ao cliente, uma vez que todo negócio tem base no atendimento às necessidades de alguém, seja dentro ou fora da empresa. Todos recebemos pedidos e criamos entregáveis que se adaptam às necessidades de um cliente, interno ou externo. Assim, todos devem oferecer a magia de um atendimento que traga uma experiência bacana ao seu cliente.

O gestor, então, deve ter a empatia necessária para conduzir a equipe em uma trilha de excelência, garantindo que a equipe busque prazos e qualidade esperados. Porém hoje não basta impor metas e cobrá-las depois, às vezes com uma bonificação para que as superarem. É preciso entender a motivação de cada pessoa da equipe. As pessoas não são iguais, mesmo dentro de um mesmo cargo. Pode ser que dentre um grupo de vendedores, um deles não queira tanto o bônus em dinheiro, mas em folgas para passar com a família por viajar muito a trabalho e ficar pouco em casa. No artigo “Engajamento – a arte de entender as necessidades da sua equipe” eu comentei um pouco sobre as motivações que levam ao engajamento.

Algo que notei ao longo da minha carreira foram alguns gestores que focavam no resultado e no entregável da equipe e não atentavam ao que ele tinha de entregar. Se uma equipe tem como meta entregar 50 equipamentos eletrônicos no mês, a meta do gestor é garantir que isso aconteça. Para que a equipe entregue os equipamentos esperados, ela tem que cumprir processos produtivos, mas e o gestor? Como ele faz para que a entrega aconteça?

Cobrando a produtividade ou apoiando para que ela aconteça? A escolha entre uma das duas opções fará com que a equipe tenha uma experiência boa ou ruim, que se encante e engaje ou se desmotive e apenas cumpre o mínimo requerido, nem sempre com a qualidade necessária.

Um gestor que consegue enxergar a equipe como um cliente e proporciona um atendimento bacana, na forma de uma gestão de pessoas eficaz, que prima pelo desenvolvimento dos profissionais e dos processos, atendendo às necessidades que se apresentam, estimulando o erro honesto, capacitando pessoas e estimulando a melhoria contínua, com certeza alcança o engajamento através do encantamento, renovando a conquista e um relacionamento bacana e saudável com a equipe.

Um bom programa deve oferecer valor aos colaboradores e motivá-los a serem defensores da empresa onde quer que seja.

banner clique
The following two tabs change content below.

Marcelo Oliveira

Jornalista e entusiasta da Gestão do Conhecimento e Inovação, com uma passagem de 17 anos pela EMBRAER, onde atuei na edição de Publicações Técnicas e como focal point de inovação. Estruturei e estive a frente de um programa voltado a conectar pessoas, ajustar processos, melhorar a comunicação e aplicar uma gestão colaborativa e inovadora de equipes, ajudando a desenvolver o potencial humano, através do engajamento e da capacitação. Em paralelo, como freelancer, produzi textos para a revista Villaggio Panamby e para o site infoescola.com. Fundei a Inovadoramente Consultoria para oferecer serviços em gestão de equipes e comunicação. Também sou conteudista no Ideia de Marketing e na Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento, além de professor de Pós-Graduação na ESPM, dentro do Centro de Inovação e Criatividade.