Se você já teve uma boa ideia, mas não conseguiu apresentá-la a alguém da maneira correta e, por isso, não obteve o resultado desejado, esse texto é pra você (e pra mim).

Vivemos tendo insights e ideias loucas o suficiente, para vivarem campanhas publicitárias, pilares de grandes mudanças e qualquer coisa de diferente e muito criativa que ninguém nunca pensou. (Nem preciso te falar da importância de valorizar toda e qualquer ideia que temos, por mais estúpida que pareça, certo?!)

Mas aonde é que essas ideias se perdem? Ou por que nunca chegam a ser realizadas?

O primeiro ponto é entender como essa ideia tem sido transmitida aos potenciais realizadores dessa sua ideia e quem são esses realizadores.

Não adianta pensarmos em ideias a serem realizadas se elas não caírem em mãos certas. Pense em pessoas que podem ajudar financeiramente, que sejam investidores de risco – ou não, ou que tenham muita força de vontade e garra para batalharem pela ideia em conjunto.

O segundo ponto é a maneira como apresentar essa ideia. Quando falo em apresentação, não restrinjo apenas a grandes e loucas ideias, mas falo de tudo aquilo que precisa de persuasão para influenciar outras pessoas na tomada de decisões a respeito do que você está falando.

Em conferências e eventos você apresenta ideias, em trabalhos acadêmicos, no trabalho corporativo em uma pequena demanda ou em reuniões com clientes, também.

Não podemos esquecer que com a tal falada era digital borbulhando entre nós, você pode não ter a chance de apresentar tal ideia pessoalmente. Nesse exato momento, há dezenas de reuniões acontecendo pelo Skype e milhares de ideias e propostas sendo apresentadas por um anexo de e-mail.

A (brilhante) apresentação

Primeiro pense na ferramenta que você vai usar. Há sites, como o Prezi que oferecem possibilidades animadas, cheias de movimento, mas tudo em excesso cansa. Será que você necessita de tantas ferramentas e efeitos? Pense no objetivo da apresentação e na praticidade.

Outras opções para montagem da apresentação:

  • Acrobat Presentations (Baixe o Adobe Flash Player no seu computador. Só com ele o Adobe Presentations vai funcionar na sua máquina): Está disponível online, não precisa baixar nem instalar e é considerado um dos melhores para criação de apresentações;
  • Slide Rocket: Completamente online com versão gratuita e solicita um cadastro, podendo ser enviado para o Power Point mas não aceitando alterações caso necessário na versão free;

Também devo te lembrar do Keynote, nos sistemas MAC, mas no fim das contas, em 100% dos casos você usará o Power Point. ( Não adianta negar).

Comunicação é a transferência de emoções. Emoções essas, que transmitidas da maneira correta contam para o target o que você sente e tendem a fazer com que eles adotem seu argumento.

Então aí vão algumas dicas:

  • Seus slides precisam confirmar a sua fala, não apresentar mais do mesmo;
  • Abuse de imagens, mas use imagens de qualidade, bem escolhidas e relacionadas ao tema. ( Utilize fotos e bancos de imagem);
  • Não use muitas palavras em cada página do slide: Você não precisa colocar aquele texto inteiro e um listão, algumas palavras para contextualizar já bastam. Algumas pessoas indicam no máximo 10 palavras. Não acredito nesse limite máximo, mas no bom senso e no equilíbrio do que se vê;
  • Evite transações animadas: Sabe aqueles efeitos de virar, torcer igual estrela, sumir aos poucos… Não sei você, mas sinto uma “canseira” quando vejo e não dou muita credibilidade ao conteúdo apresentado. Mas não é regra, ok?!
  • Preocupe-se com a fonte da apresentação. Slide é layout, e layout nesse caso, é o que vemos. Se sua apresentação fala sobre tecnologia e avanços, não faz sentindo usar uma fonte com serifa, antiga e que remete a um estilo mais tradicional. Busque na internet site que oferecem fontes e dê uma cara nova para o seu texto;
  • Fontes muito desenhadas cansam: Cuidado com a fonte! A dica era usar fontes diferentes, certo, mas não exagere na tipografia. Quanto mais simples, melhor. Nada impede de destacar algumas palavras ou usar uma fonte muito diferente se o objetivo foi destacar uma palavra, mas o bom senso reina. Sempre!
  • Se você acessar o site do office, encontra algumas dicas interessantes:
  • Uma letra de uma polegada é legível a 3 metros.
  • Uma letra de duas polegadas é legível a 6 metros.
  • Uma letra de três polegadas é legível a 9 metros.

(As medidas indicam o tamanho de um tipo de letra no ecrã do computador)

  • Gráficos e dado demonstram credibilidade e confiança no que se fala; Quando falar de números e puder, use gráficos;
  • Use e abuse do bom senso e do senso estético;

Lembre-se, se a comunicação é feita na base do bom senso, as apresentações seguem o mesmo ritmo. Não há regras específicas, a não ser pontos óbvios como erros de português.

PITCH

O pitch é uma apresentação pequena, que tem em torno de 3 a 5 slides e tem com objetivo convencer ou despertar o interesse de outra pessoa, cliente ou investidor. Ou seja, são informações resumidas e objetivas. Você não tem muito tempo e precisa dar o seu melhor.

Por que falei sobre PITCH?

O Pitch pode ser falado ou ilustrado com slide e resume o melhor de tudo que você precisa falar. Sempre que pensar em uma apresentação, tome como um guia um PITCH.

Dica de leitura: “O PITCH (quase) perfeito – Anjos do Brasil”

Se a sua apresentação for feita pessoalmente para um público, lembre-se que a linguagem corporal também conta. Maneira de falar e tom da voz, a maneira como você se veste, gestos que mudam de cultura para cultura, línguas e movimentação durante a apresentação.

O importante é lembrar que sempre podemos aprender e melhorar nossa postura e apresentação.

E você, tem alguma dica de apresentação para contar pra gente?

banner clique
The following two tabs change content below.

Sabrina Kelly

Mineira de Belo Horizonte, publicitária em formação, apaixonada por viagens e fotografia. É técnica em Sistemas da Informação pelo Colégio e Faculdade Cotemig e fez um intercâmbio em Jornalismo na Universidade de Coimbra, Portugal. Escreve para a Obvious Maganize, produz conteúdo para e-commerce e é criadora da Loja Virtual Feitio.