Quando se fala em trabalhar a inovação dentro de uma equipe é normal pensar em coisas diferentes, fora da caixa, novos serviços e produtos que trarão lucro para a organização. O problema é que esse tipo de inovação, considerada disruptiva, é apenas uma parte da equação. Uma empresa não consegue viver apenas de ideias assim, ela também precisa daqueles insights pequenos, que melhoram a maneira como alguém trabalha ou como é produzido um produto, as chamadas incrementais.

Na verdade, a prática desses insights pela equipe cria uma cultura de inovação, uma vez que todos passam a ver possibilidades de mudança em todos os pontos de sua atividade, no processo em que está inserido. Ter essa cultura de inovação leva as pessoas a desenvolverem o chamado senso de propriedade sobre o que se trabalha, buscando sempre novas maneiras de realizar suas atividades e entregar algo diferenciado para o cliente.

Esse senso de propriedade faz com a pessoa pense em formas de melhor solucionar o problema do cliente, enxergando assim uma oportunidade de conectar-se a ele. Isso fomenta o surgimento de ideias disruptivas, que oferecerão ao cliente um novo olhar sobre o problema que possui. Essas ideias são como uma pequena pedra rolando uma montanha abaixo sobre a neve, criando uma bola que cresce em velocidade e magnitude.

Em outras palavras, são as pequenas coisas que foram feitas pela equipe e que mudaram o jeito de se trabalhar que irão construir um ambiente propício à cultura de inovação. São coisas tão simples que muitas vezes passam despercebidas, e será uma delas a pequena pedra que descerá a encosta da montanha e que se tornará uma imensa bola de neve, que atropelará paradigmas e levará uma excelência cada vez maior até o cliente, seja em processos, produtos ou serviços.

banner clique
The following two tabs change content below.

Marcelo Oliveira

Jornalista e entusiasta da Gestão do Conhecimento e Inovação, com uma passagem de 17 anos pela EMBRAER, onde atuei na edição de Publicações Técnicas e como focal point de inovação. Estruturei e estive a frente de um programa voltado a conectar pessoas, ajustar processos, melhorar a comunicação e aplicar uma gestão colaborativa e inovadora de equipes, ajudando a desenvolver o potencial humano, através do engajamento e da capacitação. Em paralelo, como freelancer, produzi textos para a revista Villaggio Panamby e para o site infoescola.com. Fundei a Inovadoramente Consultoria para oferecer serviços em gestão de equipes e comunicação. Também sou conteudista no Ideia de Marketing e na Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento, além de professor de Pós-Graduação na ESPM, dentro do Centro de Inovação e Criatividade.