Comunique-se Digital e SocialBase realizaram uma pesquisa, neste primeiro semestre de 2016, que elencou as melhores ferramentas de comunicação interna no Brasil. O resultado mostra o e-mail como a ferramenta mais usada por empresas, sejam pequenas, médias ou grandes. Até aí nenhuma surpresa. O fato que chamou atenção, foi a relação entre os percentuais de uso das ferramentas comparados à eficácia das mesmas. O e-mail é usado por 92,5% das empresas entrevistadas, com eficácia de 43%. Já a TV Corporativa aparece com taxa de uso de 20,7% com uma eficácia de 100%.

Diante destes números, fica evidente que está na hora de começarmos a entender e a incorporar o uso da TV Corporativa nas organizações. De forma bem simplificada, A TV Corporativa pode ser considerada a evolução do que chamamos de jornal mural. É uma sinalização digital que transmite conteúdo próprio de uma empresa, direcionado para um público específico, em aparelhos de televisão convencionais. Seu conteúdo pode ser programado ou gerado instantaneamente, como numa transmissão ao vivo. Vale destacar que pode ser destinada para público interno e/ou externo, com fim institucional ou comercial.

Praticamente todos os segmentos são potenciais utilizadores da TV Corporativa: escritórios, escolas, academias, instituições religiosas, hotéis, clínicas, shoppings, museus, indústrias, farmácias, veículos de transportes de passageiros, supermercados, lotéricas, salões de beleza, concessionárias, bares e restaurantes. Divulgação de eventos, calendários, horários, dicas, entretenimento, notícias, treinamentos, novos produtos ou serviços, ofertas, benefícios são algumas sugestões de conteúdo.

Quando o foco é o colaborador, seu intuito é informar, transmitir conhecimento e entretenimento. É uma ótima ferramenta para expor metas e resultados, gerando aumento da produtividade. Os resultados e planilhas podem ser exibidos e atualizados em tempo real.

Quando o alvo é o público externo, serve para informar e fortalecer a marca diante do consumidor, transformando um cliente fiel, num possível parceiro e multiplicador do negócio. Também possibilita o aumento das receitas, com a comercialização de anúncios de interesse do seu público. Neste caso, o único cuidado é não divulgar conteúdo de concorrentes.

Definido o público, devem ser considerados o ambiente e a posição da TV. É de extrema importância que seja um local acessível ao maior número de pessoas possível. Boas opções são recepção, refeitório, corredores e elevadores. Utilizar o mesmo ponto que já era usada como mural informativo também é uma estratégia interessante. A TV deve ser posicionada num lugar que facilite o entendimento das mensagens.

Não é necessário montar um estúdio completo para utilizar esta ferramenta. Existem inúmeras empresas que oferecem templates de programação personalizáveis e os serviço de instalação/manutenção, basta que você tenha acesso à internet, computadores para administrar o sistema e os televisores.

Por fim, a TV Corporativa não é apenas uma forma de inovar e modernizar a comunicação. Vai muito além. Ela é uma ação de sustentabilidade, reduz poluição visual, custos com impressão e distribuição. Facilita o alinhamento estratégico da empresa e pode atrair pessoas de diferentes perfis, garantindo melhores resultados em comunicação.

banner clique
The following two tabs change content below.

Andressa Larsen

Andressa Larsen é jornalista, especialista em Comunicação Estratégica e Negócios, cursa MBA em Gestão Empresarial. Em 11 anos de trabalho, atuou nas áreas de comunicação corporativa, e-learning e produção de conteúdo educacional. Adora desafios e é apaixonada pela vida, pelas pessoas, por endomarketing, música e chocolate!

Latest posts by Andressa Larsen (see all)