Não é novidade para ninguém o quanto é importante saber ouvir. Mas, na correria do dia-a-dia, prestar atenção no outro e compreender o que ele tem a dizer não é tarefa fácil. Por isso, essa habilidade tem sido cada vez mais valorizada no mercado de trabalho.

Nesse contexto, a necessidade de mentoring (ou mentoria) também tem ganhado espaço dentro das organizações. Ser um mentor ou ter acesso a um mentor dentro da empresa proporciona uma grande oportunidade de crescimento para todos os envolvidos.

“Mentoring refere-se a uma orientação estruturada em que um profissional mais experiente (mentor) orienta um profissional menos experiente (mentorado) com o objetivo de provocar insights sobre seu desenvolvimento”, explica Paulo Vieira de Campos, mestre em Psicologia da Educação na PUC-SP, autor do blog Mochileiro Corporativo, com o qual tive a oportunidade de realizar um curso de mentoring. “

Quando fiz esse treinamento, não fazia ideia do que que estaria por vir. Eu pensava: “Como alguém pode ensinar a saber ouvir, ter empatia e, por fim, orientar com clareza?”.

Já de início, fui surpreendida com um dos grandes focos da aula: Aprender a perguntar. Isso mesmo, saber ouvir é importante sim, mas quem aqui sabe fazer as perguntas certas?

O professor trouxe para o grupo uma dinâmica muito interessante que você pode fazer tranquilamente com sua equipe:

  1. Formam-se grupos de quatro a cinco pessoas.
  2. Cada pessoa anota em um bilhete uma dificuldade que tem tido em seu trabalho.
  3. Cada um lê em voz alta para o grupo a sua dificuldade.
  4. Para cada dificuldade, os participantes do grupo entregam uma pergunta por escrito para tentar ajudar/orientar a pessoa que levantou o obstáculo em questão.
  5. Cada um ficará com as perguntas de ajuda que recebeu dos colegas.
  6. Cada pessoa escolherá a pergunta/orientação que mais lhe ajudou a resolver seu problema.

O Resultado

Percebemos que a maioria das perguntas conduziam as respostas para um “sim” ou “não”, ou seja, eram quase todas perguntas fechadas. Em um exercício rápido e simples como esse, percebemos o quanto estamos condicionados a dar respostas prontas para as pessoas, ao invés de fazê-las refletir e encontrar suas próprias respostas e caminhos a serem tomados.

Quer aprender a fazer perguntas abertas? Em grande parte dos casos, elas iniciam com as seguintes palavras:

  • O que
  • Por que
  • Como
  • Quais
  • Descreva
  • Conte-me

No exercício, notamos que as perguntas escolhidas como as melhores pelos participantes eram do tipo abertas, ou seja, orientavam o sujeito de forma mais reflexiva e levavam o assunto para outras importantes discussões.

Então, quando estiver em uma situação em que você precise adotar habilidades de um mentor, evite começar perguntas com:

  • Quem
  • Qual
  • Você está
  • Você viu
  • Você fez
  • Você é

Seja em uma posição de mentor ou não, estamos sempre sendo solicitados por pessoas à nossa volta e, na maioria das vezes, não sabemos como agir ou o que dizer. Por isso, é importante ter autocontrole e pensar rápido. Saber perguntar fará toda diferença no seu dia-a-dia e na sua carreira profissional.

Saber perguntar e saber liderar

Paulo Campos, que ministrou esse curso de mentoring do qual participei, destaca a relação entre saber perguntar e saber liderar. Ele acredita que se você quer ser um líder melhor, precisa aprender a perguntar. Veja algumas dicas dadas por ele:

  • Para começar: saiba se apresentar

Paulo explica que, no seu trabalho, você se vende o tempo inteiro. “E o que importa não é o que você fala. É o que o outro entende na sua fala”, frisa. Ele aconselha que é importante ter um discurso pronto, em que você consiga dizer quem é você em apenas três minutos.

  • Empatia é apreciar a emoção do outro

O especialista destaca que, quem sabe fazer perguntas tem empatia,se coloca no lugar do outro. “É preciso ser um bom ouvinte. Mas, principalmente, é preciso saber fazer perguntas”, salienta.

  • O importante é a pergunta e não a resposta

Muitas pessoas fazem perguntas já pensando em receber determinadas respostas. O foco não deve ser esse, e sim o de fazer o outro refletir. “O objetivo é fazer com que as pessoas pensem. Quer desenvolver as pessoas? Faça perguntas abertas. Um bom mentor faz boas perguntas”, ressalta Paulo.

Agora que terminou de ler esse texto, quero saber: qual é a pergunta que você tem para mim?

banner clique
The following two tabs change content below.
Especialista em gestão de marketing com mais de 10 anos de experiência. Formada na área de Comunicação e com MBA em Marketing, experiência em Startups e em projetos de marketing internacionais, envolvendo países como Estados Unidos, México e Portugal.