Willian Shakespeare já dizia… “nós somos do tecido de que são feitos os sonhos”…  Chega uma etapa das nossas vidas que começamos a rever nossas escolhas e a resgatar nossos desejos, que ficaram esquecidos e guardados por um tempo. É algo natural de todo ser humano, e que torna nossa trajetória mais interessante e viva. Os sonhos fazem parte de nós.

Às vezes, nos deparamos com situações que nos colocam diante da realidade. Como se estivéssemos em frente a um espelho, vendo, de fato, como somos.  Assim, percebemos que a rotina daquele determinado emprego já não é tão satisfatória e que não estamos contribuindo de maneira significativa para a empresa.  Aquele cargo, salário, ambiente já não suprem nossos anseios. É hora de alçar outros voos.

É o momento de rever significados e conceitos. O mundo empresarial, não é fácil! A todo instante somos cobrados a termos o melhor currículo e a responder as exigências do mercado de forma exemplar. A cobrança vem em larga escala. E nessa ânsia de querer ser o melhor, deixamos nossos verdadeiros interesses de lado, não é mesmo?

Quantas empresas impõe rotinas desgastantes para os seu colaboradores, sem ao menos,  ouvir suas ideias e aspirações?  O fato é que os números, na maioria dos casos, se sobressaem sobre as pessoas.  Perdem-se talentos e deixam oportunidades se esvair.

Nesse contexto, criam-se empregados cada vez mais padronizados.

Falam-se muito em capacitação, que realmente é algo essencial para a formação, mas esquecem de investir, também, nas relações de afeto. Somos movidos por experiências. Precisamos experimentar sensações, gostos, movimentos, gestos, lugares e ações para que possamos crescer. Talvez, o que falta nas empresas é justamente fomentar sonhos! As organizações precisam aprender a enxergar seus colaboradores como seres potenciais e despertar neles o desejo de sonhar, que muitas vezes fica em segundo plano devido à rotina.

Aquilo que projetamos e realizamos, por mais simples que seja, tem muito valor. Quando somos sinceros com nós mesmos e com aquilo que acreditamos, tendemos a ser mais felizes.  Os sonhos têm a ver com nosso propósito de vida. Precisamos segui-los, recriá-los e torná-los abrangente. Isso significa empreender!

banner clique
The following two tabs change content below.

Raiza Halfeld

Mineira de Juiz de Fora, movida a desafios. Gosta de aprender coisas novas e trocar experiências, pois enxerga a educação como um processo contínuo. É graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela UFJF, e atualmente cursa MBA em Marketing pela UNOPAR.