Se você trabalha com Marketing já deve ter escutado que as regras do jogo mudaram. Se antes o poder da informação estava na mão das empresas que propagavam suas mensagens e os consumidores tinham pouco poder para confirmar ou questionar o que era dito, hoje as coisas estão totalmente diferentes.

Com o acesso cada vez mais fácil e rápido à informação, aliado a oportunidade de que qualquer pessoa possa ser um produtor de conteúdo com potencial de atingir milhões de pessoas, o poder trocou de mãos. Agora quem dita as regras do jogo são as pessoas.

O que isso significa para as empresas?

Significa que é preciso mudar a forma de “jogar” se quiser vencer. Se até pouco tempo a receita de investir muito dinheiro em mídias tradicionais e comunicar seus diferenciais eram suficientes para atingir os objetivos, hoje é preciso ir muito além. As pessoas já não confiam em propaganda como antes e estão “fugindo” delas. Esse novo cenário criou alguns novos desafios:

– Crescimento do Adblock

Estima-se que em 2015, 200 milhões de pessoas utilizaram o Adblock. O Adblock é uma extensão para navegadores que bloqueia propagandas nos mais diversos sites. Esse é um indicativo de que as pessoas estão cansadas de tanta propaganda intrusiva que atrapalham sua experiência online.

 – Queda do alcance orgânico das redes sociais

As redes sociais que até pouco tempo surgiam como um “salvador da pátria” para conseguir atingir os consumidores, também dão indícios dessa mudança de jogo. Recentemente o Facebook anunciou mudanças em seu algoritmo que passará a exibir mais publicações de amigos e menos das marcas. Para o Facebook tomar essa decisão, é bem provável que tenham detectado uma queda no uso da plataforma por seus usuários e encontrou o excesso de anúncios como causa. Outras redes sociais como Twitter e Instagram também já começam a não exibir as mensagens para 100% dos seguidores.

– Conteúdo sobre demanda

Como falamos no começo do texto, o poder está na mão das pessoas. Um grande demonstrativo disso é o sucesso de serviços de conteúdo sob demanda. Já são mais de 80 milhões de pessoas assinando Netflix e mais de 100 milhões que são usuários do Spotify. As pessoas querem ouvir suas músicas ou assistir seus programas na hora que desejarem e sem anúncios.

 – Pessoas mais conectadas

Para se ter uma ideia, em todo o mundo, 20,8 milhões de mensagens são trocadas por minuto no WhatsApp. 347 mil tweets por minuto. Isso sem falar em outros aplicativos de mensagem e redes sociais. As pessoas estão cada vez mais conectadas umas as outras e trocam informações a todo momento, inclusive sobre marcas, produtos e serviços.

 – Consumidores mais informados do que nunca

O consumidor nunca esteve tão informado para poder decidir uma compra. Só na Amazon são mais de 35 milhões de avaliações de produtos. No Quora são mais de 8 milhões de perguntas e 23 milhões de respostas. No Google, são realizadas 2,4 milhões de buscas por minuto. Com a explosão dos smartphones, tablets e banda larga, o acesso à qualquer informação está a poucos cliques de distância em qualquer lugar do mundo. Os consumidores buscam informação antes de decidir uma compra.

 Como vencer nesse novo cenário

Esses desafios listados acima, nos mostram que as pessoas não querem ver propagandas, mas querem estar bem informadas através de fontes confiáveis sobre produtos e serviços antes de realizar uma compra. Grande parte dessas fontes confiáveis são outras pessoas. Existem várias pesquisas mostrando que a fonte de informação de maior confiança são outras pessoas, sejam conhecidas ou não.

Tão grande quanto os desafios são as oportunidades que surgem com essas mudanças. Abaixo listo algumas das oportunidades que acredito serem fundamentais para vencer nesse novo jogo.

 – Fidelizar será mais importante do que vender

Você já deve ter ouvido por aí que conquistar um novo cliente custa 5 vezes mais caro do que fidelizar um. Além desse custo, clientes fiéis serão cada vez mais importantes, pois serão potenciais influenciadores de compra de novos clientes.

 – Experiência do cliente

Para fidelizar e encantar seus clientes, entregar um bom produto já não é mais suficiente. É preciso fazer que a experiência dele seja marcante. Oferecer mais do que se espera, surpreender positivamente no atendimento, facilitar ao máximo a vida dos clientes são exemplos de atitudes que devem ser tomadas para que fiquem extremamente felizes e se tornem Defensores de Marca da sua empresa.

 – Marketing de Defensores

Por falar em Defensores de Marca, uma tendência nova e que deverá crescer muito nos próximos anos é o Marketing de Defensores. Ainda pouco conhecido e explorado no Brasil, ele consiste em identificar as pessoas que gostam de uma marca e criar estratégias para engajá-las e transformá-los em Promotores da Marca. São esses Defensores de Marca que irão indicar seus produtos, escrever avaliações positivas, propagar seu conteúdo e consequentemente trazer novos clientes.

As pessoas serão a nova mídia e o Marketing de Defensores surgiu para mobilizá-los a favor da sua marca.

Está claro que o jogo mudou e táticas utilizadas anteriormente já não dão os mesmos resultados. Marcas e empresas que queiram vencer, precisam rever suas estratégias de jogo para competir nesse novo jogo que se criou.

banner clique
The following two tabs change content below.
Empreendedor, Pioneiro em Marketing de Defensores (Advocate Marketing) no Brasil. Consultor de Marketing Digital. Professor em curso de MBA, Vice-Presidente da ABRABOCA - Associação Brasileira de Marketing Boca a Boca, Colunista do Portal Ideia de Marketing.