O princípio 80/20, afirma que de forma genérica, 80% dos resultados obtidos são provenientes de 20% dos esforços aplicados para alcançá-los. Esta proporção significa que dentro do conjunto de atividades que desempenhamos diariamente somente uma parte ínfima de nossas ações é capaz de produzir quase que a totalidade dos resultados de trabalho de um dia inteiro. A grosso modo, 80% da energia despendida durante todo dia não promove nenhum tipo de benefício ou recompensa em nossas vidas. Isso talvez justifique a postura dos adeptos da lei do menor esforço. Provavelmente estejam fazendo a coisa certa a mais tempo que os demais.

Vilfredo Pareto foi um economista italiano que viveu no final do século XIX, e dentro de seus estudos verificou o padrão de desequilíbrio na divisão das riquezas na Inglaterra daquele século. Pareto observou que cerca de 80% dos recursos econômicos pertenciam a somente 20% dos ingleses e que esse tipo de padrão de desequilíbrio poderia ser aplicado a inúmeros outros dados, em locais e épocas distintas. O economista estava tão certo que o mesmo princípio é aplicado até hoje, não somente em relação a análises de distribuição de riquezas, mas como ferramenta administrativa dentro dos ambientes de negócios, na área da gestão da qualidade e gestão de recursos e processos.

É prudente ressaltar que esses percentuais servem como referencial e que existem variações nessas proporções conforme cada relação de causa e efeito estudada. O correto é avaliar a previsibilidade de desequilíbrio entre essas duas forças. Mas, para efeito de observação e reflexão, podemos aplicar o princípio 80/20 num grande número de fatos relacionados com os quais convivemos diariamente. Vejamos alguns exemplos:

  •  Você trabalha com vendas? 80% das vendas são feitas dentro de um conjunto de 20% de produtos;
  •  Você é administrador? 80% do lucro da empresa é proveniente de 20% dos produtos vendidos;
  •  Você é da área comercial? 80% das vendas são realizadas para 20% do total de clientes;
  •  Você é chefe de setor? 80% dos resultados são obtidos através de apenas 20% dos funcionários;
  •  Você é motorista? 80% dos acidentes de trânsito são provocados por 20% dos motoristas;
  • Uma vez que acreditemos que exista alguma lógica nesse princípio de relação de desequilíbrio entre causa/efeito, como podemos aplicá-lo em benefício de nossa vida profissional e pessoal?

Vivemos uma época marcada pela busca por resultados, alta produtividade, lucratividade, conhecimento, oportunidades, e proporcionalmente, pela falta de tempo, aumento do estresse, crises econômicas, conflitos pessoais e comprometimento da saúde e da qualidade de vida. Acredito que através da compreensão desse princípio e de sua colaboração na condução de nossas atitudes e ações diárias, seja possível identificar quais os verdadeiros esforços e a medida real de tempo e dedicação a qualquer atividade, a fim de obter resultados mais positivos e satisfatórios.

O princípio 80/20 está fundamentado na ideia de que grande parte dos acontecimentos não apresentam importância alguma e indo mais além, poderiam ser tranquilamente descartados, uma vez que são pouquíssimas as forças que resultam em recompensas. Se os 20% de força usados resultam em recompensas é natural que sejam maximizadas, por outro lado, se esses esforços são responsáveis por resultados indesejáveis é racional que se desenvolva uma estratégia para substituí-los.

Isso tudo parece muito óbvio, mas esbarra num aspecto que muitas vezes ainda não foi amadurecido. Eu falo sobre nossos objetivos de vida, nossos planos, onde queremos chegar, o que queremos ser, o que precisa ser feito. Independente se esses objetivos são válidos, corretos, duvidosos, nobres ou egoístas, o importante é saber identificá-los para aprender a conquistá-los, certo? A partir daqui o princípio 80/20 já se torna mais “aplicável”. Quando identificamos o que queremos o segundo passo é partir para uma ação deliberada e focada no resultado que almejamos, através de ações calculadas. É importante saber priorizar o tempo e alinhar cada uma dessas ações aos nossos próprios objetivos.

Alguém afirmou que “se você fizer sempre a mesma coisas irá obter sempre o mesmo resultado”. É no mínimo um pensamento a ser considerado, pois remete à ideia de que criatividade é algo essencial e que precisamos avaliar constantemente quais são os nossos 20% que estão nos levando aos nossos 80%, independentemente se são satisfatórios ou não. Essa substituição de parâmetros se sustenta basicamente pela aplicação de uma visão crítica sobre nós mesmos. Para concluir, podemos sintetizar o pensamento 80/20 como a forma mais eficaz de maximizar os resultados através da simplificação dos processos.

banner clique
The following two tabs change content below.

Marta Maciel

Graduada em Marketing, trabalha há dez anos na área comercial de shopping no segmento de varejo de moda. Acredita fortemente que o conhecimento e as soluções inovadoras serão válidos somente se compartilhados com todos.